CONVERGÊNCIAS E CONTROVÉRSIAS CONCEITUAIS SOBRE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL/DESERTIFICAÇÃO

Autores

  • Iaponan Cardins de Sousa Almeida
  • Marcos José Nogueira de Souza

Palavras-chave:

Conceito, Ambiente, Conflitos, Idéia, Concepção

Resumo

A partir de novas demandas criadas pelo mundo moderno surgem diversos problemas, aos quais se busca combater. Apesar de ser uma questão que acompanha os seres humanos desde a antiguidade, a preocupação com o ambiente ampliou-se em um contexto de intensificação da apropriação material. Tanto a apropriação quanto os efeitos dela requerem idéias claras para sua compreensão, o que produz outra preocupação: o conceito. Com o presente texto tenta-se responder a: o que é degradação ambiental? A bibliografia consultada permite compreender o conceito a partir da idéia de dano e busca aproximar-se de motivações que conduziram a tal preocupação. A compreensão geral gira em torno da perda da capacidade ou dificuldades de funcionamento dos ciclos dinâmicos, responsáveis pela renovação dos meios de manutenção da vida. Foram utilizados diferentes textos científicos e documentos oficiais da política ambiental brasileira para o entendimento atual do tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ANDRADE , D. C.; ROMEIRO, A. R. Degradação ambiental e teoria Econômica: algumas reflexões sobre uma "economia dos ecossistemas". Brasília: Revista Economia, v. 12, n1. p. 3-26. jan/abr 2011.

ARAÚJO, G. H. S. ALMEIDA, J. R. GUERRA, A. J. T. Gestão ambiental de áreas degradadas. 4a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2009. 320 p.

BIGARELLA, J. J. Superfícies aplainadas. In: Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais. Contribuições de Everton Passos; Maria Lúcia de Paula Herrmann; Gilberto riedenreich dos Santos; Magaly Mendonça; Eduardo Salamuni e Kenitiro Suguio. Florianópolis: Editora da UFSC, 2003.v.3, p.877-1436.

BRAIDA, C. R. A falça opção entre renaturalização e hiper-tecnificação. Florianópolis: Filosofia Unisinos. Jan/abr, p.70-83. 2013.

BRASIL. lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981.

CEARÁ (Estado). Programa de ação estadual de combate à desertificação e mitigação dos efeitos da seca. Fortaleza: Ministério do Meio Ambeinte e Secretaria dos recursos Hídricos, 2010, 372p.

CONTI, J. B. Desertificação nos trópicos: Proposta de metodologia de estudo aplicada ao nordeste brasileiro. 1995. Tese (Doutorado em Ciências: Geografia Física) - Universidade de São Paulo, São Paulo: 1995.

DALLEMOLE, D. Vantagens comparativas e degradação ambiental. Belém: Movendo idéias, v.8, n 14. p.54-59. Nov 2003.

DREGNE, H. Envergadura y difusión del processo de desertificación. In: Colonización de los territorios áridos y lucha contra la desertificación. Moscou: Programa das nações unidas para o meio ambiente - PNUMA. 1987. p.10-17.

FERREIRA, A. B. H.; Mini-Aurélio século XXI: o mini-dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 5a ed. 2001.

GUERRA, A. T. Dicionário geológico-geomorfológico. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e estatística - IBGE. 1975. 439p.

GUERRA, A. T.; GUERRA, A. J. T. Novo dicionário geológico-geomorfológico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 9a ed. 2011. 648p.

GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Degradação ambiental. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Org.) Geomorfologia e Meio ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 4a ed. p. 337-381. 2003.

______. Processos erosivos nas encostas. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Org.) Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. p. 149-199. 2007.

LIMA, M. D.V; RONCAGLIO, C. Degradação socioambiental urbana, políticas públicas e cidadania. Curitiba: Editora da UFPR. Desenvolvimento e Meio Ambiente. n.3. p. 53-63. Jan./jun. 2001.

MANEGUZZO, I. S. Análise da degradação ambiental na área urbana da bacia do arroio Gertrudes , Ponta Grossa, PR: uma contribuição ao planejamento ambiental. 2006. Dissertação ( Mestrado ciência do solo) - Universidade Federal do Paraná. Curitiba: 2006. 100p.

MANEGUZZO, I. S; CHAICOUSKI, A. Reflexões a cerca dos conceitos de degradação ambiental, impacto ambiental e conservação da natureza. Londrina: Geografia. v. 19 n.1. 2010.

MELO, A. S. T. Desertificação: etimologia, conceitos e indicadores. João Pessoa: Unipê. Revista do UNIPÊ. 1998. p. 49-56.

MENDONÇA, F. de A. Geografia e Meio Ambiente. 6 ed. São Paulo: Contexto, 2002. 80 p.

Ministério do Meio Ambiente (MMA). Convenção das nações unidas de combate à desertificação. 3a ed. brasileira. Brasília: secretaria de recursos hídricos - MMA, 2004a. 163p.

______. Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca, PAN-BRASIL. Edição Comemorativa dos 10 anos da Convenção das Nações Unidades de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca – CCD. Brasília: MMA, 2004b. 225p.

______. Atlas das áreas susceptíveis à desertificação do Brasil. Brasília: MMA, 2007. 134p.

NASCIMENTO, F. R. Degradação ambiental e desertificação no Nordeste Brasileiro: o contexto do rio Acaraú - Ceará. 2006. Tese (Doutorado em geografia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006. 325 p.

PEREIRA, G. A natureza (dos) nos fatos urbanos: produção do espaço e degradação ambiental. Curitiba: Editora da Universidade Federal do Paraná. Desenvolvimento e Meio ambiente, n.3, p. 33-51, jan/jun. 2001.

RÊGO, A. H. Os Sertões e os Desertos: o combate à desertificação e a política externa brasileira. Brasília: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG, 2012. 204 p.

ROSS, J. L. S. Geomorfologia: ambiente e planejamento. São Paulo: Contexto. 9a ed. Repensando a Geografia. 2012.

SOUZA, M. J. N.; Bases naturais e esboço do zoneamento geoambiental do estado do Ceará. In: LIMA, L. C.; MORAES, J. O.; SOUZA, M. J. N. Compartimentação territorial e gestão do Ceará. Fortaleza: Funece, 2000. 1-103. ISBN (85-87203-07-X)

______. Panorama da degradação ambiental, desertificação e entraves ao desenvolvimento sustentável do Ceará. In: PINHEIRO, D. R. C. Desenvolvimento sustentável: desafios e discussões. Fortaleza: ABC Editora, 2006a, p.33-35 (ISBN: 85-7536-181-3).

______. A problemática ambiental: cenários tendências para o bioma caatinga no Nordeste do Brasil. In: SILVA, J. B. da; LIMA, L. C; DANTAS, E. W. C. (org). Panorama da Geografia brasileira. São Paulo: ANABLUME. 2006b. p. 119 -133.

SUERTEGARAY, D. M. A. Desertificação: recuperação e desenvolvimento sustentável. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Org.) Geomorfologia e Meio ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 4a ed. p. 249-289. 2003.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: SUPREN, 1977. 97p.

WAQUIL, P. D.; FINCO, M. V. A.; MATTOS, E. J. Pobreza rural e degradação ambiental: uma refutação da hipótese do Círculo vicioso. Rio de Janeiro: RER. Vol. 42, n. 02, p. 317-340. Abr/jun 2004.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

DE SOUSA ALMEIDA, I. C. .; NOGUEIRA DE SOUZA, M. J. . CONVERGÊNCIAS E CONTROVÉRSIAS CONCEITUAIS SOBRE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL/DESERTIFICAÇÃO. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 142–156, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/7020. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos