Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • Todos os autores deverão obrigatoriamente validar e autenticar o seus cadastros do ORCiD, em seus respectivos perfis. Este procediemnto é feito na aba Público do perfil de cada autor.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em “Comentários ao Editor”.
  • Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão no tocante a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • Os arquivos para submissão devem estar em formato .docx ou .doc do Microsoft Word.
  • As URL para as referências são informadas e acompanhadas da respectiva data de acesso à obra.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores.
  • O texto segue as orientações de formato especificadas; as figuras e tabelas devem ser inseridas no corpo do texto acompanhadas dos respectivos títulos e legendas segundo as normas ABNT 6022/2018. Não são aceitos trabalhos com figuras e tabelas no final do documento na forma de anexos.
  • Não há identificação da autoria do trabalho no arquivo e em opções das propriedades do arquivo, garantindo o critério de anonimato.

Diretrizes para Autores

Os Cadernos do GPOSSHE On-line é um periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará - PPGE/UECE, com Qualis B4 Educação pela Capes (2017/2018), que publica trabalhos originais (que não tenham sido publicados em outro periódico, Anais de evento, página da web ou qualquer outro veículo de divulgação), elaborados por, no máximo, quatro autores.

  • Entende-se como autor todo aquele que tenha participado efetivamente da concepção da pesquisa, do desenvolvimento, da interpretação dos dados e de todo o processo de revisão e aprovação da versão final do artigo.
  • Este periódico publica artigos científicos, resenhas, ensaios, entrevistas, memoriais acadêmicos e documentos, segundo o perfil de cada Chamada, garantindo o foco em Educação, considerada a subárea de Política Educacional.
  • Este periódico adota procedimentos que evitem conflitos de interesses durante as etapas de avaliação dos artigos submetidos. Para não identificar os autores do trabalho, não são permitidos quaisquer indícios, explícitos ou implícitos, de autoria no corpo do texto. Recomenda-se o registro tipográfico “autor_1” em substituição ao nome do(s) autor(es) e das instituições em que se encontram vinculados. No caso de aprovação para publicação, a equipe editorial buscará as informações de autoria nos metadados do texto. Portanto, é de fundamental importˆância o preenchimento completo dos metadados no seu perfil de autor.
  • São aceitos trabalhos redigidos em língua portuguesa, espanhola e inglesa. No caso de artigos escritos em outra língua que não o português, é necessário que sejam acompanhados de título, resumo e palavras-chave em português. Os trabalhos deverão ter um título que indique claramente o foco principal do estudo.
  • Seguindo a Lei de Direitos Autorais brasileira, Lei n.º 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, as opiniões e os conceitos emitidos nos trabalhos, o estilo de redação, a exatidão, adequação e fidelidade da procedência das citações bibliográficas são de exclusiva responsabilidade do(s) autor(es).

Os Cadernos do GPOSSHE On-line reserva-se ao direito de apenas publicar textos que estejam inteiramente conformes com a norma culta da língua em que se apresentam. Para tanto, todos os textos são submetidos a uma revisão final de profissionais selecionados pela própria revista. Essa revisão final não dispensa a obrigatoriedade de que os textos se apresentem no processo de submissão já devidamente corrigidos pelo(s) autor(es) – sendo a qualidade de linguagem do texto um dos critérios preliminares para sua aprovação.

A publicação de um trabalho implica automaticamente a cessão dos direitos autorais aos Cadernos do GPOSSHE On-line, podendo ser posteriormente publicado em outros veículos de informação, mediante autorização de nossa editoria científica, comunicando a publicação original no periódico desejado, destacando: volume, número e ano.

Textos decorrentes de estudos que tenham envolvido seres humanos devem ser acompanhados de documento comprobatório da aprovação da pesquisa por parte da Comissão ou Comitê de Ética da instituição na qual foi realizada a pesquisa, conforme Resolução n.º 510, de 07/04/2016, do Conselho Nacional de Saúde, aplicável às áreas de Ciências Humanas e Sociais, após a aceitação do trabalho para publicação.

Estudos realizados com apoio de instituições de fomento à pesquisa podem inserir nota final de agradecimento a essas instituições.

Os Cadernos do GPOSSHE On-line reserva-se ao direito de não publicar artigos de um mesmo autor em intervalos menores que 12 meses, além de poder recusar um trabalho sobre o qual tenham sido feitas ressalvas e/ou solicitadas alterações pelos pareceristas, as quais não foram atendidas. A submissão de trabalhos deve ocorrer segundo as normas de formatação de textos adotadas conforme o Template disponível a seguir.

Em caso de aceite do trabalho, os autores deverão apresentar Declaração de Autoria e Responsabilidade pelo Conteúdo Publicado, inclusive das traduções dos resumos e das palavras-chave em língua estrangeira.

Os trabalhos científicos devem ser submetidos exclusivamente por via cadastro no site desta revista.

  • Os trabalhos submetidos podem ser dos seguintes Tipos/Categorias:
  1. Artigo: relato de investigação concluída, visando atender aos princípios de originalidade, objetividade e clareza da questão norteadora. O trabalho deve representar uma contribuição relevante para a área da Educação, em especial na subárea de Política Educacional, e o campo da investigação conter referencial teórico consistente, atual e coerente com a problemática em estudo e com a metodologia adotada, apresentando argumentação explícita e sustentável na análise dos dados e na discussão dos resultados, com correção de linguagem e indicação do potencial para tornar-se referência para outros estudos e pesquisas. Os artigos devem ter entre 12 e 25 páginas excluindo: resumo, abstract, resumen e referências.
  2. Resenha: resenha de livro relacionado à Educação, ou à subárea Política Educacional e ao campo de confluência dos Cadernos do GPOSSHE On-line. As resenhas devem apresentar, no início, a referência completa da obra analisada, a qual deve ter sido publicada nos últimos cinco anos, escrita originalmente em português ou em outras línguas (inglês, espanhol, francês, italiano). Devem ter entre 5 a 10 páginas, sendo redigidas com espaço 1,5 entrelinhas, em fonte Garamond, tamanho 11.
  3. Ensaio: análise crítica acerca de tema de relevância e interesse para a área da educação, versando sobre aspectos candentes que influem nas concepções, políticas e práticas curriculares. O texto deve seguir as mesmas normas previstas para a publicação de artigos.
  4. Entrevistas: texto resultante de interação presencial ou remota entre duas ou mais pessoas, estruturado, em geral, na forma de perguntas e respostas, com pensadores de referência sobre temas candentes na área da educação, que não tenham sido publicadas em outros periódicos de língua portuguesa ou em outros meios de comunicação e informação, devendo conter entre 10 e 20 páginas.
  5. Memoriais acadêmicos e Documentos: documentos atuais e históricos, tanto normativos quanto doutrinários, propositivos ou narrativos, com o objetivo de preservar ou resgatar a memória da educação e de educadores (até 40 páginas). Esta categoria é reservada à proposição da equipe editorial.

Todos os trabalhos devem obedecer à NBR 6022/2018 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e às normas da American Psychological Association (APA), em caso de artigos internacionais.

O corpo do trabalho deve começar com a INTRODUÇÃO seguida das demais SEÇÕES, que constituem o desenvolvimento e a CONCLUSÃO, enunciados por títulos digitados em maiúsculas, com a mesma fonte do corpo do texto, em negrito e com numeração, ajustados à margem esquerda. Ao final devem vir as REFERÊNCIAS (sem enumeração) seguidas das NOTAS, se houver, com comentários e informações referentes ao texto. As Subseções, quando houver, devem seguir a formatação das seções, porém com letras minúsculas e apenas a primeira letra maiúscula.

As citações devem seguir a NBR 10520/2002, da ABNT, a qual determina que:

  • Citações diretas com até três linhas devem vir inseridas no texto e colocadas entre aspas duplas. Devem constar a indicação do autor da citação.

Exemplos:

  1. Ao final da citação: “Citação de parágrafo” (LUKÁCS; MARX, 2019, p. 123).
  2. No início do parágrafo ou inserida no texto: Segundo Lukács (2018, p. 123) “Citação”, ou Konder (2020, p. 100) diz que: “[...] citação”.
  3. Citações indiretas ou paráfrase (texto baseado na obra do autor consultado) devem seguir os mesmos critérios anteriores para a referência do autor, se fora dos parênteses, o sobrenome começa com maiúscula e depois letras minúsculas; se entre parênteses, o sobrenome aparece em letras maiúsculas.
  4. Devem ser usados os seguintes recursos nas citações: [...] para indicar supressões e [---] para indicar interpolações, acréscimos ou comentários.

As referências deverão ser redigidas segundo as normas da ABNT (NBR 6023/2018 e suas edições seguintes). As obras referenciadas devem apresentar a configuração: Garamond , tamanho 11, alinhamento à esquerda, espaçamento simples entrelinhas da mesma referência, inserir uma linha simples entre cada referência. São obrigatórios o nome e o sobrenome dos autores por extenso.

Exemplos:

  • Artigo em periódico eletrônico

MARTINS, L. M.; LAVOURA, T. N. Fundamentos teórico-filosófico e suas determinações nas teorias pedagógicas da educação escolar. Cadernos do GPOSSHE On-line, v. 3, n. 1, p. 1–20, 2019. DOI: 10.33241/cadernosdogposshe.v3i1.1986. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/CadernosdoGPOSSHE/article/view/1986. Acesso em: 27 nov. 2021.

  • Livro

APPLE, Michael W. Educação e poder. 2. ed. Porto Alegre: Arte Médicas, 1989.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

  • Capítulo de livro

LIMA, Maria Aires de. Educação do campo: novo projeto de educação, novo projeto de sociedade. In: COSTA, Frederico Jorge Ferreira; PEREIRA, Karla Raphaella Costa; DE PAULA, Alisson Slider do Nascimento (Orgs.). Escolas de Ensino Médio do campo no Ceará: dialética da formação de professores. Curitiba: CRV, 2020.

  • Teses de doutorado

HORTA, Carlos Roberto. Mutirão, Trabalho e Formação Humana: forjando novas relações entre o saber e o poder. 2016. 656p. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

  • Dissertações de mestrado

LIMA, Maria Aires de. Educação do campo: novo projeto de educação, novo projeto de sociedade. In: COSTA, Frederico Jorge Ferreira; PEREIRA, Karla Raphaella Costa; DE PAULA, Alisson Slider do Nascimento (Orgs.). Escolas de Ensino Médio do campo no Ceará: dialética da formação de professores. Curitiba: CRV, 2020.

  •  Resumos de congresso, fóruns, seminários

WACHOWICZ, Lilian Anna. O método didático e sua fundamentação na lógica dialética. In: V Fórum de Pró-Reitores de Graduação. Curitiba: UFPR, 1992.

  • Dados fornecidos por agências governamentais (Secretarias, Ministérios, IBGE etc.), catálogos, centros de documentação, repertórios.

UNESCO. Directory of Educational Research Institutions. 2. ed. Paris, UNESCO, 1986. SMS-RJ (Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro). 2000.

Dados sobre acidentes ocupacionais com material biológico. Rio de Janeiro: Programa de DST-Aids /Coordenação de Doenças Transmissíveis / Superintendência de Saúde Coletiva -SMS-RJ. Leis, Decretos, Portarias BRASIL. 1996.

Lei no. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Publicada Diário Oficial da União, DF, Ano CXXXIV, n° 248, p. 27.833 - 27.841.

  • Artigo de jornal sem indicação de autoria (fonte impressa)

O GLOBO. Fórum de debates discute o projeto Educando o Cidadão do Futuro. O Globo, Rio de Janeiro, 6 jul. Caderno 1, 2001, p. 18.

  • Artigo de jornal com indicação de autoria (fonte impressa)

TOURAINE, Alan. Uma resistência possível. Folha de São Paulo, 3 jul., Caderno Mais, no. 486, 2001, p. 18-20.

  • Filmes e vídeos em meio eletrônico

CIDADE de Deus. Direção de Fernando Meirelles. Rio de Janeiro: Globo Filmes, 2002. 1 DVD (130 min.).

NINGUÉM NASCE RACISTA. Continue Criança. 2016. vídeo (3m40s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qmYucZKoxQA. Acesso em: 21 ago. 2019.

Demanda Contínua

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.