ANÁLISE DA RESPOSTA ESPECTRAL DA VEGETAÇÃO APÓS INCÊNDIOS: ESTUDO DO PARQUE ESTADUAL DE JARAGUÁ (GO)

Autores

  • Matheus Bleza Santos Universidade Federal de Goiás
  • Karla Maria Silva de Faria Universidade Federal de Goiás
  • Gervásio Barbosa Soares Neto Instituto Federal de Brasília

Palavras-chave:

Fogo, Cerrado, NDVI, NBR

Resumo

A conversão do bioma Cerrado ao longo das décadas tem provocado as mais variadas discussões em torno da sua viabilidade econômica e ecológica. Nesse sentido, o objetivo desse estudo é avaliar a recuperação de uma área protegida que sofreu queima a partir dos índices NDVI e NBR. Observou-se que os baixos valores do NDVI confirmam a grande propagação do fogo e a alteração o sistema foliar das plantas. Os valores médios de pluviosidade para o período estudado não possuem alterações de forma significante, variando de um ano para o outro em torno de 5 mm, indicando a não influencia da chuva na equação. Já os valores de NBR (Normalized Burned Ratio) apresentaram forte taxa de rebrotamento das espécies atingidas pela queima. O intervalo entre < -0.25, por exemplo, apresentou uma porcentagem aproximada de 86% da área de estudo. Em paralelo, as regiões que se caracterizam como “não queimadas” e com baixa recuperação após a passagem do fogo estão isoladas entre mata de galeria e matas ciliares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Bleza Santos, Universidade Federal de Goiás

Graduando em Geografia Bacheralado

Referências

BARROS, J.R. A chuva no Distrito Federal: o regime e as excepcionalidades do ritmo. 2003. xii, 221 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2003.

CARVALHO, J. X. De. FOGO NO CERRADO: Causas e Consequências da Ação do Fogo no Bioma Cerrado no Município de Goiás. 2009. 112 f. Monografia – Universidade Estadual de Goiás, 2009.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO). Panorama de la seguridad alimentaria y nutricional. Santiago, 2018.

KLINK, C.A.; MOREIRA, A.G. A conservação do Cerrado brasileiro. Megadiversidade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 148-155, 2005.

KOUTSIAS, N.; KARTERIS, M. Logistic regression modelling of multitemporal Thematic Mapper data for burned area mapping. International Journal of Remote Sensing, v. 19, p. 3499–3514, 1998.

MYNENI, R.B.; Hall, F.G.; Sellers, P.J.; Marshak, A.L. The interpretation of spectral vegetation indexes. IEEE Transactions on Geoscience and Remote Sensing, v.33, p.481-486, 1995.

ROUSE, J. W.;R. H. Haas; J. A. Schell; D. W. Deering. Monitoring vegetation systems in the Great Plains with ERTS. Third ERTS Symposium, NASA SP-351 I, 309317, 1973.

SALOMÃO, F.X.T. Controle e prevenção dos processos erosivos. In Guerra A.J.T, Silva A.S., Botelho R.G.M(org.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 1999. p. 229-67

Downloads

Publicado

2020-07-21

Como Citar

SANTOS, M. B.; FARIA, K. M. S. de; SOARES NETO, G. B. ANÁLISE DA RESPOSTA ESPECTRAL DA VEGETAÇÃO APÓS INCÊNDIOS: ESTUDO DO PARQUE ESTADUAL DE JARAGUÁ (GO). Revista GeoUECE, [S. l.], v. 9, n. 2 Especial, p. 63–72, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/2197. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos