CONTROLE ESTRUTURAL DA DRENAGEM NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO COREAÚ, CEARÁ, BRASIL

Autores

  • DANIEL DOS REIS CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE ENSINO DE FORTALEZA
  • FREDERICO DE HOLANDA BASTOS
  • ABNER MONTEIRO NUNES CORDEIRO

Palavras-chave:

Geomorfologia estrutural, Condicionamento da drenagem, Sub-domínio Médio Coreaú

Resumo

O presente estudo analisa o controle estrutural da drenagem na bacia hidrográfica do rio Coreaú (Ceará), situada no setor setentrional da Província Borborema. A pesquisa dividiu-se em levantamento bibliográfico, técnicas de geoprocessamento e pesquisas de campo. De maneira geral, nessa bacia predomina o padrão de drenagem dendrítico, com algumas ocorrências de padrão paralelo, treliça e radial, de onde se constata um nítido controle litoestrutural nessa diversidade morfométrica. Através da análise dos diagramas de rosetas foi possível identificar direções NE-SW/E-W como principais sentidos para as estruturas geológicas de caráter rúptil e lineamentos estruturais, em concordância com os padrões deformacionais regionais. Para os diagramas de rosetas elaborados por ordem de drenagem, percebeu-se que as direções NE-SW/E-W são bastante representativas, no entanto, houve significativa ocorrência da direção NW-SE se justificando pelos lineamentos estruturais positivos de direção predominante NE-SW (cristas quartzíticas), responsáveis por drenagens perpendiculares aos seus eixos. Sendo assim, os lineamentos estruturais e as estruturas rúpteis apresentam concordância com os trends regionais de direção NE-SW/E-W, influenciando direta e indiretamente na organização da rede de drenagem da bacia do rio Coreaú.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, F. B.; ROSSETTI, D. F. Influência Neotectônica no estabelecimento dos vales dos rios Paraíba e Mamanguape, norte da bacia do Paraíba (PB). Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 517-532. 2016.

BERTOLINI, W. Z.; CHEREM, L. F. S. Relação entre o relevo e a drenagem na análise da condição de equilíbrio no alto rio Piranga (MG). Geografias, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 102-118. 2016.

BRICALLI, L. L. Procedimentos metodológicos e técnicas em Geomorfologia Tectônica. Espaço Aberto, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 75-110. 2016.

BRITO NEVES, B. B. América do Sul: quatro fusões, quatro fissões e o processo acrescionário andino. Revista Brasileira de Geociências, v. 29, n. 3, p. 379-392, 1999.

BRITO NEVES, B. B.; SANTOS, E. J.; VAN SCHMUS, W. R. Tectonichistoryofthe Borborema Province, NortheasternBrazil. In: CORDANI, G. U.; MILANI, E. J.; THOMAZ FILHO, A.; CAMPOS, D. A. (Eds.). Tectonic evolution of South America. 31. International Geological Congress. Rio de Janeiro, 2000. p. 151-182.

CHARLTON, R. Fundamentals of fluvial geomorphology.New York: Routledge, 2008.280p.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia fluvial. São Paulo: Blucher, 1980.188p.

CLAUDINO SALES, V.; LIRA, M. V. Megageomorfologia do noroeste do Estado do Ceará, Brasil. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 12, n. 38, p. 200-209. 2011.

CORDEIRO, A. M. N. Morfoestrutura e morfopedologia da serra do Quincuncá e entorno, Ceará, Brasil. 251f. Tese (Doutorado em Geografia)- Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2017.

COUTO, E. V.; MANIERI, D. D.; MANOSSO, F. C.; FORTES, E. Correlação morfoestrutural da rede de drenagem e lineamentos da borda planáltica, Faxinal, Paraná. Geociências, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 315-326. 2011.

COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS. Atlas digital de geologia e recursos minerais do Ceará. Mapa na escala de 1:500.000. Fortaleza: Serviço Geológico do Brasil/Ministério das Minas e Energia, 2003.

ELORZA, M. G. Geomorfología. Madrid: Pearson Educación, 2008.920p.

ETCHEBEHERE, M. L. C.; SAAD, A. R.; FULFARO, V. J. Análise de bacias aplicada à prospecção de água subterrânea no Planalto Ocidental Paulista, SP. Geociência, UNESP, v. 26, n. 03, p. 229-247, 2007.

FREE SOFTWARE FOUNDATION. Licenças de Software Livre. 1999. Disponível em: <http://www.gnu.org/licenses/licenses.pt-br.html>. Acesso em: 10 de setembro de 2018.

FREITAS, R. O. Textura de drenagem e sua aplicação geomorfológica. Boletim Paulista de Geografia, n.11, p.53-57, 1952.

GOMES NETO, A. O. Neotectônica do baixo vale do rio Jaguaribe – Ceará. 2007. 181f. Tese (Doutorado em Geologia Regional)- Programa de Pós-Graduação em Geologia, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2007.

GONTIJO, A. H. F. Morfotectônica do médio vale do rio Paraíba: região da Serra da Bocaina, Estados de São Paulo e Rio de janeiro. 259f. Tese (Doutorado em Geologia)-Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Campus Rio Claro, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 1999.

GUEDES, I. C.; SANTONI, G. C.; ETCHEBEHERE, M. L. C; STEVAUX, J. C.; MORALES, N.; SAAD, A. R. Análise de perfis longitudinais de drenagens da bacia do rio Santo Anastácio (SP) para a detecção de possíveis deformações neotectônicas. RevistaUnG - Geociências, v. 5, n. 1, p. 75-102, 2006.

HOWARD, A. D. Drainage analysis in geologic interpretation: a summation. Bulletin Amarerican Association of Petroleum Geologist, v. 51, n. 11, p. 2246-2259. 1967.

LIMA, M. I. C. Análise de drenagem e seu significado geológico-geomorfológico. Belém: UFPA, 2006.194p.

MABESSONE, J. M. História geológica da Província Borborema (NE Brasil). Revista de Geologia, v. 15, p. 119-129. 2002.

MAIA, R. P.; BEZERRA, F. H. R. Tópicos de geomorfologia estrutural: Nordeste brasileiro. Fortaleza: Edições UFC, 2014a. 124p.

MAIA, R. P.; BEZERRA, F. H. R. Condicionamento estrutural do relevo no Nordeste setentrional brasileiro. Mercator, Fortaleza, v. 13, n. 1, p. 127-141. 2014b.

______. Tectônica pós-Miocênica e controle estrutural de drenagem no rio Apodi-Mossoró, Nordeste do Brasil. Boletim de Geografia, Maringá, v. 31, n. 2. p. 57-68. 2013.

______. Neotectônica, Geomorfologia e Sistemas Fluviais: uma análise preliminar do contexto nordestino. Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 37-46. 2011.

MAIA, R. P.; BEZERRA, F. H.; CLAUDINO-SALES, V. Vales fluviais do NE: Considerações geomorfológicas. OKARA: Geografia em debate, João Pessoa, v. 2, n. 2, p. 177-189. 2008.

MERTES, L. A. K.; MAGADZIRE, T. Large rivers from space. p. 535-552. In: GUPTA, A. (Eds.). Large Rivers: Geomorphology and management. United Kingdon: John Wiley & Sons, 2007.689p.

MORAIS, E. S.; CREMON, E. H.; SANTOS, M. S.; SOUZA FILHO, E. E.; STEVAUX, J. C. Orientação da drenagem como resposta a controles geomorfológicos: análise do córrego Dourado, Paraná-Brasil. Boletim de Geografia, Maringá, v. 28, n. 2, p. 127-135. 2010.

PENTEADO, M. M. Fundamentos de geomorfologia. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1983.186p.

PEULVAST, J. P.; BÉTARD, F. Landforms and Landscape Evolution of the Equatorial Margin of Northeast Brazil.NewYork:Springer Earth System Sciences Series, 2015.186p.

QUEIROZ, G. L.; SALAMUNI, E.; NASCIMENTO, E. R. AzimuthFinder: ferramenta para a extração de dados e apoio na análise estrutural. Geologia USP, Série Científica, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 69-80. 2014.

SAADI, A.; TORQUATO, J. R. Contribuição à neotectônica do Estado do Ceará. Revista de Geologia, Fortaleza, v. 5, p. 5-38. 1992.

SCHUMM, S. A.; DUMONT, J. F.; HOLBROOK, J. M. Active tectonicsandalluvialrivers. Cambridge: Cambridge University Press, 2002. 292p.

SILVA, M. B.; MAIA, R. P. Caracterização morfoestrutural do alto curso da bacia hidrográfica do rio Jaguaribe, Ceará-Brasil. RevistaBrasileira de Geomorfologia, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 637-655. 2017.

SUMMERFIELD, M. A. Global geomorphology: an introduction to the study of landforms. New York: John Wiley & Sons, 1991. 537p.

THOMAS, M. F. Geomorphology in the tropics: a study of weathering and denudation in low latitudes. England: John Wiley& Sons Ltd, 1994.460p.

TORQUATO, J. R. A Geologia do noroeste do Ceará (Uma revisão histórica). Revista de Geologia, Fortaleza, v. 8, p. 5-183. 1995.

TORQUATO, J. R.; NOGUEIRA NETO, J. A. Historiografia da região de dobramentos do médio Coreaú. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v. 26, n. 4, p. 303-314. 1996.

VARGAS, K. B.; SORDI, M. V.; COUTO, E. V.; FORTES, E. Extração de lineamentos para identificação de controles estruturais no município de Mauá da Serra – PR. Revista Equador, Teresina, v. 4, n. 3, p. 322-328. 2015.

VERVLOET, R. J. H. M. Elementos de geomorfologia estrutural: estudo aplicado a região serrana do Espírito Santo. Vitória: Editora Livre, 2015.196p.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Como Citar

CAVALCANTE, D. D. R.; BASTOS, F. D. H.; CORDEIRO, A. M. N. CONTROLE ESTRUTURAL DA DRENAGEM NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO COREAÚ, CEARÁ, BRASIL. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 9, n. 17, p. 152–168, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/3640. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos