Formas lexicais desviantes por aprendizes de Português L2

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46230/2674-8266-13-7438

Palavras-chave:

Desvios lexicais em L2, Transferência linguística, Morfologia Construtivista

Resumo

Este artigo descreve um estudo de natureza qualitativa que investigou dois tipos de formas lexicais desviantes em 23 produções escritas de falantes de italiano que aprendiam português como L2 em um contexto de imersão, subdivididos em dois grupos de proficiência. O objetivo principal foi verificar se haveria uma relação entre o nível de proficiência dos aprendizes e a tipologia de desvios encontrados – desvios por empréstimo e desvios por criação de neologismos. Esperava-se que (i) os aprendizes menos proficientes cometessem mais desvios por empréstimo, dado seu conhecimento linguístico mais limitado da L2, e que (ii) os aprendizes mais proficientes produzissem mais formas lexicais desviantes por criação de neologismos, uma vez que possuíam um maior conhecimento da língua-alvo. Nenhuma das previsões foi confirmada pela análise dos dados, efetuada com o suporte teórico da morfologia construtivista (BOOIJ, 2005, 2010, 2015). Explicações para o resultado obtido são fornecidas, com base em evidência de pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Baldo, Universidade de Coimbra – UC

Doutora em Linguística, Mestranda em Português como L2, Universidade de Coimbra, Coimbra, PT.

Referências

BOOIJ, G. Construction Morphology. In: HIPPISLEY, A.; STUMP, G. (Org.) The Cambridge Handbook of Morphology. Cambridge: Cambridge University Press, 2015, Cap 16, p. 424-448.

BOOIJ, G. The Grammar of Words – an introduction to linguistic morphology. Oxford: Oxford University Press, 2005.

CENOZ, J. The effect of linguistic distance, L2 status and age on cross-linguistic influence in third language acquisition. In: CENOZ, J.; HUFEISEN, B.; JESSNER, U. (Org.) Cross-linguistic Influence in Third Language Acquisition: Psycholinguistic Perspectives. Clevedon: Multilingual Matters, 2001.

ESTRELA, A.; ANTUNES, S. A sufixação num corpus de aquisição de PLE/L2. Pelos Mares da Língua Portuguesa, v. 3, 2017, p. 905-924.

GARCIA-LECUMBERRI, M. L.; GALLARDO, F. English FL sounds in school learners of different ages. In: GARCIA -MAYO, M. P.; GARCIA-LECUMBERRI, M. L. (Org.) Age and the acquisition of English as a foreign language. Clevedon: England: Multilingual Matters, 2003, p. 115-135.

GASS, S. M.; SELINKER, L. Second Language Acquisition – an introductory course. 3 ed. New York: Routledge, 2008.

GOLDBERG, A. E. Constructions – a construction grammar approach to argument structure. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

HERWIG, A. Plurilingual lexical organization: Evidence from lexical processing in

L1-L2-L3-L4 translation. In: CENOZ, J.; HUFEISEN, B.; JESSNER, U. (Org.) Cross-linguistic Influence in Third Language Acquisition: Psycholinguistic Perspectives. Clevedon: Multilingual Matters, 2001.

JARVIS, S.; ODLIN, T. Morphological type, spatial reference and language transfer. SSLA, v. 22, 2000, p. 535-556.

KELLERMAN, E. Toward a characterization of the strategy of transfer in second language learning. Interlanguage Studies Bulletin, v. 2, 1997, p.58-145.

LLACH, M. P. A. An overview of variables affecting lexical transfer in writing: a review study. International Journal of Linguistics, vol. 2, n. 1, 2010, p. 1-17.

LEIRIA, I. Léxico, aquisição e ensino do português Europeu Língua Europeu Língua não Materna. Aveiro: Fundação Calouste Gulbenkian, 2006. Disponível em: https://aeaveiro.pt/biblioteca/index.php?page=13&id=4779&db=. Acesso em: 25 mar 2021.

LO LUCA, M, G. Italiano: la formazione delle parole. Roma: Carocci Editore, 2020.

NAVES, T., MIRALPEIX, I.; CELAYA, M.L. Who Transfer More ... and What? Cross-linguistic Influence in Relation to School Grade and Language Dominance in EFL. International Journal of Multilingualism, vol. 2, n. 2, 2005, p.113-134.

NETO, N. A. S. Morfologia Construcional e alguns desafios para a análise de dados histórico da língua portuguesa. Domínios da Lingu@gem , v. 11, n. 3, Uberlândia, 2017, p. 468-501. Disponível em: http://periodicos.uefs.br/index.php/acordasletras/article/view/5904. Acesso em: 16 fev. 2021.

OLSEN, S. Errors and compensatory strategies: a study of grammar and vocabulary in texts written by Norwegian learners of English. System, v. 27, 1999, p.191-205.

POULISSE, N. A Theoretical Account of Lexical Communication Strategies. In: Schreuder, R.; Weltens, B. (Org.) The Bilingual Lexicon. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1993, p. 157-189.

RINGBOM, H. Cross-linguistic similarity in foreign language learning. Clevedon: Multilingual Matters, 2007.

RIO-TORTO, G.; RODRIGUES, A. S.; PEREIRA, I.; PEREIRA, R.; RIBEIRO, S. Gramática Derivacional do Português. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2013.

RIO-TORTO, G. Flexão e derivação: simetrias e assimetrias. Revista Portuguesa de Filologia, vol. XXIV, 2002, p. 253-289.

SELINKER, L. Interlanguage. International Review of Applied Linguistics, v. 10, 1972, p.209-231.

SINGLETON, D.; O’LAOIRE, M. The role of prior knowledge in L3 learning and use – further evidence of the psychotypological dimensions. In: ARONIN, P.; HUFEISEIN, B. The Exploration of Multilingualism – Development of Research in L3, multilingualism and multiple language acquisition. Amsterdã/Filadélfia: Johns Benjamin, 2009, p. 79-102.

Downloads

Publicado

2022-03-11

Como Citar

BALDO, A. Formas lexicais desviantes por aprendizes de Português L2. Revista Linguagem em Foco, Fortaleza, v. 13, n. 4, p. 134–154, 2022. DOI: 10.46230/2674-8266-13-7438. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/7438. Acesso em: 16 maio. 2022.