Cancelados, revogados e incanceláveis

a cultura do cancelamento na imprensa e nas redes sociodigitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46230/2674-8266-15-12395

Palavras-chave:

Cultura do Cancelamento, Imprensa, Redes Sociodigitais

Resumo

A cultura do cancelamento é uma expressão usada para se referir a uma forma de estigmatização social em que alguém é empurrado para fora dos círculos sociais ou profissionais devido a uma conduta considerada ofensiva pelos pares e pelo público em geral. Este artigo discute as características deste processo no ciberespaço a partir de uma pesquisa documental junto à imprensa e à rede sociodigital X entre os anos de 2018 e 2022. O objetivo foi demonstrar a presença de padrões e recorrências na prática do cancelamento contra personagens públicos sugerindo haver a existência de três tipologias principais: os cancelados, os revogados e os incanceláveis. Foram analisados 18 casos de cancelamento com grande repercussão na sociedade brasileira, dos quais 4 foram selecionados para indicar a existência destas tipologias. Os resultados alcançados indicam que a cultura do cancelamento, embora multifacetada, possui características próprias a cada tipo. De um modo geral, seus desdobramentos apontam para a relevância cultural e política do debate sobre o impacto das redes sociodigitais nos comportamentos sociais offline, uma vez que os resultados revelam a possibilidade de reação e manifestação da opinião públicas a práticas e discursos considerados moralmente ofensivos, em particular direcionados a grupos historicamente marginalizados e oprimidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Rodrigo de Oliveira Alencar, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA)

Professor do Instituto Federal do Pará, Campus Belém. Possui doutorado em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará (2019), mestrado em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia (2011) e Graduação em Ciências Sociais com concentração na área de Antropologia pela mesma universidade (2008). Atualmente é coordenador do Núcleo de Pesquisa em Educação e Cibercultura (NUPEC), Presidente do Comitê Científico Local do IFPA/Campus Belém (gestão 2022-2024) vice-líder do Grupo Interdisciplinar de Estudo e Pesquisa em Cultura, Educação e Política (GICEP) da mesma instituição, membro do Grupo de Pesquisa Transdisciplinar sobre Corpo, Saúde e Emoções (CORPOSTRANS) com sede na Universidade Federal do Piauí, do Grupo de Pesquisa em Antropologia na Educação Básica e do Conselho Editorial do IFPA. Coordenou os projetos de pesquisa "Educação, cibercultura e mediatização do conhecimento" (2020-2021), "Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) aplicadas ao ensino" (2021-2022) e "O ritual e a cultura do cancelamento no Brasil" (2022-2023) todos com financiamento do CNPq e/ou FAPESPA. Atualmente coordena os projetos de pesquisa "Gênero e poder no ciberespaço", com financiamento do CNPq, e "Ciberespaço e populismo digital" e "Parentesco, política e redes sociais" com financiamento da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IFPA, e o Projeto de Extensão "Laboratório de Tradução do Núcleo de Pesquisa em Educação e Cibercultura" (LABTEC). 

Paulo Victor, Instituto Federal do Pará (IFPA)

Pós-Graduando em Saberes, Linguagens e Práticas Educativas na Amazônia (IFPA). Graduando em Letras - Língua Portuguesa (IFPA). Bacharel em Direito (ESMAC). Bolsista de Iniciação Científica do Núcleo de Pesquisa em Educação e Cibercultura (NUPEC/IFPA), responsável pelo projeto "O ritual e a cultura do cancelamento no Brasil: estudo qualitativo a partir de práticas discursivas na imprensa e na rede social Twitter entre 2018 e 2021" financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Tem experiência na docência, com Metodologia da Produção Científica - TCC I e TCC II. 

Wilma Beatriz, Instituto Federal do Pará (IFPA)

Graduanda em Terapia Ocupacional. Universidade da Amazônia (UNAMA); Técnicas em Desenvolvimento de Sistemas, Instituto Federal do Pará (IFPA), Bolsista de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (CNPq) vinculada ao Núcleo de Pesquisa em Educação e Cibercultura (NUPEC) do Instituto Federal do Pará por meio do Projeto de Pesquisa Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) aplicadas ao ensino: em busca de uma reconstituição histórica da Educação a Distância e seus impactos no Ensino Remoto Emergencial durante a Pandemia Covid-19 junto ao Instituto Federal do Pará, Campus Belém". Possui experiência na área de Tecnologia da Informação, com ênfase em Desenvolvimento de Sistemas.

Referências

A Vida Depois do Tombo. Direção: Patrícia Carvalho e Patricia Cupello. Produção de Estúdios Globo [S .L]: Globoplay, 2021. (35 min).

ALENCAR, B. R. O.; RIBEIRO, P. V. S.; VEIGA, A. B. M.; SOUZA, A. C. R.; ALVES, W. B. C. O ritual e a cultura do cancelamento no Brasil: estudo qualitativo a partir de práticas discursivas na imprensa e na rede social Twitter entre 2018 e 2021. 2022. 10 f. Projeto de Pesquisa. EDITAL n. 05/2022 – PIBICTI/PROPPG/IFPA/CNPq, Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Pará – IFPA, Belém, 2022. Disponível em: https://nupecifpa.com/andamento/. Acesso em: 13 fev. 2024.

ANIL, P. The rise of Indian cancel culture. The Espectator, Londres, 20 nov. 2021. Disponível em: https://www.spectator.co.uk/article/the-rise-of-indian-cancel-culture/. Acesso em: 04 abr. 2023.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1994.

BEINER, A. Sleeping woke: Cancel culture and simulated religion. Medium, São Francisco, 17 jul. 2020. Disponível em: https://medium.com/rebel-wisdom/sleeping-woke-cancel-culture-andsimulated-religion-5f96af2cc107. Acesso em: 23 mar. 2022.

BRAGHIROLI, S. Cancel culture: the road to obscurantism. New Europe, 2021. Nova Europa. Disponível em: https://www.neweurope.eu/article/cancel-culture-the-road-to-obscurantism/. Acesso em: 06 jul. 2023.

BURGESS, J.; MITCHELL, P.; MÜNCH, F. V. Social media rituals: The uses of celebrity death in digital culture. In: PAPACHARISSI, Z. (Org.). A networked self and birth, life, death. London: Routledge, 2018. p. 224-239.

BOILAIT, E. La cancelar cultura fabrique-t-elle une génération d'ignorants?. Le Figaro Vox, Paris, 31 ago. 2022. Disponível em: https://www.lefigaro. fr/vox/culture/la-cancel-culture-fabrique-t-elle-une-generation-d-ignorants-20220831. Acesso em: 06 jul. 2023.

COTTLE, S. Mediatized rituals: beyond manufacturing consent. Media, Culture & Society, [S.L.], v. 28, n. 3, p. 411-432, mai. 2006. SAGE Publications. http://dx.doi.org/10.1177/0163443706062910. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0163443706062910. Acesso em: 13 fev. 2024.

DEMARTINI, F. A “cultura de cancelamento” foi eleita como termo do ano em 2019. Canaltech, São Paulo, 02 dez. 2019. Disponível em https://canaltech.com.br/redes-sociais/a-cultura-de-cancelamento-foi-eleita-como-termo-do-ano-em-2019-156809/. Acesso em: 13 fev. 2024.

DOMINGOS, V. M. Depois do cancelamento: O impacto na relação entre o seguidor e o influenciador digital e na perceção das marcas a ele associadas. 2021. 275 f. Dissertação (Mestrado em Publicidade e Marketing) - Escola Superior de Comunicação Social, Lisboa, 2021. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/handle/10400.21/14250. Acesso em: 13 fev. 2024.

FAIRBANKS, E. Why Wasn’t I Cancelled? The Atlantic, Washington, D.C., 24 out. 2022. Disponível em: https://www.theatlantic.com/ideas/archive/2022/10/fear-cancel-culture-free-speech/671828/. Acesso em: 09 jul. 2023.

FERRARESI, M. Cancel Culture Comes to France. The Wall Street Journal, Nova York, 6 fev. 2020. Disponível em: https://www.wsj.com/articles/cancel-culture-comes-to-france-11581004454. Acesso em: 09 jul. 2023.

GOMES, W. O cancelamento da antropóloga branca e a pauta identitária. Folha de S. Paulo, São Paulo, 11 ago. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2020/08/o-cancelamento-da-antropologa-branca-e-a-pauta-identitaria.shtml. Acesso em: 13 fev. 2024.

HASKELL, S. Cancel Culture: A Qualitative Analysis of the Social Media Practice of Canceling. 2021. 120 f. Dissertação (Mestrado em Artes em Comunicação) - Boise State University, Boise, 2021. Disponível em: https://scholarworks.boisestate.edu/td/1851/. Acesso em: 13 fev. 2024.

JONES, J. China’s Extreme Cancel Culture and Increasingly Hostile Online Environment. The China Story, Camberra, 14 jun. 2022. Disponível em: https://www.thechinastory.org/chinas-extreme-cancel-culture-and-increasingly-hostile-online-environment/. Acesso em: 05 abr. 2023.

OBSERVATÓRIO dos famosos. Karol Conká pensou em tirar a própria vida após rejeição no BBB 21. Correio Braziliense, Brasília, 09 mar. 2023. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/diversao-e-arte/2023/03/5079133-karol-conka-pensou-em-tirar-a-propria-vida-apos-rejeicao-no-bbb-21.html. Acesso em: 13 fev. 2024.

KEHL, M. R. Lugar de “cale-se”!. In: Combate Racismo Ambiental, [S.L.], 11 ago. 2020. Disponível em: https://racismoambiental.net.br/2020/08/11/lugar-de-cale-se-por-maria-rita-kehl/. Acesso em: 06 jul. 2023.

KOZINETS, R. V. Netnografia: realizando pesquisa etnográfica online. São Paulo: Penso Editora, 2014.

LAIDLAW, E. B. Online Shaming and the Right to Privacy. Laws, [S.L.], v. 6, n. 1, p. 3, 2017. Disponível em: https://www.mdpi.com/2075-471X/6/1/3. Acesso em: 13 fev. 2024.

LEE, A. Cancel culture in Asia. In: Durham Pro Bono Blog, [S. L.], 25 jun. 2021. Disponível em: https://www.durhamprobonoblog.co.uk/post/cancel-culture-in-asia. Acesso em: 20 jan. 2023.

LONDOÑO, D. R. La cultura de la cancelación, ¿justicia pública o límite del derecho de expresión?. EAN - Escuela de Administración de Negocios. Bogotá, 2022. Disponível em: https://universidadean.edu.co/blog/la-cultura-de-la-cancelacion-justicia-publica-o-limite-del-derecho-de-expresion. Acesso em: 09 jul. 2023.

LOU, C.; YUAN, S. Influencer Marketing: How Message Value and Credibility Affect Consumer Trust of Branded Content on Social Media. Journal Of Interactive Advertising, [S. L], v. 19, n. 1, p. 58-73, 2019. http://dx.doi.org/10.1080/15252019.2018.1533501. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/15252019.2018.1533501. Acesso em: 09 jul. 2023.

MOLINERO, B.; PASSOS, Ú. Boicotes virtuais se descolam de atos concretos e alimentam a intolerância, Folha de S. Paulo, São Paulo, 30 dez. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/12/boicotes-virtuais-se-descolam-de-atos-concretos-e-alimentam-a-intolerancia.shtml. Acesso em: 05 jul. 2023.

MOTTA-ROTH, D.; LOVATO, C. dos S. O poder hegemônico da ciência no discurso de popularização da ciência. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 9, n. 3, p. 251-268, set./ dez. 2011.

MOTTA-ROTH, D.; SCHERER, A. S. Expansão e contração dialógica na mídia: intertextualidade entre ciência, educação e jornalismo. DELTA, São Paulo, v. 28, n. spe, 2012.

MUIR, S. R.; ROBERTS, L. D.; SHERIDAN, L. P. The portrayal of online shaming in contemporary online news media: a media framing analysis. Computers In Human Behavior Reports, [S. L.], v. 3, p. 01-12, jan. 2021. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2451958820300518?via%3Dihub. Acesso em: 13 fev. 2024.

PEÑA, K. I. C.; CABARCAS, C. A. J. A cultura do cancelamento nas redes sociais: uma reprovação perigosa e injusta à luz dos princípios do direito penal. Revista Chilena de Derecho y Tecnología, [SL], v. 10, n. 2, p. 277-300, 31 dez. 2021. Universidad de Chile. http://dx.doi.org/10.5354/0719-2584.2021.60421. Disponível em: https://rchdt.uchile.cl/index.php/RCHDT/article/view/60421/69618. Acesso em: 06 jul. 2023.

PRETEAT, J.; SILVA, R. S.; TRISKA, R.; SCHULENBURG, H. Compreendendo a relação entre a gestalt e o design da informação na apresentação das ações curtir, comentar e compartilhar no Facebook. Travessias, Cascavel, v. 6, n. 3, 2013. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/7197. Acesso em: 13 fev. 2024.

RAZZALL, K. ¿Está la "cultura de la cancelación" acabando con el humor?. BBC News Mundo, Londres, 07 jan. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/mundo/noticias-59781709. Acesso em: 05 jul. 2023.

SCHWARCZ, L. M. Filme de Beyoncé erra ao glamourizar negritude com estampa de oncinha. Folha de S. Paulo, São Paulo, 2 ago. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/08/filme-de-beyonce-erra-ao-glamorizar-negritude-com-estampa-de-oncinha.shtml. Acesso em: 05 jul. 2023.

WEBER, M. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva, vol.1. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.

WESTENDARP, L. Pope Francis hits out at ‘cancel culture’. Politico, Arlington, 10 jan. 2022. Disponível em: https://www.politico.eu/article/pope-francis-cancel-culture-vatican-holy-see/. Acesso em: 06 jul. 2023.

YANG, B. China’s Nationalist Cancel Culture. The Diplomat, Tóquio, 5 set. 2021. Disponível em: https://thediplomat.com/2021/09/chinas-nationalist-cancel-culture/. Acesso em: 23 jan. 2023.

Downloads

Publicado

2024-05-14

Como Citar

ALENCAR, B. R. de O.; RIBEIRO , P. V. da S.; ALVES , W. B. da C. Cancelados, revogados e incanceláveis: a cultura do cancelamento na imprensa e nas redes sociodigitais. Revista Linguagem em Foco, Fortaleza, v. 15, n. 3, p. 59–79, 2024. DOI: 10.46230/2674-8266-15-12395. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/12395. Acesso em: 23 jul. 2024.