FRAMING NEGATIVAMENTE ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS

  • José Edelberto Costa Filho IFMA
  • Paula Lenz Costa Lima UECE
Palavras-chave: Linguística Cognitiva, MCI, Transgênicos, Linguística de Corpus

Resumo

Os organismos geneticamente modificados (OGMs) já estão presentes nos alimentos que consumimos há mais de vinte anos, entretanto, a discussão sobre eles ainda é cheia de controvérsias e, muitas vezes, polarizada entre os que os defendem e os que são contra o seu consumo, mesmo na sociedade americana, a maior produtora de alimentos geneticamente modificados. Investigamos a estrutura linguística e os modelos cognitivos idealizados (MCI) utilizados em notícias veiculadas pela mídia americana, buscando identificar os recursos com impacto nessa polêmica. Utilizando a linguística de corpus como guia metodológico, criamos e tratamos um corpus com 61 notícias sobre OGMs publicadas em quatro portais jornalísticos americanos online, a partir do qual analisamos as ocorrências e naturezas dos termos relativos e associados aos OGMs, bem como os MCIs proposicionais, especificamente frames de caráter negativo, gerados pela linguagem utilizada nas notícias. Verificamos que os artigos, de modo geral, tratam a questão dos OGMs utilizando muitas estruturas linguísticas negativas e evocando principalmente frames de RISCO, mesmo quando o debate tem apreciação positiva sobre os OGMs. Isto pode gerar insegurança para a sociedade e levá-la a não aceitar plenamente o alimento geneticamente modificado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-02-24
Como Citar
COSTA FILHO, J.; LIMA, P. FRAMING NEGATIVAMENTE ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS. Revista Linguagem em Foco, v. 10, n. 2, p. 65-78, 24 fev. 2019.