A PRODUTIVIDADE DA METONÍMIA NA FALA GOIANA

UMA ABORDAGEM SOCIOCOGNITIVA

  • Natália de Paula Reis UFG
  • Leosmar Aparecido da Silva UFG
Palavras-chave: Metonímia, Mecanismo cognitivo, Fala Goiana, Metaftonímia

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar o fenômeno da metonímia e sua produtividade em dados de fala do português contemporâneo falado em Goiás. Para tanto, este estudo teve como embasamento a perspectiva teórica de pesquisas que envolvem a metonímia, como um fenômeno presente no uso e como mecanismo cognitivo, tal como propõem Lakoff e Johnson (2002), Goossens (2002), Ferrari (2014), Silva (2012) dentre outros. Em vista disso, com base nos referenciais teóricos da Linguística Cognitiva, a leitura e a análise dos usos contemplaram os níveis gramatical, semântico e pragmático-discursivo das construções. O corpus de análise compreendeu os dados coletados pelos integrantes do Projeto Fala Goiana, ao qual este estudo está associado. Constatou-se, portanto, nos dados, uma grande produtividade do fenômeno da metonímia. Dentre as metonímias investigadas sobressaíram as do tipo todo pela parte, parte pelo todo, em especial as que são constituídas por partes do corpo, e de lugar pelo evento. Ademais, percebeu-se nos usos a recorrência da metaftonímia, ou seja, da relação entre metonímia e metáfora que se justapõem para adequar às necessidades comunicativas do falante.

Publicado
2018-06-09
Seção
Artigos