O QUE UM ANGU DE CAROÇO E A KETTLE OF FISH TÊM EM COMUM

  • Sarah Virginia Carvalho Ribeiro IFCE
  • Paula Lenz Costa Lima UECE
Palavras-chave: Metáforas Conceituais, Webcorp, Expressões Idiomáticas com Alimentos

Resumo

Tendo como fundamentação teórica a Linguística Cognitiva e os estudos sobre Metáforas Conceituais, analisamos 18 expressões idiomáticas com nomes de alimento, em inglês e suas traduções em português, licenciadas pela metáfora primária dificuldade/facilidade é um alimento difícil/fácil de manusear/ingerir, objetivando identificar como esses alimentos são usados metaforicamente na construção dessas expressões e se há interferência cultural em suas realizações. As expressões foram coletadas em dicionários de expressões idiomáticas, nas duas línguas, e selecionadas conforme suas ocorrências e frequências de uso, obtidas com as ferramentas Webcorp e Google Books N-gram. Observamos que os alimentos que compõem as expressões idiomáticas evidenciam a experiência corpórea do domínio fonte, tais como a dificuldade de manipular um ‘abacaxi’ ou uma ‘batata quente’, e a facilidade de ingerir um pedaço de ‘bolo’ ou ‘mamão’. Verificamos que essa metáfora conceitual licencia expressões idiomáticas mesmo quando elas são originadas de fatos históricos ou associadas a fábulas (e.g. to pull the chestnuts out of/from the fire), e que há evidências de influência cultural também na realização das expressões idiomáticas correspondentes em ambas as línguas contendo alimentos diferentes (e.g. a piece of cake e mamão com mel/açúcar) ou o mesmo alimento (e.g. walk on eggs/eggshells e pisar em/sobre ovos). Nossos resultados mostram que a indagação sobre o papel que a cultura exerce na composição das expressões idiomáticas é relevante, pois embora a geração da metáfora primária em si não envolva aspectos culturais, o léxico gerado por ela contém aspectos culturais que devem ser levados em consideração, principalmente nos estudos que envolvem mais de uma língua.

Publicado
2019-02-24