https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/issue/feed Revista Linguagem em Foco 2021-10-13T15:47:24-03:00 Antonia Dilamar Araújo linguagememfoco@uece.br Open Journal Systems <p>Linguagem em Foco é um periódico do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da UECE, dirigido a pesquisadores, docentes e estudantes de pós-graduação. A revista divulga trabalhos (de doutores, mestres, doutorandos e mestrandos em coautoria com seus orientadores) sobre a linguagem numa perspectiva interdisciplinar, abordando questões e enfoques teórico-metodológicos no campo da Linguística Aplicada. Trata-se de uma publicação semestral, que admite números especiais (com chamadas ou expedientes específicos). São aceitos artigos e ensaios inéditos; entrevistas; resenhas de livros e teses recém-publicados.&nbsp;</p> https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/7197 Institucional 2021-10-10T00:11:07-03:00 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/7198 Expediente 2021-10-10T00:11:42-03:00 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/6787 Autoconfrontação e formação de professores 2021-08-17T19:51:31-03:00 Daniel Faïta danielfaita13@gmail.com Elisandra Maria Magalhães elisandra.magalhaes@ufc.br Aline Leontina Gonçalves Farias alinefarias@ufpa.br Rozania Maria Alves de Moraes rozania.moraes@uece.br <p>Esta entrevista, que nos foi concedida pelo linguista e analista do trabalho Daniel Faïta, teve como escopo gerar um diálogo sobre o uso do quadro teórico-metodológico da autoconfrontação em recentes pesquisas sobre formação de professores. A discussão parte de estudos e intervenções realizadas na França, no âmbito da análise do trabalho, que deram origem ao referido quadro no final dos anos 1980 (FAÏTA, 1989). O processo autoconfrontativo, fortemente fundamentado no <em>dialogismo</em> bakhtiniano e destinado, segundo Clot e Faïta (2000), a criar as condições favoráveis à análise e à transformação da atividade professional – como constatamos na entrevista – tem contribuído para provocar um movimento dialógico-interativo que leva os sujeitos implicados no processo a compreender o trabalho do professor e, por conseguinte, a colaborar para uma melhoria na área da formação docente.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Daniel Faïta , Elisandra Maria Magalhães; Aline Leontina Gonçalves Farias, Rozania Maria Alves de Moraes https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/5018 Resenha do BUCKINGHAM, D. The media education manifesto. Cambridge, Londres: Polity Press: 2019, 128p. 2021-07-28T09:55:14-03:00 Vanessa Bottasso Valentini vanessa.bottasso@gmail.com Rodrigo Esteves de Lima Lopes rll307@unicamp.br <p>David Buckingham, em "The media education manifesto", expõe os limites de uma educação midiática regida por governos conservadores e reivindica princípios e práticas de uma educação crítica, que forme cidadãos conscientes e atuantes em um mundo cada vez mais mediado pelas relações midiáticas.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Vanessa Bottasso Valentini, Rodrigo Esteves de Lima Lopes https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/2874 A relação texto e contexto em manuais didáticos no ensino-aprendizagem de língua inglesa 2021-06-18T17:12:59-03:00 Johwyson da Silva Rodrigues johwyson@yahoo.com <p>São vários os manuais de língua inglesa que circulam atualmente entre as instituições de ensino ao redor do Brasil e do mundo. A maioria deles têm suas bases solidamente enraizadas na Abordagem Comunicativa que, por sua vez, pauta-se no funcionalismo linguístico. Entretanto, algumas discussões acerca da autenticidade dos textos presentes nesses manuais parecem apontar para questões que giram em torno da relação texto e contexto. Assim, este trabalho, com a ajuda da Linguística de Corpus e da Linguística Sistêmico-Funcional, mais especificamente, dos conceitos de escolhas lexicogramaticais, contexto de cultura e contexto de situação, tem por objetivo investigar as primeiras atividades de compreensão e produção oral contidas em sete manuais didáticos de língua inglesa publicados ao longo de três décadas, a fim de averiguar como suas escolhas léxico-gramaticais, de domínio do texto, são tratadas em relação ao seu contexto de uso. Os resultados apontam que, no decorrer dessas décadas, alguns avanços não sistemáticos ocorreram nesses manuais, o que evidencia o papel do professor de língua inglesa como alguém que necessita utilizá-los de forma crítica. Além disso, o trabalho assinala a importância da Linguística de Corpus como ferramenta essencial no auxílio, planejamento e execução das atividades presentes nesses manuais.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Johwyson da Silva Rodrigues https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/4519 Ensino de língua inglesa e processos de conhecimento em aulas remotas 2021-08-07T11:54:53-03:00 Dilma Prata Conserva dilmaconserva@gmail.com Marco Antônio Margarido Costa marcoantoniomcosta@gmail.com <p>O Ensino Remoto Emergencial-ERE, modelo de ensino utilizado por inúmeras instituições educacionais durante o contexto pandêmico provocado pela COVID-19, redimensionou o papel de professores e alunos e, consequentemente, trouxe novas demandas para os profissionais da educação. Tal modelo também tem sido adotado por nós em uma escola de idiomas do interior do estado da Paraíba, contexto no qual foram realizadas as duas atividades a serem apresentadas neste artigo, que objetiva identificar processos de conhecimento produzidos pelos alunos em duas turmas iniciantes, utilizando ferramentas digitais nas aulas remotas e o papel do professor no contexto aqui tratado. As discussões estão fundamentadas nas contribuições da Pedagogia dos Multiletramentos, concebida pelo Grupo de Nova Londres (1996), nos processos de construção de conhecimento de Kalantzis e Cope (2005, 2008), bem como na concepção de sala de aula invertida, originada com Bergmann e Sams (2016), além de outras. Os resultados mostram que os processos de conhecimento se manifestaram de modos diferentes nas duas atividades realizadas, e estas possibilitaram a identificação de traços de protagonismo dos alunos. Constatamos também que o conhecimento pode ser construído e compartilhado em qualquer lugar e por diversos agentes.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Dilma Prata Conserva, Marco Antônio Margarido Costa https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/6076 Faixas de proficiência empiricamente desenvolvidas para avaliar a fluência do professor de língua estrangeira 2021-09-02T14:21:49-03:00 Diego Fernando de Oliveira diego.fernando@unesp.br <p>A consideração de evidências empíricas para o desenvolvimento de critérios avaliativos em exames de proficiência constitui um argumento para a validade do construto operacionalizado, assim como confere maior confiabilidade aos resultados produzidos por instrumentos avaliativos. O Exame de Proficiência para Professores de Língua Estrangeira (EPPLE), instrumento avaliativo em desenvolvimento para a avaliação de professores de línguas no contexto educacional brasileiro, carece de validação empírica de seus critérios para a avaliação da fluência, assim como não possui uma escala de proficiência linguística analítica. Este trabalho apresenta resultados da aplicação dos <em>Empirically derived, Binary choice, Boundary Definition scales (EBB</em>s), metodologia empírica para a seleção de critérios avaliativos utilizada para a análise de amostras de desempenho oral de futuros professores de língua estrangeira, oriundas do banco de dados do EPPLE. A partir da análise das amostras de desempenho oral, sugere-se que a escala de proficiência analítica e o quadro de critérios avaliativos incorporem fenômenos de hesitação a partir de uma perspectiva global e comunicativa. Além disso, pausas, autocorreções, repetições e reformulações de enunciados foram identificados como aspectos determinantes para definir os desempenhos característicos de cada faixa de proficiência linguística.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Diego Fernando de Oliveira https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/4345 A construção de um modelo didático de gênero e a definição de capacidades de linguagem como facilitadores do ensino de artigo de opinião em um curso de preparação para o Exame Celpe-Bras 2021-09-02T14:19:57-03:00 Damián Díaz damian.diaz@fic.edu.uy Gladys Quevedo-Camargo gladys@unb.br <p>Neste artigo, apresentamos as <em>capacidades de linguagem</em> (DOLZ; PASQUIER; BRONCKART, 1993) e os <em>modelos didáticos de gênero</em> (PIETRO; SCHNEUWLY, 2019) como são conceituados pela engenharia didática do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999) e discutimos sua utilidade como recursos para orientar o planejamento de cursos preparatórios para a obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros Celpe-Bras. Toma-se como base uma Sequência Didática (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004) elaborada para o ensino do gênero textual artigo de opinião em um curso preparatório desse exame. Além de apresentar a definição das capacidades de linguagem para esse gênero no exame e o modelo didático do gênero, é feita uma análise qualitativa da proposta didática criada com base nesses recursos, que evidencia seu potencial para tornar o planejamento mais apegado aos diferentes objetivos definidos para um curso baseado em gêneros e mais coerente com a concepção de uso da linguagem que adotam os idealizadores do exame.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Damián Díaz, Gladys Quevedo-Camargo, Ela https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/5180 Um estudo identitário de universitárias intercambistas sob uma perspectiva educacional-cultural 2021-08-10T16:29:25-03:00 Amanda Cristina dos Santos Reis amandareisromero@gmail.com Tania Regina de Souza Romero taniaromero@ufla.br <p>Tendo em vista a crescente necessidade estratégica de internacionalização das universidades, um estudo sobre os efeitos dessa ação para os intercambistas é importante para que se possa compreender e avaliar o processo. Uma vez que poucos estudos tematizam a questão, a presente pesquisa tem por objetivo analisar de forma crítica e reflexiva, sob um viés identitário, os possíveis efeitos de intercâmbio na formação de estudantes de Letras e colaborar para compreender a relevância da experiência internacional na formação identitária. Para tanto, o estudo adota uma abordagem metodológica de cunho qualitativo. É um estudo de caso, em que a coleta de dados se deu por meio de entrevista semi-estruturada e questionários a quatro intercambistas. A partir dos dados coletados, realizou-se uma categorização dos dados para possibilitar uma análise interpretativista. Para fundamentar a análise, nos apoiamos principalmente nos estudos sobre identidade e contextos culturais, principalmente à luz de Hall (2006), Block (2009) e Barkhuizen (2017), e sobre identidade e aprendizagem de línguas, com base em Norton (2013) e Kramsch (2013). Com o objetivo de pesquisa, base teórica e metodologia delineada, os resultados da análise dos dados mostraram, principalmente, que as estudantes passaram por transformações identitárias que as levaram a refletir sobre as diferenças nos relacionamentos interpessoais acadêmicos, o formato de ensino, os novos caminhos profissionais e a necessidade de fomento e divulgação de programas de intercâmbio.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Amanda Cristina dos Santos Reis, Tania Regina de Souza Romero https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/5026 A tradução como método de ensino da Língua Portuguesa a estudantes japoneses 2021-07-02T22:43:39-03:00 Abimael Maciel Marques macielm84@gmail.com <p>A tradução como atividade de língua estrangeira (LE) ocupou, por muito tempo, uma posição de desprestígio em sala de aula. Em décadas mais recentes, contudo, houve o surgimento de novas ideias que defendem a reintrodução da atividade tradutória com um foco comunicativo. Dessa maneira, este trabalho, que se originou de uma pesquisa de doutorado da Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio (TUFS), procura trazer à luz a questão da tradução como uma ferramenta para auxiliar os alunos japoneses de graduação no estudo da língua portuguesa. Tendo como base as ideias defendidas por House (1977), Harmer (2007) e Altar (2017) sobre o uso da tradução no ensino de LE, lançou-se a proposta de criar um minicurso com o intuito de trabalhar com atividades de tradução de quadrinhos com foco no desenvolvimento da competência comunicativa. Por meio de discussões sobre pontos específicos em sala, foi possível trazer aos alunos elementos culturais e linguísticos que se revelam importantes para uma comunicação eficaz com falantes brasileiros. As atividades forneceram dados que melhor sustentam a narrativa da tradução como um método que auxilia de maneira eficiente o aprendizado do português, fornecendo aos aprendizes japoneses um conhecimento maior a respeito de diferenças culturais e linguísticas, diminuindo, assim, possíveis mal-entendidos durante o processo comunicativo.<br> <strong>Palavras-chave</strong>: tradução; ensino, língua portuguesa; competência comunicativa.<br> <br> </p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Abimael Maciel Marques https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/5339 Notícias publicadas em revistas online para mulheres 2021-07-02T23:28:47-03:00 Amanda Maria de Oliveira amandahmo@hotmail.com.br Rodrigo Acosta Pereira drigo_acosta@yahoo.com.br <p>O presente artigo tem como objetivo analisar o pequeno cronotopo do gênero <em>notícia</em> publicado em revistas <em>online </em>direcionadas às mulheres. Em termos teóricos, a pesquisa tem como ancoragem os escritos de Bakhtin e o Círculo, especialmente no que diz respeito à noção do cronotopo e dos gêneros do discurso, bem como considerações de seus interlocutores contemporâneos em Análise Dialógica do Discurso. Quanto à metodologia, seguimos o método sociológico de estudo da linguagem proposto por Bakhtin (Volochínov) (2009 [1929]). O universo de análise é composto por cinco revistas virtuais direcionadas à mulher adulta, que são a <em>Ana Maria</em>, <em>Claudia</em>, <em>Glamour</em>, <em>Marie</em> <em>Claire</em> e <em>TPM</em>. Destas, foram selecionados quinze textos-enunciados do gênero em estudo, sendo três de cada publicação. Na análise do pequeno cronotopo, percebemos que o lugar discursivo e a periodicidade ainda passam por movimentos de ressignificação e definição na medida em que as notícias são publicadas em suporte <em>online</em>. Além disso, entendemos que a posição de autoria está definida na medida em que segue a posição ideológico-valorativa das editoras, embora a autoria empírica não esteja relativamente estabilizada nas publicações, enquanto que o interlocutor previsto consiste na mulher adulta, o que já está estabilizado nas publicações, e é justamente o público potencial que orienta o que será publicado ou silenciado pelas revistas.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Amanda Maria de Oliveira, Rodrigo Acosta Pereira https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/6770 Percepção de acadêmicos surdos sobre a Plataforma Virtual Moodle 2021-08-12T16:27:51-03:00 Kelly Priscilla Lóddo Cezar kellyloddo@ufpr.br Adriano de Souza Pereira adriano1509pereira@gmail.com Katherine Fischer kathe.fischer@gmail.com <p>A pesquisa teve por objetivo investigar a percepção de acadêmicos surdos sobre o uso da plataforma virtual <em>Moodle</em>. Para tanto, optou-se por uma investigação de cunho exploratória, de caráter descritiva, com quinze acadêmicos surdos. A coleta de dados se deu através de entrevistas semiestruturadas (escrita do português e sinalizada em Libras) que versou sobre suas percepções quanto ao uso da plataforma, bem como seus recursos no contexto acadêmico. Os resultados mostraram que: a) Quanto ao uso da plataforma <em>Moodle</em>: a maioria dos entrevistados, 53,3%, disseram não se identificar por não gostarem, ao passo que 46,6% responderam achar interessante, mesmo considerando a baixa acessibilidade linguística. No que tange à questão sobre seus recursos (ferramentas), as respostas versaram por três categorias 1) 13,3% não encontraram dificuldades; 2) 13,3% encontram dificuldades razoáveis e 3) 73,3% apresentaram dificuldades em manusear, relacionando-as a duas questões centrais: a) falta de tradução em Libras dos materiais e b) falta de suporte no decorrer da disciplina – prática e conceitual. Os resultados encontrados vão ao encontro das considerações realizadas pela literatura especializada (CORRÊA; CRUZ, 2019) em que os acadêmicos surdos se identificam com o uso de plataforma, a definem como interessante e motivadora, porém a falta de acessibilidade linguística os desmotiva. Dessa forma, concluímos que a plataforma <em>Moodle</em> é capaz de auxiliar na aprendizagem dos surdos, mas necessita de uma implementação efetiva do bilinguismo – Libras como primeira língua e a escrita da língua portuguesa como segunda língua.&nbsp;</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Kelly Priscilla Lóddo Cezar, Adriano de Souza Pereira, Katherine Fischer https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/4343 Sequência didática para o trabalho com notícias do Sensacionalista na sala de aula 2020-12-16T18:58:28-03:00 Juliane Nogueira de Sá juliane2092@gmail.com Janayna Bertollo Cozer Casotti janaynacasotti@gmail.com <p>Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa-ação realizada em escola pública do município da Serra, estado do Espírito Santo, com vistas à aplicação de sequência didática elaborada para o trabalho com o gênero notícia, em uma turma do 7º ano do ensino fundamental. Entre as notícias selecionadas, estão as veiculadas pelo site Sensacionalista, que demandam o reconhecimento de aspectos relativos à intencionalidade do site, como a intertextualidade e a ironia. Nesse sentido, este artigo respalda-se teoricamente nos estudos de Bakhtin e seu Círculo (1993), Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), Koch, Bentes e Cavalcante (2012), Conceição e Domingos (2012), entre outros. A partir da análise de uma notícia produzida, de forma colaborativa, por um grupo de alunos da turma, considerando-se a produção inicial, os aspectos relativos aos episódios de sala de aula ocorridos durante a aplicação da sequência didática e a produção final da notícia, verificam-se os possíveis efeitos da sequência didática no processo de ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa. Os resultados dessa análise permitem corroborar que, pelo viés da intertextualidade e de outros recursos utilizados pelo site, como a ironia, pode-se desenvolver a reflexão crítica dos alunos que, na produção dos textos, dizem muito sobre o local onde vivem.</p> 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Juliane Nogueira de Sá, Janayna Bertollo Cozer Casotti https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/7191 Editorial 2021-10-08T16:11:05-03:00 Antonia Dilamar Araújo dilamar.araujo@uece.br Debora Liberato Arruda Hissa debora.arruda@uece.br 2021-10-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Antonia Dilamar Araújo, Debora Liberato Arruda Hissa