Made in Brazil

Inovações tecnológicas no âmbito de um sistema de autoria aberto para o ensino de línguas

Palavras-chave: Inovações Tecnológicas, Sistema de Autoria Aberto, Ensino de Línguas

Resumo

A necessidade de formação docente para o uso de tecnologias educacionais, amplamente difundida e debatida pela sociedade neste período de pandemia, também é foco de discussões na seara da Linguística Aplicada (LA), como área responsiva às demandas da sociedade contemporânea. É nesse contexto que estruturamos este artigo, no qual apresentamos um Sistema de Autoria Aberto (SAA) voltado à produção de Recursos Educacionais Abertos (REA) para o ensino de línguas – Ensino de Línguas Online (ELO). Neste trabalho, buscamos descrever possibilidades do ELO para o ensino de línguas, bem como apresentar inovações tecnológicas no contexto do SAA. Com relação ao primeiro objetivo, discutimos como é possível utilizar o SAA para produção e/ou adaptação de REA para o ensino de línguas, inclusive a partir de materiais disponíveis no próprio banco de atividades da ferramenta; exploramos, ainda, a definição e objetivo de cada módulo, bem como o funcionamento do feedback automático da ferramenta. No que tange ao segundo objetivo, apresentamos e discutimos a inovação tecnológica do ELO, que se refere à possibilidade de utilizar a ferramenta em dispositivos móveis. Esperamos ter contribuído com a difusão de uma ferramenta brasileira, gratuita, online e aberta, propiciando a formação de uma rede de colaboração entre autores/as de REA para o ensino de línguas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEVILÁQUA, A. F. et al. Ensino de Línguas Online: um Sistema de Autoria Aberto para a produção e adaptação de Recursos Educacionais Abertos. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 15, n. 1, p. 190-200, maio 2017. UNISINOS – Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

BEVILÁQUA, A. F. Linguagens e tecnologias a serviço de uma Ética Maior: a produção de Recursos Educacionais Abertos na perspectiva dos Letramentos Críticos. 2017. 114 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, RS, 2017.

BEVILÁQUA, A. F.; COSTA, A. R.; FIALHO, V. R. O poder está no touch: produção de Recursos Educacionais Abertos na perspectiva dos Letramentos Críticos. In: CARDOSO, R. M. et al. (Org.). Tendências contemporâneas na pesquisa em Linguística e Literatura: Rede Sul Letras. Campinas: Pontes, 2019, p. 308-324.

COSTA, A. R. Professores de línguas “na” e “em” rede? Formação continuada de educadores para práticas abertas de (re)produção de materiais didáticos online. 2016. 146 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, RS, 2016.

FONTANA, M. V. L.; FIALHO, V. R.. Ferramentas de Autoria para professores (FAPs): entre batatas quentes e outras delícias. In: FONTANA, M. V. L.; FIALHO, V. R.; TREVISAN, A. L. Línguas na EAD: construção coletiva. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2013. p. 88-98.

HILTON, J. et al. The four R’s of openness and ALMS analysis: frameworks for Open Educational Resources. Open Learning: the journal of open and distance learning, [online], v. 25, n. 1, p. 37-44, 2010.

LEFFA, V. J. Análise automática da resposta do aluno em ambiente virtual. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, p. 25-40, 2003.

______. Aprendizagem de línguas mediada por computador. In: LEFFA, V. J. (Org.). Pesquisa em Linguística Aplicada: temas e métodos. Pelotas: Educat, 2006a. p. 5 -30.

______. Uma ferramenta de autoria para o professor: o que é e o que faz. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 41, n. 144, p. 189-214, 2006b.

______. Nem tudo o que balança cai: Objetos de Aprendizagem no ensino de línguas. Polifonia, Cuiabá, v. 12, n. 2, p.15-45, 2006c.

______. Uma outra aprendizagem é possível: colaboração em massa, Recursos Educacionais Abertos e ensino de línguas. Trabalhos em Linguística Aplicada, [online], v. 55, n. 2, p.353-378, ago. 2016.

LEFFA, V. J. Produção de Materiais para o Ensino de Línguas na Perspectiva do Design Crítico. In: TAKAKI, N. H.; MONTE MOR, W. (Org.). Construções de sentido e letramento digital crítico na área de línguas/linguagens. Campinas: Pontes Editores, 2017, p. 243-265.

LEFFA, V. J.; VETROMILLE-CASTRO, R. Texto, hipertexto e interatividade. Revista de Estudos da Linguagem. Vol. 16, n. 2, p. 165-192, jul/dez 2008.

LEFFA, V. J.; COSTA, R. A.; BEVILÁQUA, A. F. O prazer da autoria na elaboração de materiais didáticos para o ensino de línguas. In: FINARDI, K. R.; TÍLIO, R.; BORGES, V.; DELLAGNELO, A.; RAMOS FILHO, E. (Org.). Transitando e transpondo n(a) Linguística Aplicada. Campinas: Pontes, 2019, p. 267-297.

PAIVA, V. L. M. O. de. A formação do professor para uso da tecnologia. In: SILVA, K. A.; DANIEL, F. G. de; KANEKO-MARQUES, S. M.; SALOMÃO, A. C. B. (Org.). A formação de professores de línguas: novos olhares - Volume II. Campinas: Pontes, 2012.

UNESCO. Declaração REA de Paris 2012. Paris, jul. 2012. Disponível em: <http://www.unesco.org/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CI/WPFD2009/Portuguese_Declaration.html>. Acesso em: 28 jul. 2020.

Publicado
2020-09-21
Como Citar
BEVILÁQUA, A.; COSTA, A.; FIALHO, V. Made in Brazil. Revista Linguagem em Foco, v. 12, n. 2, p. 8-29, 21 set. 2020.