O Tratamento da modalidade deôntica na perspectiva Retórica-funcional

Possível no Espaço de Sala de Aula?

  • Léia Cruz de Menezes Universidade da Integração Internacioal da Lusofonia Afro-Brasileira – Unilab
Palavras-chave: Modalidade Deôntica, Ensino, Língua Portuguesa

Resumo

Por meio de expressões linguísticas modalizadoras deônticas, aquele que fala ou escreve exprime avaliações de estado de coisas em termos de um sistema de normas moral, legal ou social e, ao assim fazer, constrói imagens de si no discurso. Os valores deônticos estendem-se dos extremos da obrigação à proibição, passando pela permissão. Tais expressões estão presentes tanto em contextos de fala informal – quando um responsável por uma criança diz, por exemplo, que ela não deve atravessar a rua sem olhar para os lados – quanto em contextos marcados por alto grau de formalidade – quando um político diz em seu discurso na Câmara dos Deputados que não devemos tolerar essa ou aquela situação. Partindo do pressuposto de que o objetivo do professor de língua portuguesa é contribuir significativamente para que os alunos ampliem sua competência no uso oral e escrito da língua (ANTUNES, 2003; BNCC, 2017), propomos uma reflexão acerca das possibilidades de um trabalho com a categoria modalidade deôntica a partir de uma perspectiva retórico-funcional (MENEZES, 2011). Neste artigo, percorreremos um caminho da teoria à prática, apresentando propostas de atividades que possam fomentar reflexão acerca dos efeitos de sentido produzidos por expressões modalizadoras deônticas em contextos reais de uso da língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES, I. A. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 10 fev. 2020.

HENGEVELD, K.; MACKENZIE, J. L. Functional Discourse Grammar: A typologically-based theory of language structure. Oxford: Oxford University Press, 2008.

HENGEVELD, K. Mood and modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. (Ed). Morphology: a handbook on inflection and word formation. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004. p.1190-1202.

LYONS, J. Semantics. Cambridge: Cambridge University Press, 1977. v. 2.

MENEZES, L. C. de. Modalização deôntica e retórica perelmaniana. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - v. 8 - n. 2 - p. 162-176 - jul./dez. 2012.

MENEZES, L. C. de. Expressões linguísticas modalizadoras deônticas em função argumentativa: um exercício de análise retórico-funcional. 2011. 332p. Tese (Doutorado em Linguística) - Faculdade de Letras, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

MENEZES, L. C. de. A modalidade deôntica na construção da persuasão em discursos políticos. 2006. 122p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2006.

MOSCA, L. L. S. A atualidade da retórica e seus estudos: encontros e desencontros. Retórica. Actas do I Congresso Virtual do Departamento de Literaturas Românicas. Disponível em: http://dlcv.fflch.usp.br/sites/dlcv.fflch.usp.br/files/linei002_0.pdf. Acesso em 10 de jan.2020.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução por Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1996. (trad. de Traité de l´Argumentation. La Nouvelle Rhétorique, Paris: PUF, 1958)

VERSTRAETE, J. C. The problem of subjective modality in the Functional Grammar model. In: MACKENZIE, J. L.; GÓMEZ-GONZÁLEZ, M. Á. (Eds.). A new architecture for Functional Grammar (Fuctional Grammar Series 24). Berlin/New York: Mouton de Gruyter, 2004, p. 243-273.
Publicado
2020-06-25
Como Citar
DE MENEZES, L. O Tratamento da modalidade deôntica na perspectiva Retórica-funcional. Revista Linguagem em Foco, v. 12, n. 1, p. 209-218, 25 jun. 2020.