CARTOGRAFIA DE ATRIBUTOS FÍSICOS: SUBSÍDIO PARA ANÁLISE DA MINERAÇÃO DE SAIBRO - JUIZ DE FORA/MG

  • Gisele Barbosa dos Santos Universidade Federal de Juiz de Fora/Docente
  • Juliana Costa Baptista Barreto Universidade Federal de Juiz de Fora/Discente
Palavras-chave: Bacia Hidrográfica, Saibro, Áreas Degradadas

Resumo

A urbanização e exploração dos recursos naturais de maneira mal planejada vêm causando sérios impactos ambientais. A mineração de saibro em área urbana possui especial importância em virtude da proximidade entre os locais de mineração e as áreas habitadas, podendo acelerar processos erosivos e assoreamento de canais fluviais. Mediante o uso de dados cartográficos e parâmetros morfométricos, foi realizada a análise de duas sub-bacias hidrográficas do rio Paraibuna, sendo uma com presença de mineração de saibro (Córrego Yung), e outra sem esta atividade (Córrego São Pedro), com finalidade de identificar aspectos naturais semelhantes entre elas para apontar a possibilidade de a segunda ser usada como bacia de controle para futuros trabalhos sedimentológicos.  Após a análise dos resultados, encontramos semelhanças aceitáveis. Sendo assim, a bacia do córrego São Pedro apresenta representatividade para que análises comparativas sejam feitas em investigações mais aprofundadas. Deste modo, os sedimentos predominantemente finos como silte e argila, encontrados nas amostras coletadas no córrego São Pedro, demonstram que em toda a bacia o material mais fino que chega aos canais fluviais estão provavelmente sendo fornecidos pelos horizontes mais superficiais do solo, onde predomina intemperismo pedoquímico, e praticamente a totalidade dos minerais primários foi transformada em minerais secundários com textura mais fina. Os sedimentos mais grosseiros encontrados na bacia do córrego Yung podem ser relacionados aos horizontes mais profundos, expostos pelas atividades minerárias do saibro. Esta exposição fornece materiais mais grosseiros, frutos do intemperismo geoquímico, onde os minerais primários possuem tamanho predominantemente arenoso. Portanto, a análise sedimentológica e do leito fluvial possibilitou o entendimento do funcionamento e interações presentes entre a carga do canal e sua bacia de contribuição.

Publicado
2020-07-21