AS PRÁTICAS ESPACIAIS DOS PROMOTORES IMOBILIÁRIOS E OS PADRÕES DE PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM MACAÉ-RJ

Autores

Palavras-chave:

práticas espaciais, promotores imobiliários, produção imobiliária, Macaé-RJ.

Resumo

A produção imobiliária capitalista tem um papel central na estruturação das cidades. Mesmo que responda por uma percentagem relativamente pequena da produção imobiliária total de uma cidade ela tem um papel central na definição da estrutura relacional dos preços dos imóveis bem como na definição das formas de segregação sócio-espacial. Dessa maneira, compreender todos os nuances relacionadas a produção imobiliária capitalista é fundamental para a pesquisa das formas de urbanização capitalista, e assim sendo extensa literatura tem se dedicado a essa temática. Ao se inserir dentro dessa tradição, o presente trabalho busca discutir como as práticas espaciais dos promotores imobiliários se articulam com os padrões de produção imobiliária na cidade de Macaé, município do interior do Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Oséias Teixeira da Silva, Instituto Federal Fluminense - IFF (Membro do RELAEE - Rede Latino Americna Espaço e Economia))

Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo - USP, cuja tese de título: O ponto de ruptura: reestruturação espacial na região metropolitana do Rio de Janeiro, foi defendida em 2016 e elaborada sob a orientação da professora Sandra Lencioni. Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, cuja dissertação de mestrado de título: Centralidade e produção do espaço urbano em Alcântara - São Gonçalo (RJ), foi defendida em 2012 e elaborada sob a orientação do professor William Ribeiro. Desde Setembro de 2014 venho atuando como professor efetivo no Instituto Federal Fluminense, lecionando em disciplinas para cursos de Ensino Médio Integrado, Licenciatura em História e Mestrado em Engenharia Ambiental. Atuo junto ao Observatório das Metrópoles, como parte da equipe do projeto temático a megarregião Rio de Janeiro X São Paulo, sob coordenação da Professora Sandra Lencioni. Integro ainda o Observatório dos Municípios Produtores de Petróleo do Estado do Rio de Janeiro, realizando análises relacionadas as condições de moradia desses municípios.

Referências

ABREU, Maurício de Almeida. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Instituto Pereira Passos, 2006.

ALMEIDA, Roberto Schmidt de. Atuação recente da incorporação imobiliária no município: tendências espaciais vigentes e alternativas futuras. Dissertação (Mestrado em Geografia - Programa de Pós Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1982.

CORRÊA, R. L. C. Sobre agentes sociais escala e produção do espaço. In: CARLOS, A. F. A.;

OUZA, M. L. S.; SPOSITO, M. E. B. A produção do espaço urbano. São Paulo: Contexto, 2011.

CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1995.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

GRANT, J. L.; GILIARD, R. Armed compounds and broken arms: the cultural production of gated communities. Annals of Association of American Geographers, n. 99, vol. 3, p 575- 589, 2009.

GRANT, Jill L.; ROSEN, Gillad. Armed Compounds and Broken Arms: The Cultural Production of Gated Communities. Annals of the Association of American Geographers, v. 99, n. 3, p. 575–589, 2009.

HOYT, Homer. The pattern of movement of residential rent. In: FYFE, N.; J. T. Kenny (org). The urban geography reader. London: Routdledge, 2005.

LEFEBVRE, Henri. The production of space. Cambridge: Basil Blackwell, 1991.

MOLOTOCH, Harvey. The city as a growth machine: toward a political economy of place. American Journal of Sociology, vol. 82, n. 2, 1976.

OLIVEIRA, C. M. P.; SHIMBO, L. Z. O “padrão econômico” da habitação: construindo uma trajetória de mercado. Anais do XIV Enampur, Rio de Janeiro, Anpur, 2011.

PEREIRA, Paulo César Xavier. São Paulo: globalización y transicion metropolitana. Scripta Nova, Barcelona, vol. 12, n. 270, 2008.

PESSANHA, Roberto Moraes. Relação transescalar e multidimensional “Petróleo-Porto” como produtora de novas territorialidades. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e Formação Humana), Programa de Pós Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

RUFINO, Beatriz. Ascensão da Associação Brasileira de Incorporadoras (ABRAINC) na financeirização do setor imobiliário-habitacional. Anais XVIII ENANPUR, Natal, Anpur, 2019.

SANTOS, Carlos Nelson Ferreira dos. Formações metropolitanas no Brasil, mecanismos estruturantes. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984.

SILVA, Carlos Alberto Franco da. A segregação residencial carioca sob a égide do capital incorporador. Revista Brasileira de Geografia, vol. 57, n. 2, p 5-27, 1995.

SILVA, Oséias Teixeira da. O processo de integração urbana em discussão: o papel dos deslocamentos pendulares na conformação de uma aglomeração urbana não-metropolitana. Revista Espaço e Economia, vol. 8, n.16, 2019.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. O chão arranha o céu: a lógica da (re)produção monopolista da cidade. Tese (Doutorado em Geografia) Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1991.

VILAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1998.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

DA SILVA, O. T. AS PRÁTICAS ESPACIAIS DOS PROMOTORES IMOBILIÁRIOS E OS PADRÕES DE PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA EM MACAÉ-RJ. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 10, n. 18, p. 19–41, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/4188. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos