PRÁTICAS PRODUTIVAS E DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NO REORDENAMENTO TERRITORIAL DO ALTO JAGUARIBE – CEARÁ

Autores

  • Cristiane E Castro Feitosa Melo

Palavras-chave:

PRÁTICAS PRODUTIVAS, CONSERVAÇÃO AMBIENTAL, POLÍTICAS PÚBLICAS, PENSAMENTO SUSTENTÁVEL, ALTO JAGUARIBE

Resumo

ao longo da história o homem, inserido em sua sociedade, tem estabelecido relações com a natureza, utilizando-se dos meios em que esta disponibiliza, causando assim um uso desenfreado, que ao longo dos séculos, gerou uma cadeia de consequências não só ambientais, como também sociológicas e econômicas. estas mesmas consequências abordam vários debates e é de suma preocupação para com a humanidade atualmente, pautando as práticas agropecuárias bem como o pensamento sustentável. da colonização à distribuição de sesmarias e a consolidação dos portugueses nas terras cearenses, vê-se o uso descabido e o não comprometimento para com os recursos naturais, principalmente nas áreas do ceará, mais precisamente, do alto jaguaribe. para tanto, com principal objetivo a percepção do comparativo com o passado-presente, tendo em vista os recursos que não mais existem, tanto da fauna como a flora e ainda as profundas mudanças sociais com seus cenários de vulnerabilidade. além da avaliação das práticas produtivas e de conservação e dos indicadores socioambientais no reordenamento do território do alto jaguaribe, com vistas a expressar as políticas públicas. tais transformações resultantes da relação sociedade e natureza, têm se intensificado de forma abrupta pela própria mercantilização dos recursos naturais. no conjunto da paisagem, verificam-se várias formas de organização espacial. nessa perspectiva baseando-se na metodologia sistêmica, estudando e diagnosticando tais processos, realizou-se uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso etnográfico, ainda com o colhimento de fotografias e observações in loco. além de entrevistas não sistematizadas, sendo possível ter o entendimento da problemática como um todo, no qual o embasamento teórico-metodológico abordado de forma crítica quando se trata de atividades relacionadas ao uso da terra. nesse levantamento, parte-se do pressuposto básico de que a vegetação representa a resposta última, que deriva do complexo das relações mútuas entre os componentes do potencial ecológico. constituindo a melhor expressão sintética dos dados abióticos do ambiente, a vegetação tem influências múltiplas sobre sua dinâmica, uma vez que interfere na ação dos processos morfoclimáticos, os quais influem sobre a pluviosidade e sobre a temperatura do solo e do ar. em suma, interfere no acionamento dos processos morfogenéticos e dos processos pedogenéticos. partindo-se dessa sucessão de consequências, mediante aos comportamentos antrópicos sob a área na qual convive, além da separação em sub-bacias da área estudada como um todo e ainda analisando suas características naturais, pôde-se perceber que a ação de um influenciou o meio comportamental do outro e vice versa, resultando assim na atual sociedade dependente das políticas públicas para manter-se no atual meio natural. é de importância um planejamento territorial considerando as caracterizações da área, como as da população que ali vive, assim uma análise geoambiental e o estudo quanto à capacidade de suporte dos sistemas ambientais são os principais fatores para entender como planejar de forma sustentável o território, tarefa esta cabida, a princípio, o estado através da reeducação social quanto ao pensamento sustentável. dessa forma, o trabalho busca mostrar que é possível recuperar a área degradada do semiárido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAPES

Publicado

2021-08-28

Como Citar

FEITOSA MELO, C. E. C. . PRÁTICAS PRODUTIVAS E DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NO REORDENAMENTO TERRITORIAL DO ALTO JAGUARIBE – CEARÁ. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 4, n. 7, p. 202–203, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/6934. Acesso em: 23 out. 2021.

Edição

Seção

Defesa do PropGEO