Manifestações de Racismo e de Preconceito no Cordel Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum, de Firmino Teixeira do Amaral

Análise de uma Sequência Básica de Leitura

  • Leomar Alves de Sousa
  • Eliane Cristina Testa
Palavras-chave: Cordel, Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum, Preconceito e racismo, Sequência básica

Resumo

Este trabalho analisa uma sequência básica de leitura por meio do cordel Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum, de Firmino Teixeira do Amaral, desenvolvida numa turma de 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede pública estadual. Tal análise tem como objetivo evidenciar e discutir as manifestações de racismo e de preconceito presentes na obra. Metodologicamente, a sequência básica é aquela proposta por Rildo Cosson (2014), em que os sentidos do texto são mobilizados por meio da motivação, introdução, leitura e interpretação. Como fundamentação teórica, utilizamos os seguintes autores: Pinheiro (2012), Bajour (2012), Candau (2003), Leite (2008) e Marinho (2012). A leitura do referido cordel suscitou a priori ao professor duas questões: como o professor pode trabalhar o cordel como proposta de sequência básica de leitura, na disciplina de língua portuguesa? De que modo(s) abordar o tema racismo? Além disso, os alunos manifestaram a indagação: por que o racismo se manifesta no cordel? Essas questões nortearam o desenvolvimento deste texto, que apontou como reflexões sobre como a literatura de cordel pode levar o professor a uma prática docente socialmente significativa, além de possibilitar um modo de potencializar o pensamento crítico do aluno. Como resultado da análise evidenciamos que os alunos tiveram percepção das manifestações de racismo e de preconceito apresentadas no cordel em estudo, se posicionando criticamente diante de tais manifestações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, J. H. P. Diga um verso bem bonito. In: SILVVA, Débora C. S; CAMARGO, Goiandira O.; GUIMARAES, Maria S. B. (Orgs.). Olhar o poema: teoria e prática do letramento poético. Goiânia: Cânone, 2012.

AMARAL, F. T. do. Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum. São Paulo: Luzeiro, 2011.

BARROS, M. P. Relações de gênero na literatura de cordel. Curitiba: Appris, 2015.

BAJOUR, C. Ouvir nas entrelinhas: o valor da escuta nas práticas de leitura. Tradução de Alexandre Morales. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC, 1998.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.
CANDAU, V. M. (Org.). Somos tod@s iguais? Escola, discriminação e educação em direitos humanos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: ______. Vários escritos. 6. ed. São Paulo: Duas Cidades, 2017.

COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. 2. ed., 4. reimp. São Paulo: Contexto, 2014.

FERREIRA, J. P. Cavalaria de cordel: o passo das águas mortas. São Paulo: Hucitec, 1993.

GOMES, N. L. Educação e relações raciais: refletindo sobre algumas estratégias de atuação. In: MUNANGA, Kabengele (Org.). Superando o Racismo na escola. 2. ed. rev. Brasília: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

LEITE, M. Q. Preconceito e intolerância na linguagem. São Paulo: Contexto, 2008. (Coleção Linguagem e Ensino).

MARINHO, A. C. O cordel no cotidiano escolar. São Paulo: Cortez, 2012. (Coleção Trabalhando com... na Escola).

MUNANGA, K. Educação e diversidade cultural. Cadernos PENESB: Discussões sobre o Negro na Contemporaneidade e suas Demandas, Niterói, Rio de Janeiro, n. 10, jan./jun., 2010.

PINHEIRO, J. H. Diga um verso bem bonito. In: SILVVA, Débora C. S; CAMARGO, Goiandira O.; GUIMARAES, Maria S. B. (Orgs.). Olhar o poema: teoria e prática do letramento poético. Goiânia: Cânone, 2012.

PROENÇA, I. C. A ideologia do cordel. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Brasília, 1977.

REPÚBLICA, Presidência da. Estatuto da Igualdade Racial, Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Brasília: Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, 2013.

SANTOS, Arisvaldo da S. Literatura de cordel e interdisciplinaridade: rumos da literatura popular no Tocantins. 2017. Dissertação (Mestrado em Ensino de Língua e Literatura) – Universidade Federal do Tocantins, Palmas, 2017.

SINGER, Paul. Radiografia da “democracia racial” brasileira. In: REIS, Nelson dos. Racismo cordial: a mais completa análise sobre preconceito de cor no Brasil. São Paulo: Ática, 1995.

SOUSA, M. R. de. O cordel na sala de aula: a ressignificação do ensino de língua portuguesa [manuscrito]. 2014. Monografia (Especialização em Fundamentos da Educação: Práticas Pedagógicas Interdisciplinares) – Universidade Estadual da Paraíba, João Pessoa, 2014.

SOUZA, G. de. Poesia: um castelo e muitas pedras. In: ______. Poesia para crianças: conceitos, tendências e práticas. Curitiba: Piá, 2012.

VIEIRA, M. C.; BUSTAMANTE, L. Vergonha brasileira. Revista Veja, [S.l.], 17 nov. 2017.
Publicado
2020-03-23
Como Citar
DE SOUSA, L.; TESTA, E. C. Manifestações de Racismo e de Preconceito no Cordel Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum, de Firmino Teixeira do Amaral. Revista Linguagem em Foco, v. 11, n. 2, p. 121-135, 23 mar. 2020.