SEMIÁRIDO, USO E OCUPAÇÃO E DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: O CASO DA SERRA DO ESTÊVÃO EM QUIXADÁ – CE

Autores

  • Rafaela Martins Leite Monteiro

Palavras-chave:

Serra Do Estêvão, Semiárido, Degradação Ambiental, Uso E Ocupação Do Solo

Resumo

Esta pesquisa configura-se na busca pela compreensão e entendimento do processo de uso e ocupação e das atuais condições geoambientais da serra do estêvão. Tem como finalidade analisar, por meio de uma fundamentação geossistêmica, as relações existentes entre os atores sociais e os componentes geoambientais na serra, para dessa forma tentar aferir os reflexos da interação desses elementos no meio ambiente. Localizada no domínio dos sertões centrais do estado do ceará, a serra do estêvão destaca-se como área de exceção paisagística e amenidade climática em seu contexto semiárido. A serra tem sua história marcada pela atuação da igreja católica, sendo esta responsável por diversos investimentos e instalação de infraestruturas nos fins do século xix e início do xx. À atração dos membros religiosos á serra atribuiu-se as condições climáticas mais amenas e constantes da área. Para conclusão de todos os aspectos propostos como objetivos centrais da pesquisa tornou-se necessária uma busca conceitual e metodológica a respeito de determinados conceitos empregados no trabalho, tais como a categoria paisagem, a visão sistêmica e, fundamentalmente, a análise geoambiental. Buscou-se também, em uma tentativa de maior abrangência escalar, analisar o processo histórico de produção do espaço semiárido e de seus principais aspectos geoambientais. Verificaram-se, neste contexto, que as formas e processos dominantes no semiárido nordestino também se fizeram presentes na serra, como consolidação de uma estrutura socioeconômica e cultural abrangente a quase totalidade do semiárido brasileiro. A aplicação das geotecnologias se fazem presentes na pesquisa, principalmente na busca pela análise integrada da paisagem. Pela utilização dessas ferramentas foi possível realizar a análise do estado de conservação da vegetação, na ferramenta ndvi (vegetação por diferença normalizada). Ainda na utilização de técnicas de geoprocessamento, buscou-se realizar a definição do uso e cobertura do solo na serra, além da definição de tipologias de uso do solo fundamentadas principalmente na distribuição fundiária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

FUNCAP

Publicado

2021-08-28

Como Citar

LEITE MONTEIRO, R. M. . SEMIÁRIDO, USO E OCUPAÇÃO E DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: O CASO DA SERRA DO ESTÊVÃO EM QUIXADÁ – CE. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 4, n. 7, p. 222–222, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/6946. Acesso em: 23 out. 2021.

Edição

Seção

Defesa do PropGEO