Ocorrência de rasuras orais e atividades metalinguísticas em processos de escritura a dois

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46230/2674-8266-15-6760

Palavras-chave:

Rasuras orais, Atividade metalinguística, Manuscrito escolar, Escrita colaborativa

Resumo

Considerando que os recentes estudos na área da aprendizagem da língua escrita indicam a importância da compreensão metalinguística no desenvolvimento das competências em leitura e em escrita, associado às práticas de ensino e aprendizagem da língua materna efetuadas na escola, este estudo tem por objetivo analisar as ocorrências de rasuras orais e atividades metalinguísticas efetivadas por alunos recém-alfabetizados durante tarefas de produção textual em colaboração. Vinculados aos estudos da Genética Textual, a partir de uma abordagem linguístico-enunciativa, considerou-se como unidade de análise o diálogo entre uma dupla de alunas recém-alfabetizadas ao escreverem um mesmo texto. Para isso, o percurso metodológico teve por base os registros audiovisuais da díade em processo de escritura, bem como o manuscrito escolar resultante dessa construção, preservando toda a ambientação da sala de aula. As produções de rasuras orais associadas às atividades metalinguísticas realizadas pelas crianças apontam, além dos conhecimentos já firmados pelos alunos no processo de ensino-aprendizagem, como resultados iniciais, os conhecimentos que estão sendo solidificados nesse processo de ensino de língua materna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karolynne Kaya Maria Amorim Moura, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Alagoas-UFAL. Membro do Laboratório de Manuscrito Escolar (LAME).

Eduardo Calil, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil (1995). Professor Titular da Universidade Federal de Alagoas, Brasil. Fundador/Coordenador do Laboratório do Manuscrito Escolar (LAME). 

Kariny Louizy Amorim da Rocha Vanderlei , Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Alagoas-UFAL. Professora Assistente do Curso de Pedagogia da UFAL - campus Arapiraca. Membro do Laboratório de Manuscrito Escolar (LAME).

Referências

AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva: elementos para uma abordagem do outro no discurso. In: AUTHIER-REVUZ, J. (Ed.). Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003. p. 11-80.

CALIL, E. Autoria: a criança e a escrita de histórias inventadas. 1. ed. Maceió: Editora da Universidade Federal de Alagoas, 1998.

CALIL, E. Autoria: a criança e a escrita de histórias inventadas. 2. ed. Londrina-PR: Eduel, 2004.

CALIL, E. Escutar o invisível: escritura & poesia na sala de aula. São Paulo: Editora da Unesp, 2008.

CALIL, E. O sentido das palavras e como eles se relacionam com o texto em curso: estudo sobre comentários semânticos feitos por uma díade de alunas de 7 anos de idade. Alfa, São Paulo, v. 60, n. 3, p. 531-555. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5794-1612-4

CALIL, E. Rasuras orais em Madrasta e as duas irmãs: processo de escritura de uma díade recém-alfabetizada. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 03, p. 589-602, jul./set., 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022012005000010

CALIL, E. Rasura oral comentada: Definição, funcionamento e tipos em processos de escritura a dois. In: SILVA, C. L.; DEL RÉ, A.; CAVALCANTE, M. (Orgs.). A criança na/com a linguagem: Saberes em contraponto. Porto Alegre: UFRGS, 2017. p. 161-192.

CALIL, E. Sistema Ramos: métodos para captura multimoldal de processos de escritura a dois no tempo e no espaço real da sala de aula. Alfa, São Paulo, v. 63, n. 1, p. 31-57, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11705

CALIL, E.; FELIPETO, C. A singularidade do erro ortográfico nas manifestações da língua. Estilo da Clínica, v. XIII, n. 25, p. 118-137, 2008. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v13i25p118-137

CALIL, E; FELIPETO, C. Rasuras orais semânticas na escritura a dois: a metaenunciação em histórias inventadas. Revista Intersecções, Natal, ano 7, n. 2, p. 150-164, maio, 2014.

CALIL, E.; MYHILL, D. Dialogue, erasure, and spontaneous comments during textual composition: What students’ metalinguistic talk reveals about newly literate writers’ understanding of revision. Linguistics and Education, London, v. 60, 2020, p. 1-15. DOI: https://doi.org/10.1016/j.linged.2020.100875

CALIL, E.; PEREIRA, L. Reconhecimento antecipado de problemas ortográficos em escreventes novatos: quando e como acontecem. Alfa, São Paulo, v. 62, n. 1, p. 91-123, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5794-1804-5

CAMPS, A; GUASCH, O.; MILIAN, M.; RIBAS, T. Metalinguistic activity: The link between writing and learning to write. In: CAMPS, Anna; MILIAN, Marta. (Eds.). Metalinguistic activity in learning to write. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2000. p. 103-124. DOI: https://doi.org/10.5117/9789053563410

BIASI, P. M. A genética dos textos. Tradução Marie-Hélène Paret Passos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010. (Coleção Delfos).

FABRE, C. Les brouillons d’écoliers oul’entrée dans l’écriture. Grenoble: Ceditel/L'Atelier du Texte, 1986.

FABRE, C. Les brouillons d'écoliers ou l'entrée dans l'écriture. Grenoble: Ceditel/L'Atelier du Texte, 1990.

FABRE, C. Brouillons scolaires et critique génétique: nouveaux regards, nouveaux égards? Linx, Paris, n. 51, p. 13-24, 2004. DOI: https://doi.org/10.4000/linx.160

FELIPETO, C. ‘À Dieu petit crapaud’: quand l’homonymie produit des désordres et des ratures dans un processus d’ecriture en collaboration. In: BORÉ, C.; CALIL, E. (Org.). L’école, l’écriture et la création. Paris: Ed. Bruylant-Academia, 2013, p. 189-202.

GRÉSILLON, A. Devagar: obras. In: ZULAR, R. (Org.). Criação em processo: ensaios de crítica genética. São Paulo: Iluminuras/Fapesp/Capes, 2002. p. 147-76.

GUTIÉRREZ, X. What does metalinguistic activity in learners' interaction during a collaborative L2 writing task look like? The Modern Language Journal, v. 92, p. 519-537, 2008. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1540-4781.2008.00785.x

MYHILL, D. JONES, S. Conceptualizing metalinguistic understanding in wrinting. Culture and Education, n. 27, v. 4, 2015. DOI: https://doi.org/10.1080/11356405.2015.1089387

MYHILL, Jones & Wilson. Writing conversation: fostering metalinguistic discussion about writing. Research Papers in Education, n. 1, v. 1, p. 23-44, 2016. DOI: https://doi.org/10.1080/02671522.2016.1106694

Downloads

Publicado

2023-04-07

Como Citar

MOURA, K. K. M. A.; CALIL, E.; VANDERLEI , K. L. A. da R. Ocorrência de rasuras orais e atividades metalinguísticas em processos de escritura a dois. Revista Linguagem em Foco, Fortaleza, v. 15, n. 1, p. 75–91, 2023. DOI: 10.46230/2674-8266-15-6760. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/6760. Acesso em: 25 jul. 2024.