A concepção de homem nos Manuscritos econômico-filosóficos (1844) de Karl Marx

pressuposto necessário para a concepção de educação marxiana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33241/cadernosdogposshe.v7i2.10960

Palavras-chave:

Educação, Homem, Karl Marx, Manuscritos econômico-filosóficos

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo apresentar a concepção de homem presente nos Manuscritos econômico-filosóficos (1844) de Karl Marx como pressuposto necessário para a ideia de educação na obra marxiana. O estudo é fruto de uma pesquisa bibliográfica, de abordagem qualitativa, de natureza básica, de objetivos exploratórios e explicativos. Durante o desenvolvimento desta pesquisa, verificou-se que Marx não aceita um conceito abstrato de homem, ou seja, idealizado, apenas imaginado, pensado fora do mundo natural ou como um ser que existe independente do mundo natural. Para Marx, o homem é um ser genérico. Ele é o único capaz de ter a sua espécie (e o sentimento de si próprio) e o gênero como seu objeto. O homem tem atividade vital consciente e livre. O homem é um ser natural vivo, material, um ser de carências e limitações que possui uma estreita relação com a natureza inorgânica que existe independente dele e que, ao mesmo tempo, mantém uma conexão íntima (estreita) com ele. O homem é um ser histórico e social. Ele necessita viver em sociedade para se realizar enquanto tal. Ainda, neste artigo, verificou-se que o pensador alemão está preocupado com uma formação (educação) omnilateral do homem e, concomitantemente, com o desenvolvimento de uma forma de sociedade capaz de produzir e garantir um homem plenamente rico e profundo na sua permanente efetividade humana e social.   

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Salvador de Almeida, Universidade Estadual do Ceará, UECE

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE-UECE). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Ceará (PPGE-UFC), com a pesquisa intitulada "A relação trabalho-educação na formação do ser social: um estudo de Marx de 1844 a 1848." (2019). Possui graduação em História (Licenciatura Plena) pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2012) e graduação em Filosofia (Bacharelado) pela Universidade Federal do Ceará (2022). Membro do Grupo de Estudos Marxistas (GEM/UFC), vinculado ao Eixo Marxismo, Teoria Crítica e Filosofia da Educação do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Ceará (PPGE-UFC). Membro do Grupo de Pesquisa Ontologia do Ser Social, História, Educação e Emancipação Humana (GPOSSHE). Atualmente, é bolsista vinculado a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) e desenvolve suas pesquisas nas áreas de História da educação, filosofia da educação, marxismo e teoria crítica da educação.

Frederico Jorge Ferreira Costa, Universidade Estadual do Ceará, UECE

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Ceará (1996), Mestre Em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2000) e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2007). Em 2016-2017 fez estágio pós-doutoral em Filosofia Política na Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Educação de Itapipoca da Universidade Estadual do Ceará - FACEDI/UECE, professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará - PPGE/UECE, professor do Mestrado Acadêmico em Serviço Social, Trabalho e Questão Social da Universidade Estadual do Ceará - MASS/UECE, membro do conselho editorial da Revista Outubro (São Paulo) (ISSN 1516-6333) e Coordenador-geral do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário. Líder do Grupo de Pesquisa Ontologia do Ser Social, História, Educação e Emancipação Humana (GPOSSHE).

Referências

CHAGAS, E. F. (2008). Diferença entre alienação e estranhamento nos manuscritos econômicos-filosóficos (1844) de Karl Marx. Educação E Filosofia, 8(16), 23–33. Disponível em: https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v8n16a1994-1023. Acesso em: 15 nov. 2022.

FROMM, Erich. O conceito marxista do homem. Tradução de Octavio Alves Velho. 8ª edição. RJ: Zahar editores S.A. 1983.

LESSA, Sérgio. Trabalho e proletariado no capitalismo contemporâneo. São Paulo: Cortez, 2007.

LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval. Marxismo e educação: debates contemporâneos. 2 ed. Campinas. SP, Autores Associados: HISTEDBR, 2008.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. Tradução de Carlos Nelson Coutinho, Mario Duayer e Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2012.

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. [tradução Newton Ramos de Oliveira]. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel – Introdução. In: MARX. Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. Tradução de Rubens Enderle e Leonardo de Deus; [supervisão e notas de Marcelo Backes]. – [2. ed revista]. – São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã: Crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas, [1845-1846]. Tradução: Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo editorial, 2007.

MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. Organização e introdução de Osvaldo Coggiola. São Paulo. Editorial Boitempo, 2020.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. Tradução, apresentação e notas Jesus Ranieri. [4. reimpr.]. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. Marx Sobre Feuerbach (1845). In: MARX, Karl. ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas, [1845-1846]. Tradução: Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo editorial, 2007.

MUSTO, Marcello. Repensar Marx e os marxismos. Tradução Diego Silveira. São Paulo: Boitempo, 2022.

SÁNCHEZ VÁZQUEZ, Adolfo. Filosofia da práxis. 1ª. ed. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO; São Paulo: Expressão Popular, Brasil, 2007.

SOBRAL, Fábio Maia. Concepção circular de homem em Marx: um estudo a partir dos Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844. São Paulo: Editora Nojosa, 2005.

Downloads

Publicado

2023-11-17

Como Citar

ALMEIDA, J. S. de; COSTA, F. J. F. A concepção de homem nos Manuscritos econômico-filosóficos (1844) de Karl Marx: pressuposto necessário para a concepção de educação marxiana. Cadernos do GPOSSHE On-line, [S. l.], v. 7, n. 2, 2023. DOI: 10.33241/cadernosdogposshe.v7i2.10960. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/CadernosdoGPOSSHE/article/view/10960. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo