Um estudo identitário de universitárias intercambistas sob uma perspectiva educacional-cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46230/2674-8266-13-5180

Palavras-chave:

Intercâmbio, Identidade docente, Formação de professores

Resumo

Tendo em vista a crescente necessidade estratégica de internacionalização das universidades, um estudo sobre os efeitos dessa ação para os intercambistas é importante para que se possa compreender e avaliar o processo. Uma vez que poucos estudos tematizam a questão, a presente pesquisa tem por objetivo analisar de forma crítica e reflexiva, sob um viés identitário, os possíveis efeitos de intercâmbio na formação de estudantes de Letras e colaborar para compreender a relevância da experiência internacional na formação identitária. Para tanto, o estudo adota uma abordagem metodológica de cunho qualitativo. É um estudo de caso, em que a coleta de dados se deu por meio de entrevista semi-estruturada e questionários a quatro intercambistas. A partir dos dados coletados, realizou-se uma categorização dos dados para possibilitar uma análise interpretativista. Para fundamentar a análise, nos apoiamos principalmente nos estudos sobre identidade e contextos culturais, principalmente à luz de Hall (2006), Block (2009) e Barkhuizen (2017), e sobre identidade e aprendizagem de línguas, com base em Norton (2013) e Kramsch (2013). Com o objetivo de pesquisa, base teórica e metodologia delineada, os resultados da análise dos dados mostraram, principalmente, que as estudantes passaram por transformações identitárias que as levaram a refletir sobre as diferenças nos relacionamentos interpessoais acadêmicos, o formato de ensino, os novos caminhos profissionais e a necessidade de fomento e divulgação de programas de intercâmbio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Cristina dos Santos Reis, Instituto Presbiteriano Gammon - IPG

Graduada em Letras - Português e Inglês e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Lavras. Possui formação complementar na Universidade de Uppsala - Suécia. Tem experiência e interesse de pesquisa em Educação, com ênfase em Linguística Aplicada e Formação de Professores. Já atuou como professora de Português na rede pública de ensino. Atualmente, é professora de Língua Portuguesa e Redação no Instituto Presbiteriano Gammon.

Tania Regina de Souza Romero, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Graduada em Letras Tradutores e Intérpretes pelo Centro Universitário Ibero Americano (Português, Inglês e Alemão, 1978). Tem mestrado e doutorado em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1989 e 1998) e pós-doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 2007). Atualmente é membro do Conselho Editorial de 9 Revistas Científicas da área, incluindo Intercâmbio (PUC-SP, 1413-4055), Revista D.E.L.T.A. (PUC-SP, 0102-445) e Revista The ESPecialist (PUC-SP, 0102-7077). É Professora Associada no Departamento de Estudos da Linguagem e professora permanente do Mestrado Profissional em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Lavras. Foi vice-coordenadora e coordenadora do Grupo de Trabalho Formação de Educadores na Linguística Aplicada, vinculado à ANPOLL. Pesquisa na área de Linguística Aplicada, com ênfase em Desenvolvimento de Educadores, Educação, Ensino-Aprendizagem de Línguas Adicionais, Avaliação de Aprendizagem, Identidade Docente e Linguística Sistêmico-Funcional.

Referências

BARKHUIZEN, Gary (Ed.). Reflections on language teacher identity research. Taylor & Francis, 2017.

BLOCK, David. Second language identities. Bloomsbury Publishing, 2009.

CRUVINEL, Roberta Carvalho et al. Professores de língua inglesa de escolas públicas brasileiras em um programa de formação continuada nos EUA: um estudo de caso. 2016. 210 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Universidade Federal de Goiás. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6709. Acesso em: 10 jun. 2021.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tupy Kurumin, 2006.

KRAMSCH, Claire. The Multilingual Subject-Oxford Applied Linguistics. Oxford University Press, 2013.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2016.

NORTON, Bonny. Identity and language learning: Extending the conversation. Multilingual matters, 2013.

NUNAN, David. Research methods in language learning. New York: Cambridge University Press, 1992.

OLIVEIRA, Adriana Leônidas de; FREITAS, Maria Ester de. Relações interculturais na vida universitária: experiências de mobilidade internacional de docentes e discentes. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 22, n. 70, p. 774-801, jul. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/tFqL6fdZwjPmZfCnBDnYDDv/abstract/?lang=pt . Acesso em: 10 mai. 2021.

PAVLUSHINA, Natalia; ROMERO, Tania Regina de Souza. Cross-Cultural Adaptation of a

Russian Student in Brazil. Arctic XXI Century Humanitarian Sciences, v. 2, p. 53-66, 2020. Disponível em: https://cyberleninka.ru/article/n/cross-cultural-adaptation-experience-of-a-russian-student-in-brazil . Acesso em: 10 jul. 2021.

STALLIVIERI, Luciane. Internacionalização e intercâmbio. Appris Editora e Livraria Eireli-ME, 2017.

Downloads

Publicado

2021-10-13

Como Citar

REIS, A. C. dos S.; ROMERO, T. R. de S. Um estudo identitário de universitárias intercambistas sob uma perspectiva educacional-cultural. Revista Linguagem em Foco, Fortaleza, v. 13, n. 3, p. 94–113, 2021. DOI: 10.46230/2674-8266-13-5180. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/5180. Acesso em: 20 out. 2021.