ALGUNS CONHECIMENTOS MATEMÁTICOS QUE EMERGEM DA FABRICAÇÃO DA BALHESTILHA QUE SE ENCONTRA NO DOCUMENTO CHRONOGRAPHIA, REPORTORIO DOS TEMPOS...

  • Antonia Naiara De Sousa Batista Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará
Palavras-chave: Chronographia, Reportorio dos Tempos...; Text of the manufacture of the cross-staff; Mathematical knowledge.

Resumo

No intuito de aproximar ambos os campos, a educação matemática e a história da matemática, encontramos, na construção da interface, a possibilidade de articulá-los. Todavia, para iniciar essa construção, é necessário partir de um objeto de estudo, que, inicialmente, pode ser um documento ou texto original, um instrumento matemático, entre outros. Nesta pesquisa, temos como objeto de estudo o documento Chronographia, Reportorio dos Tempos... (1603), de Manuel de Figueiredo (1568 – 1622), mais especificamente, o texto que apresenta a fabricação da balhestilha ou radio astronômico. Assim, este estudo tem como objetivo apresentar alguns conhecimentos matemáticos que emergem da fabricação da balhestilha. Esta pesquisa está baseada na construção de uma interface proposta por Saito e Dias (2013), na qual demos ênfase no primeiro movimento, que, a partir de uma contextualização histórica do documento no período no qual estava inserido, iniciamos uma conversa com o texto que apresenta a fabricação da balhestilha para identificar alguns conhecimentos matemáticos que estavam presentes no documento e, concomitantemente, no período. No entanto, antes da leitura do texto, realizamos um tratamento didático em relação às expressões, palavras e nomenclaturas que seriam de difícil compreensão. A partir dessa conversa com o texto, identificamos conhecimentos matemáticos do tipo, construção de retas paralelas e perpendiculares, bissetriz, trissecção de ângulos, ponto médio, além de perceber que, por meio dos seis momentos, que estão presentes na fabricação do instrumento, encontram-se construções geométricas que utilizam as definições dos Elementos de Euclides, com régua não milimetrada e compasso. Assim, este estudo visa contribuir para as pesquisas que vêm sendo desenvolvidas no âmbito da construção de uma interface, para articulação entre história e ensino de matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATISTA, A. N. de S. Um estudo sobre os conhecimentos matemáticos incorporados e mobilizados na construção e no uso da balhestilha, inserida no documento Chronographia, Reportorio dos Tempos..., aplicado na formação de professores. 2018. 114 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Fortaleza, 2018.

FIGUEIREDO, M. de. Chronographia, Reportorio dos tempos, no qual se contem VI. partes, f. dos tempos: esphera, cosmographia, e arte da navegação, astrologia rustica, e dos tempos, e pronosticação dos eclipses, cometas, e sementeiras. O calendario Romano, com os eclypses ate 630. E no fim o uso, a fabrica da balhestilha, e quadrante gyometrico, com hum tratado dos relogios. Lisboa. 1603.

GARCIA, Vera Clotilde Vanzetto. Fundamentação teórica para as perguntas primárias: O que é matemática? Por que ensinar? Como se ensina e como se aprende? Revista Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 2, p.176-184, ago. 2009.

PEREIRA, Ana Carolina Costa; SAITO, Fumikazu. Os instrumentos matemáticos na interface entre história e ensino de matemática: compreendendo o cenário nacional nos últimos 10 anos. In: III Seminário Cearense de História da Matemática, 3., 2018, Fortaleza. Anais... . Fortaleza: Eduece, 2018. p. 1 - 12.

ROQUE, Tatiana. História da matemática: Uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas. Rio de Janeiro: Zahar, 2012. 511 p.

SAITO, Fumikazu. A reconstrução de antigos instrumentos matemáticos dirigida para formação de professores. Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 29, n. 62, p.571-589, 19 dez. 2019. Departamento de Educacao da Universidade Estadual Paulista – UNESP. http://dx.doi.org/10.18675/1981-8106.vol29.n62.p571-589.

SAITO, Fumikazu. História e Ensino de Matemática: construindo interfaces. In: SALAZAR, Jesús Flores; GUERRA, Francisco Ugarte (Org.). Investigaciones en Educación Matemática. 1ed. Perú: Fondo Editorial PUCP, 2016, p. 253-291.

SAITO, F. Algumas considerações historiográficas. In: SAITO, Fumikazu. História da matemática e suas (re) construções contextuais. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2015.

SAITO, F.; DIAS, M. da S. Interface entre história da matemática e ensino: Uma atividade desenvolvida com base num documento do século XVI. Ciência & Educação, São Paulo, v. 19, n. 1, p.89-111, 2013.

SILVA, Isabelle Coelho da. Um estudo da incorporação de textos originais para a educação matemática: buscando critérios na articulação entre história e ensino. 2018. 93 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Fortaleza, 2018.

Publicado
2020-07-12
Como Citar
DE SOUSA BATISTA, A. ALGUNS CONHECIMENTOS MATEMÁTICOS QUE EMERGEM DA FABRICAÇÃO DA BALHESTILHA QUE SE ENCONTRA NO DOCUMENTO CHRONOGRAPHIA, REPORTORIO DOS TEMPOS... Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 7, n. 20, p. 301-311, 12 jul. 2020.