GEOGRAFIA MARINHA: UMA PERSPECTIVA HOLÍSTICA

Autores

  • Antônio Rodrigues Ximenes Neto Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Francisco Oricélio da Silva Brindeiro UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE
  • Luciano Filho de Sousa Paula Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Francisco José Maciel de Moura Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Paulo Roberto Silva `Pessoa Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Jader Onofre de Morais Universidade Estadual do Ceará - UECE

Palavras-chave:

Geografia Marinha, Perspectiva Sistêmica, Potencialidades

Resumo

Através do uso cada vez mais frequente das novas tecnologias aplicadas na ciência, em especialmente naquelas que se dedicam à investigação do ambiente marinho, percebeu-se que este tem sido redescoberto como parte do espaço geográfico, devido à forte relação com as áreas emersas, em seus vários aspectos (econômico, social, político, físico-natural). Desta forma, este trabalho tem por objetivo ressaltar o fundamental papel da ciência geográfica no estudo do ambiente marinho, principalmente a partir da conexão entre os processos, as funções e as formas que o constituem. A relação entre potencialidade, limitação e vulnerabilidade se apresenta como importante no entendimento sistêmico que ocorre entre os aspectos físicos e os socioambientais, já que o espaço marinho, assim como o terrestre, é construído tanto fisicamente quanto socialmente. Portanto, dada a importância dos métodos de análise ofertados pela geografia, bem como os serviços e recursos oferecidos pelos oceanos e áreas costeiras, principalmente nas próximas décadas em função dos avanços tecnológicos, escassez de recursos continentais e necessidade do planejamento espacial marinho, faz-se necessário melhor compreender e discutir a perspectiva holística da geografia marinha, para que esta se fortaleça cada vez mais no interior da ciência geográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Rodrigues Ximenes Neto, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará. Integra o Grupo de Pesquisa Sistemas Costeiros e Oceânicos - CNPq, sendo membro do Laboratório de Geologia e Geomorfologia Costeira e Oceânica - LGCO/UECE. Atualmente é Professor Visitante no Programa de Pós-Graduação em Geografia (PROPGEO) da UECE. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: sedimentologia costeira e marinho-raso; geomorfologia litorânea e de plataforma continental; estratigrafia sísmica de vales incisos; ecofácies de área portuárias e indicadores geológico-geomorfológicos de variação do nível do mar.

Francisco Oricélio da Silva Brindeiro, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE

Doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará-UECE. Mestre (2018) e Graduado em Geografia-Bacharelado (2015) pela mesma instituição.É vinculado ao Laboratório de Geologia e Geomorfologia Costeira e Oceânica-LGCO/(UECE) . É integrante do grupo de pesquisa Sistemas Costeiros e Oceânicos-SCO. Desde de 2013 participa de trabalhos com ênfase na Sedimentologia Costeira, Impactos Ambientais na Zona Costeira, Geoprocessamento, Geomorfologia Costeira, Ensino de Geografia e Morfodinâmica Praial.

Luciano Filho de Sousa Paula, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Possui graduação em geografia pela Universidade Estadual do Ceará (2012) e mestrado em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (2014). Atualmente matriculado no curso de Doutorado em Geografia com área de concentração em ANÁLISE GEOAMBIENTAL E ORDENAÇÃO DO TERRITÓRIO NAS REGIÕES SEMIÁRIDAS E LITORÂNEAS, vinculado a linha de pesquisa ESTRUTURA E DINÂMICA DAS PAISAGENS SEMIÁRIDAS E LITORÂNEAS, onde Analisa a estrutura e dinâmica dos espaços litorâneos e semi-áridos, contemplando a avaliação dos recursos naturais renováveis, as relações sociedade-natureza e a sustentabilidade ambiental, através do zoneamento ecológico e econômico. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Geofísica de exploração (sísmica em ambientes submersos rasos), Sedimentos e granulados marinhos, sedimentos costeiros, com aplicação técnica e uso de equipamentos como; sub botton profiler, side scan sonar, ecobatímetro, estação total, DGPS RTK aplicados aos trabalhos geoambientais e geomorfologia costeira e oceânica. Geoprocessamento e sistema de Informação Geográfica.

Francisco José Maciel de Moura, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Professor substituto do Curso de Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará - UECE. Atuou como professor formador da Universidade Aberta do Brasil - UAB/UECE no curso de Licenciatura em Geografia, onde atualmente exerce a função de coordenador de tutoria. Doutor em Ciências Marinhas Tropicais pelo Instituto de Ciências do Mar - Universidade Federal do Ceará - UFC (2018) e Bacharel em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2012). Integra o Grupo de Pesquisa Sistemas Costeiros e Oceânicos - CNPq, sendo membro do Laboratório de Geologia e Geomorfologia Costeira e Oceânica - LGCO/UECE. Possui experiência nas áreas de geografia física, geografia ambiental, geomorfologia costeira e oceanografia geológica. Atuou como pesquisador sênior na elaboração do Plano Integrado de Regularização Fundiária (PIRF) para as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) dos territórios Lagamar, Pirambu e Moura Brasil, localizadas em Fortaleza - Ceará, a partir de convênio firmado entre a Secretaria das Cidades do estado do Ceará, Instituto de Planejamento de Fortaleza (IPLANFOR) e a Universidade Estadual do Ceará. Atualmente é representante da UECE no Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Pacoti, unidade de conservação estadual do Ceará.

Paulo Roberto Silva `Pessoa, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Doutor em Geografia (PROPGEO-UECE), Mestre em geografia na área de concentração em Análise Geoambiental e Ordenação do Território (MAG-UECE). Bacharel em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (1994). É Professor Efetivo do curso de Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará desde 2005. Foi Professor da Universidade Regional do Cariri (URCA) no período de 2000 a 2004, na qual foi Pro-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação. Pesquisador do Laboratório de Geologia e Geomorfologia Costeira e Oceânica (LGCO da UECE) desde 1996, Membro do grupo de pesquisa Sistemas Costeiros e Oceânicos do CNPq. Foi representante da UECE no Programa de Geologia e Geofísica Marinha- PGGM no período de 1999 a 2000. Consultor da Secretaria de Educação do Estado para a produção de material didático em Geografia para o ensino médio. Representante da URCA do Conselho Estadual do Meio Ambiente (2000-2004). Representante da UECE no CREA-CE. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando em Climatologia e Recursos Hídricos, Hidroclimatologia da zona Costeira e rios do semiárido, Clima e dinâmica do litoral, Clima e impactos socioambientais, Clima e recursos hídricos no ensino médio e Educação Ambiental. 

Jader Onofre de Morais, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Geólogo pela Universidade Federal de Pernambuco, Mestre em Marine Earth Sciences pelo Universidade de Londres; Doutor em Marine Geology na Faculty of Sciences University of London e Pós-Doutor em Geologia Ambiental no Royal Holloway and Bedford New College na University of London com bolsa do CNPq (1989-1992). Visiting Research Fellow na Universidade de Londres. Foi professor auxiliar, adjunto e Titular do Departamento de Geologia da UFC, Pesquisador do Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR) da Universidade Federal do Ceará, do qual foi por 12 anos seu diretor. Criou a Divisão de Oceanografia Abiótica e implantou a participou em diversas expedições oceanografias; Participou da criação do Departamento de Engenharia de Pesca da Universidade Federal do Ceará. Foi Chefe de Departamento de Geologia e criou o Laboratório de Geologia Marinha, o qual participou de varias expedições oceanográficas de relevância para o país. Agregou um grupo de pesquisadores na área pertinente que hoje conduzem os trabalhos e liderança de grupos de pesquisa. Estendeu as atividades de pesquisa englobando universidades de estados vizinhos, a exemplo da Universidade Federal do Maranhão. Pelo incentivo e intercâmbio de pesquisa e fortalecer a criação do LABOHIDRO para pesquisa nesta área do conhecimento recebeu o título de Professor Honoris Causa. Aposentou- se na UFC em 1995, como professor Titular do Depto. de Geologia, e logo em seguida fez concurso para Professor Titular da Universidade Estadual do Ceará (UECE) em junho de 1998. Criou o Laboratório de Geologia e Geomorfologia Costeira e Oceânica (LGCO) e criou o grupo Sistemas Costeiros e Oceânicos em 1996, que agrega pesquisadores de várias estados do país. Foi nomeado Diretor Cientifico (1998 a 2000) e Diretor Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP) no período de 2000 a 2004, onde foi incentivado o apoio aos estudos oceanográficos e geologia marinha. Foi Reitor da UECE no Período de 2004 a 2008. Membro do comitê assessor de Oceanografia por dois períodos. Membro desde 1970 e foi três vezes presidente do Programa de Geologia e Geofísica Marinha- PGGM. Coordenou e participou de projetos internacionais em parceria com Alemanha, Inglaterra, Espanha, Portugal, EUA, dentre outros. Aposentou-se na UECE em novembro de 2014 e permaneceu com vinculo com esta instituição como professor permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia e ao LGCO, coordenando suas atividades científicas, projetos de pesquisas e orientando alunos de graduação e pós graduação nas áreas costeiras e oceânicas. Atualmente é Professor permanente nos Programas de Pós-Graduação em Ciências Marinhas Tropicais (PPGCMT-Labomar-UFC), em Geografia (PROPGEO-UECE) e Mestrado em Recursos Naturais da UECE (MARENA) orientando alunos de mestrado e doutorado. É membro titular da Academia Cearense de Ciências-ACECI desde 1985, exercendo o cargo de presidente de 2011 a 2015. Nos anos de 2016 e 2018 recebeu o título de Professor Emérito da Universidade Estadual do Ceará e Universidade Federal do Ceará, com destaque para a prdução científica, criação de grupos de pesquisas e laboratórios voltados as ciências do mar. Tem experiência na área de Oceanografia, com ênfase em Oceanografia Geológica atuando principalmente nos seguintes temas: Geologia Marinha, Sedimentação costeira e marinha, evolução da zona costeira, impacto ambiental, erosão costeira, geologia ambiental e aplicações no gerenciamento costeiro.

Referências

ALMEIDA, L. G. Caracterização das áreas de pesca artesanal de lagosta na praia da redonda, Icapuí – CE. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 2010.

ANDERSON, J. PETERS, K. Water Worlds: Human Geographies of the Sea. Ashgate, 2015.

ANDRADE, M. C. de. Geografia: ciência da sociedade. Recife: Editora da Universidade Federal de Pernambuco, 2006.

BRASIL. Marinha do Brasil. Amazônia Azul: a última fronteira. 2020. Disponível em: <http://www.mar.mil.br/hotsites/amazonia_azul/amazonia-azul.html>.

BARROS, E. L. Caracterização Faciológica da Plataforma Continental Interna de Icapuí, CE. Dissertação (Mestrado em Ciências Marinhas Tropicais) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 2014.

BENCHIMOL, M. F. Gestão de unidades de conservação marinhas: um estudo de caso da área de proteção ambiental da Baía de Paraty – RJ. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

BIRD, E. Coastal Geomorphology: an introduction – Second edition. John Wiley & Sons Ltd, 2008.

BRASIL. Lei 8.617 de 04 de janeiro de 1993 – Dispõe sobre o mar territorial, a zona contígua, a zona econômica exclusiva e a plataforma continental brasileiros, e dá outras providências, 1993.

BRINDEIRO, F. O. S. Impactos Ambientais e Manejo Sustentável para as vilas litorâneas de Barra Velha e Barra Nova – Cascavel/CE. Monografia de Graduação – Universidade Estadual do Ceará – UECE, 2016.

BRINDEIRO, F. O. S; XIMENES NETO, A. R; CAVALCANTE, J. R. V; MORAIS, J. O.Caracterização dos sedimentos bioclásticos ao largo da plataforma continental de Itarema/CE. In: XIX Semana Universitária da UECE, Fortaleza/CE. Anais da Semana Universitária da UECE, 2014.

CARNEIRO, P. B. M; MORAIS, J. O. Carbonate sediment production in the equatorial continental shelf of South America: Quantifying Halimeda incrassata (Chlorophyta) contributions. Journal of South American Earth Sciences, 72, 1-9, doi: 10.1016/j.jsames.2016.

CARNEIRO, P. B. M; SÁTIRO, I; COE, C. M; MENDONÇA, K. V. Valoração ambiental do Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio, Ceará, Brasil. Arq. Ciên. Mar, Fortaleza, 50(1): 25 – 41, 2014

CAVALCANTI, V. M. M. Qualidade das areias marinhas para utilização como agregado na construção civil, na região metropolitana de Fortaleza, Estado do Ceará. Dissertação (Mestrado em Geologia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 1998.

CAVALCANTI, V. M. M.(2011). Plataforma continental: a última fronteira da mineração brasileira. Brasília: DNPM, p104.2011.

CIARLINI, C. Aproveitamento econômico da explotação dos recursos minerais na plataforma continental do município de Icapuí-Ceará. Tese de doutorado em Geografia – Programa de Pós-graduação em Geografia, UECE, 2014.

COUTINHO, P.N; MORAIS, J.O Distribucion de los sedimentos em la plataforma norte-nordeste del Brasil. FAO fisheries report no. 71.3, Roma: 273-274, 1968.

CPRM – SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. Potencialidades dos granulados marinhos da plataforma continental leste do Ceará. ASSIS, H. M. B; FREIRE, G. S. S... [et al.]. Recife, 2007.

DAVIDSON-ARNOTT, R. An Introduction to Coastal Processes and Geomorphology. Cambridge University Press, 2010.

DIAS, G. T. M. Granulados Bioclásticos – Algas Calcárias. Brazilian Journal of Geophysics, Vol. 18(3), 2000.

DOUMENGE, F.Geografia dos Mares. Difusão Europeia do Livro, São Paulo, 1967.

EMERY, K. O. Relict sediments on continental shelves of the world. American Association of Petroleum Geologists Bulletin, 52, 445-464, 1968.

FARRAPEIRA NETO, C. A. Evolução paleogeográfica do baixo vale do rio Coreaú e plataforma continental, Ceará, Brasil. Dissertação (Mestrado em Geografia), Universidade Estadual do Ceará - UECE, 150 pp, 2013.

FREIRE, G. S. S. Geologia Marinha da Plataforma Continental do Estado do Ceará. MSC – UFPE. p168, 1985.

FONTELES-FILHO, A. A. Síntese sobre a lagosta-vermelha (Panulirus argus) e a lagosta-verde (Panulirus laevicauda). In: HAIMOVICI, M. (Org.). A prospecção pesqueira e abundância de estoques marinhos no Brasil nas décadas de 1960 a 1990: levantamento de dados e avaliação crítica. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 257-265, 2007.

FONTELES-FILHO, A. A. Population dynamics of spiny lobsters (Crustacea: Palinuridae) in Norhteast Brazil. Ciência e Cultura, 44: 192-196. 1992.

FONTELES-FILHO, A. A. Spatial distribution of the lobster species Panulirus argus and P. laevicauda in northern and northeastern Brazil in relation to the distribution of fishing effort. Ciência e Cultura, São Paulo, 49 (3): 172-176, 1997.

FONTELES-FILHO, A. A. Síntese sobre distribuição, abundância, potencial pesqueiro e biologia lagosta-vermelha Panulirus argus (Latreille) e a lagosta-verde Panulirus laevicauda (Latreille) do nordeste do Brasil. Programa REVIZEE: avaliação do potencial sustentável de recursos vivos na zona econômica exclusiva. Análise/Refinamento dos Dados Pretéritos Sobre Prospecção Pesqueira. REVIZEE: MMA. 23 p, 1998.

FONTELES-FILHO, A. A; Ivo, C. T. C. Comportamento migratório da lagosta Panulirus argus (Latreille), em frente ao Estado do Ceará, Brasil. Bol. Inst. Oceanogr., São Paulo, 29 (2): 173-176, 1980.

GUERRA, R. G. P. Vulnerabilidade costeira a eventos de alta energia no Litoral de Fortaleza, Ceará. Dissertação (Mestrado em Ciências Marinhas Tropicais) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 2014.

HESP, P. Foredune sand blowouts: initiation, geomorphology and dynamics. Geomorphology. 245–268, 2002.

HUMBOLDT, A. Cosmos: ensayo de una descripcion física del mundo. Biblioteca Hispano-Sur-Americana, 1875.

KYRIAZI, Z; MAES, F; DEGRAER, S. Coexistence dilemmas in European marine spatial planning practices: The case of marine renewables and marine protected areas. Energy Policy 97, 391–399, 2016.

LINS-DE-BARROS, F. M; MUEHE, D. A tradição da Geografia nos estudos costeiros. Mercator (UFC), v. 8, p. 77-102, 2009.

LOCKWOOD, A; DAVIDSON, J; HOCKINGS, M; KRIWOKEN, L. Marine biodiversity conservation governance and management: Regime requirements for global environmental change. Ocean & Coastal Management 69.160-172, 2012.

LONGHURST, R. Ecological Geography of the Sea. Second Edition. Elsevier, 2007.

MAIA, L. P. Processos costeros y balance sedimentário a lo largo de Fortaleza (NE-BRASIL): implicaciones para uma gestión adecuada de la zona litoral. 269p., Doutorado, Universidade de Barcelona, Barcelona, Espanha, 1998.

MARTINS, L. R; NUNES, J. C.Granulados marinhos terrígenos. Gravel, Nº 5, 39-46, 2007.

MAURY, M. F. The Physical Geography of the Sea. New York: Harper & Brothers, Publishers, 1855.

MASSELINK, G; HUGHES, M; KNIGHT, J. Introduction to Coastal Processes and Geomorphology. Routledge. p432, 2011.

MENDES, J. S. Parques eólicos e comunidades tradicionais no nordeste brasileiro: estudo de caso da comunidade de Xavier, litoral oeste do Ceará, por meio da abordagem ecológica/participativa. Tese de doutorado em geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia/UFC, 2016.

MILLER, D. R; MORRICE, J. G. A Geographical Analysis of the Intervisibility of the Coastal Areas of Wales for Characterizing Seascapes. The Macaulay Institute, 2002.

MORAIS, J. O. Processos interativos na elaboração da zona costeira do Estado do Ceará – impactos associados. Tese de Professor Titular – UECE, Fortaleza, p225 p, 1998.

MOURA, F. J. M. Aspectos sedimentares e potencialidades da plataforma continental do Ceará, entre Cascavel e Beberibe. Dissertação (Mestrado em Ciências Marinhas Tropicais)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza/CE, 2014.

MUEHE, D. Geografia marinha - a retomada do espaço perdido. Revista da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege). p.185-210, V.12, n.18, especial GT Anpege, 2016.

MUEHE, D. Beach morphodynamic research in Brazil: evolution and applicability. Journal of Coastal Research, Itajaí, Santa Catarina, v. SI 35, p. 32-42, 2003.

MUEHE, D. A zona costeira do Brasil e sua vulnerabilidade face à ocupação e às mudanças climáticas. In: Mendonça, F.; Lowen-Sahr, C.L.; Silva, M.. (Org.). Espaço e Tempo: Complexidade e desafios do pensar e do fazer geográfico. Curitiba: ADEMADAN, p.425-439, 2009.

NORDSTROM, K. F; PSUTY, N; CARTER, R. W. G. Coastal Dunes: Form and Process.Wiley,Chichester, 1990.

PAFFEN, K. Geografia Marinha. Boletim Geográfico. nº 216,v. 29,p. 3-12, 1970. Instituto Brasileiro de Geografia – IBGE. Rio de Janeiro, 1970.

PAULA, L. F. S. Análise integrada de unidades de paisagem submersas na plataforma continental adjacente ao município de Itarema (Ceará, Brasil): subsídios para gestão territorial.Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Estadual do Ceará - UECE, Fortaleza/CE, 2014.

PAULA, D. P; DIAS, J. A. Ressacas do Mar/temporais e gestão costeira. Fortaleza: Premius. 448 p, 2015.

PEREIRA, M. L. M. Caracterização de paisagens marinhas de unidades de conservação marinho-costeiras no Brasil.Tese de Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC, 2016.

PESSOA, P. R. S. Estudo do transporte eólico nas Dunas Costeiras da Região Costeira de Pecém, São Gonçalo do Amarante – CE. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Universidade Estadual do Ceará-UECE, 1999.

PINHEIRO, L. S. Compatibilização dos Processos morfodinâmicos e hidrodinâmicos com o uso e ocupação da praia da Caponga, Cascavel, CE. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade estadual do Ceará – UECE, 2000.

PINHEIRO, L. S; MORAIS, J. O; MAIA, L. P. The Beaches of Ceará. In: SHORT, A. D; KLEIN, A. H. F. Brazilian Beach Systems. Springer, 2016.

POLLETE, M. e POGETTI SILVA, L. GesampIcam e PNGC – Análise comparativa entre as metodologias de gerenciamento costeiro integrado. Revista da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, nº4 Tema e Tendências: Gestão das Águas, p. 27-30, 2003

PSUTY, N.P., STEINBERG, P.E., WRIGHT, D.J. Coastal and marine geography in Gaile, G.L. and Willmott, C.J. (Eds.), Geography in America at the Dawn of the 21st Century, New York: Oxford University Press, Spring 2002.

REES, S.A., OPDYKE, B.N., WILSON, P.A., HENSTOCK, T.J. Significance of Halimeda bioherms to the global carbonate budget based on a geological sediment budget for the Northern Great Barrier Reef, Australia.Coral Reefs, 26, 177-188.DOI 10.1007/s00338-006-0166-x, 2007.

RIBEIRO, S. C. Etnogeomorfologia sertaneja: proposta metodológica para a classificação das paisagens da sub-bacia do rio Salgado/CE. 278 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2012.

ROCHA, M. N. Estimativa de transporte eólico na duna costeira móvel do Pico Alto, Paracuru, Ceará. Dissertação (Mestrado em Geografia) – UECE, 2014.

ROSS, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. Revista do Departamento de Geografia. n.8, p.63-74. 1994.

SHORT, A. D; HESP, P. A. Wave, beach and dune interactions in southeastern Australia. Marine Geology, 48, 259-284, 1982.

SILVA, C. G; FIGUEIREDO JUNIOR, A. G; BREHME, I. Granulados Litoclásticos. Brazilian Journal of Geophysics, Vol. 18(3), 2000.

SILVA, M. V. C. Análise Ambiental da Plataforma Continental do Ceará – Nordeste do Brasil. Tese de Doutorado – Programa de Pós-graduação em Geografia, UECE, Fortaleza-CE, 2015.

SIMON, T.E; HORA, M.S.C; JOYEUX, J.C. Explotação de “rochas vivas” (algas calcárias corallinales, rhodophyta) para fins de aquariofilia no litoral do espírito santo, região sudeste do Brasil. AOCEANO – Associação Brasileira de Oceanografia. XII Congresso Latino-Americano de Ciências do Mar - XII COLACMAR. Florianópolis, 15 a 19 de abril de 2007.

SMITH, H. D. The geography of the sea. In: The oceans key issues in marine affairs. Geojournal library. Vol. 78. Springer, 2004.

SOARES, R. C. Evolução e Caracterização do Banco Sedimentar de Fortaleza, Ceará, Brasil. Dissertação. (Mestrado em Geografia),UECE, Fortaleza-CE- p116, 2012.

SOUZA, J. M. Mar Territorial, Zona Econômica Exclusiva ou Plataforma Continental. Revista Brasileira de Geofísica, Vol. 17(1), 1999.

SOUZA, M. J. N. Bases Naturais e Esboço do Zoneamento Geoambiental do Estado do Ceará in: LIMA, L. C.; SOUZA, M. J. N.; MORAIS, J. O. Compartimentação territorial e gestão regional do Ceará. Fortaleza: FUNECE, 2000.

SOUSA, M. J. B. Distribuição espacial e relação interespecífica das lagostas Panulirus argus (Latreille) e Panulirus laevicauda (Latreille) no Nordeste do Brasil. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Pesca), Universidade Federal do Ceará. Fortaleza-CE, 1987.

SOUSA, S. T. Características texturais e geoambientais das áreas de ocorrência do Pepino do Mar, Holothuria Grisea (Equinodermata: Holothuroidea), em Bitupitá – Ceará. Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade estadual do Ceará-UECE, 2014.

STEINBERG, P. E. Navigating to Multiple Horizons: Toward a Geography of Ocean-Space. Professional Geographer, 51(3), pages 366–375, 1999.

STEINBERG, P. E. Mediterranean Metaphors: Travel, Translation, and Oceanic Imaginaries in the “New Mediterraneans” of the Arctic Oceans, the Gulf of Mexico and the Caribbean. In: ANDERSON, J. PETERS, K. Water Worlds: Human Geographies of the Sea. Ashgate, 2015.

SWIFT, D. J. P, STANLEY, D. J; CURRAY, J. R. Relict sediments on continental shelves: A recommendation: Jour. Geology, v. 79, p. 322-346, 1971.

TRICART, J. Ecodinâmica. (1977). FIBGE/SUPREN, Rio de Janeiro.

VALLEGA, A. Agenda 21 of Ocean Geography. In: VALLEGA, Adalberto.; AUGUSTINUS, Pieter G.E.F.; SMITH, Hance D. (Ed.). Geography, oceans and coasts toward sustainable development. Fanco Agnelli. 150 p, 1998.

WEST, N.Coastal and marine geography. In: Geography in America, eds. Gary L. Gaile and Cort J. Willmott, 141–54. Columbus, OH: Merrill, 1989.

XIMENES NETO, A. R; PAULA, L. F. S; MORAIS, J. O. Utilização da Perfilagem Sísmica de Subsuperfície para Análise do Banco Sedimentar de Fortaleza. In: XVIII Semana Universitária da UECE. Anais da Semana Universitária da UECE, 2013.

XIMENES NETO, A. R.Evolução da paisagem submarina do litoral Norte de Fortaleza – CE. Monografia de Graduação em Geografia – UECE, 2015.

XIMENES NETO, A. R; MORAIS, J. O; PINHEIRO, L. S; PESSOA, P. R. S. Sísmica Rasa na Identificação de Paleocanais na Plataforma Continental Interna de Camocim, Ceará - Brasil. In: 47ª Reunião do Programa de Geologia e Geofísica Marinha – PGGM, Natal/RN. Workshop de Geologia e Geofísica Marinha, 2016.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

XIMENES NETO, A. R.; BRINDEIRO, F. O. da S.; PAULA, L. F. de S.; MOURA, F. J. M. de; `PESSOA, P. R. S.; MORAIS, J. O. de. GEOGRAFIA MARINHA: UMA PERSPECTIVA HOLÍSTICA. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 10, n. 18, p. 153–175, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/4228. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos