PERCEPÇÕES E SENTIMENTOS DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM RELAÇÃO À MATEMÁTICA

  • Gabriel de Oliveira Soares UFN
  • Andressa Franco Vargas Universidade Franciscana
  • José Carlos Pinto Leivas Universidade Franciscana
Palavras-chave: Ensino de Matemática, Ensino Médio, Percepções e sentimentos

Resumo

Levando em consideração a influência do domínio afetivo no aprender e, em especial, no aprender matemática, desenvolveu-se esse estudo que teve por objetivo investigar percepções e sentimentos de alunos do Ensino Médio em relação à matemática expressas por uma turma desse nível de escolaridade de uma instituição  pública de um município da região central do estado do Rio Grande do Sul. Para tal, aplicou-se um questionário estruturado, composto por quatro questões, a vinte e oito estudantes concluintes dessa etapa da Educação Básica. As questões propostas relacionaram um possível caráter excludente da disciplina, as experiências pessoais a partir de metáforas e os sentimentos relativos ao conteúdo baseado em um desenho. Após a coleta dos dados, esses foram analisados tendo em vista uma abordagem interpretativo-descritiva, na qual foram compostas categorias à posteriori. Os resultados evidenciaram que saber matemática, na percepção dos estudantes, se relaciona principalmente às aplicações de conceitos matemáticos em atividades cotidianas. Mostraram também que em se tratando de experiências passadas, os alunos evidenciaram metáforas bastante negativas à essa disciplina, comparando-a majoritariamente a animais com características de causarem medo ou desconforto. Por fim, ao serem solicitados a desenharem como se sentiam em relação ao componente curricular em questão, os alunos apresentaram imagens com sentimentos ruins em sua maioria, destacando-se as intersecções entre visões boas e más dessa disciplina. Dessa forma, conclui-se que, ao conhecer essas percepções e sentimentos em relação à matemática dos estudantes, os professores podem elaborar estratégias buscando romper com uma visão negativa perante a disciplina, além de buscar melhorar a aprendizagem dos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELARDI NETO, V. L. L.; MARTINS, M. A. V. Emoções e sentimentos: Uma análise de sua inferência na aprendizagem da Matemática. In: COLÓQUIO DE PESQUISA QUALITATIVA EM MOTRICIDADE HUMANA, 6., 2015. Anais... Valdivia, Chile: São Carlos: SPQMH, 2015. p. 60-69.

CHACÓN, I. M. G. Matemática emocional: os afetos na aprendizagem matemática. Porto Alegre: Artmed, 2003.

CHAPMAN, O. Researching teaching: qualitative techniques. Caderno de Pesquisa em Educação, v. 12, n. 23, jan/jun. 2006. p. 105-135.

CURY, H. N. Concepções e Crenças dos Professores de Matemática: pesquisas realizadas e significado dos termos utilizados. Bolema, v. 12, n. 13, 1999. p. 29-43.

FERREIRA, M. L. Álgebra: Como as crenças dos professores influenciam na aprendizagem dos alunos. 151f. 2009. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

FONSECA, M. C. F. R. O caráter evocativo da matemática e suas possibilidades educativas. Zetetiké, v. 7, n. 1, 1999. p. 29-37.

GARNICA, A. V. N. Um ensaio sobre as concepções de professores de Matemática: possibilidades metodológicas e um exercício de pesquisa. Educação e Pesquisa, v. 34, n.3, set./dez. 2008. p. 495-510.

LORENZATO, S. Para aprender matemática. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MACEDO, L. Ensaios construtivistas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

NACARATO, A. M.; PASSOS, C. L. B.; CARVALHO, D. L. Os graduandos em pedagogia e suas filosofias pessoais frente à matemática e seu ensino. Zetetiké, v. 12, n.21, jan./jun. 2004. p. 9-34.

PACHECO, M. B.; ANDREIS, G. S. L. Causas das dificuldades de aprendizagem em Matemática: percepção de professores e estudantes do 3º ano do Ensino Médio. Revista Princípia, v. 38, 2018. p.105-119.

PIENDA, J. A.; NÚÑEZ, J. C.; ÁLVAREZ, L.; GONZÁLEZ-CASTRO, P.; SOLER, E.; GONZÁLEZ-PUMARIEGA, S.; ROCES, C.; BERNARDO; RODRIGUES, L. S. Actitudes hacia el aprendizaje de las matemáticas y rendimiento académico. In: CONGRESSO GALAICO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA, 8., 2005. Anais...Braga: Universidade do Minho, 2005. p. 14-16.

PONTE, J. C. P. Concepções dos professores de matemática e processos de formação. 1992. Disponível em: <http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/docs-pt/92- Ponte(Ericeira).pdf>. Acesso em: 10 mar. 2020.

PONTE, J. C. P. O ensino da matemática em Portugal: Uma prioridade educativa?. 2002. Disponível em: < http://educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/docs-pt/02-Ponte(cne).pdf >. Acesso em: 10 mar. 2020.

SANCHEZ, J. N. G. Dificuldades de aprendizagem e intervenção psicopedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SILVA, T. L. C.; SANTOS-WAGNER, V. M. P. Concepções, memórias e escolha profissional de futuros professores de Matemática. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11., 2013. Anais... Curitiba: UFPR, 2013. p. 1-15.

SILVEIRA, A. R. M. A Dificuldade da Matemática no Dizer do Aluno: ressonância de sentido de um discurso. Educ. Real, v. 36, n. 3, 2011. p. 761-779.

TALL, D. How humans learn to think mathematically. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

Publicado
2020-04-11
Como Citar
SOARES, G.; VARGAS, A.; LEIVAS, J. PERCEPÇÕES E SENTIMENTOS DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM RELAÇÃO À MATEMÁTICA. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 7, n. 19, p. 5 - 23, 11 abr. 2020.