Engenharia Química na prática

a utilização de espaços não formais para o ensino de Química

Autores

  • Andreza de Faria Alves Cruz UFRJ
  • Thayana Zanelli Meireles Universidade Federal de Viçosa
  • Danyelly Matos Centro Universitário de Viçosa
  • Diego José Braga Centro Universitário de Viçosa
  • Luiza de Magalhães Centro Universitário de Viçosa
  • Rafaella Braga Centro Universitário de Viçosa
  • Vitória Maria Pereira Centro Universitário de Viçosa
  • Ruan Oliveira Centro Universitário de Viçosa
  • Fernanda Raquel Carvalho Centro Universitário de Viçosa

Palavras-chave:

Ensino, Espaços não formais, Experimentação, Popularização, Praças

Resumo

Os espaços não formais de educação têm sido vistos, cada dia mais, como grande potencial de popularização da investigação, contribuindo para a divulgação científica e o desenvolvimento da ciência e da cultura. O objetivo do artigo é relatar a experiência do projeto das feiras científicas em espaços-não formais, neste caso, as praças, nas cidades de Viçosa/MG e região; com a produção de limpa-vidros e suas distribuições para a comunidade em geral, propondo práticas interativas que correlacionavam os experimentos aos conceitos químicos. Foi possível observar que essas experiências se mostravam muito importantes para a popularização da ciência, visto que contemplavam de crianças aos idosos, leigos ou não leigos no conteúdo de Química, garantindo, assim, a participação de toda a comunidade do local. O projeto, além de muito eficaz para os receptores do conteúdo e da experiência, se mostrou de suma importância para os participantes ativos do projeto, que fixavam mais o conteúdo de Química ao realizar a sinergia entre conceitos teóricos e a prática, além do sentimento de gratidão de ensinar algo a alguém leigo no assunto, permitindo uma maior participação do público em geral, fazendo com que o conhecimento e a Ciência possam chegar para todos de forma democrática.

Referências

BENITE, C. R. M.; BENITE, A. M.C.; MORAIS, W. C.S.; YOSHENO, F. H. Estudos sobre o uso de tecnologia assistiva no ensino de química. Em foco: a experimentação. Revista Itinerarius Reflectionis, v. 12, n.1, p. 1-12, 2016.

COELHO, J. J. F.; TAMIASSO-MARTINHON, P.; SOUSA, C. Educação científica popular e protagonismo juvenil de mãos dadas: a ação de extensão PEPCiências no Colégio Estadual Professora Antonieta Palmeira, São Gonçalo, RJ. In: COELHO, J. J. F.;

COELHO, F. J. F.; DA SILVA, S. M.; TAMIASSO-MARTINHON, P.; SOUSA, C. Popularização da ciência, educação popular e ensino de ciências e saúde a partir do voluntariado: potencialidades e limitações no projeto PEPCiências na visão dos monitores. Rev. Ed. Popular, v. 19, n. 3, p. 273-292, 2020.

COSTA, J. M. A.; FREITAS, K. S.; SOUZA, M. C. Espaços não-formais e a educação em Ciências: o projeto Praças da Ciência no estado da Bahia. Interfaces Científicas - Humanas e Sociais, v. 7, n.3, p. 57 – 68, 2019.

FAÇANHA, A. A. B.; ALVES, F. C. Popularização das Ciências e Jornalismo Científico: possibilidades de Alfabetização Científica. Revista de Educação em Ciências e Matemática, v. 13, n. 26, p. 41-55, 2017.

FRANÇA, J. L. S.; MALHEIROS, J. M. S. Ensinando densidade por problemas e experimentos: será que afunda ou não afunda? XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC, Universidade Federal de Santa Catarina, 2017.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Revista em Extensão, v. 7, 2008.

MOTTA, M. K. F.; TAMASHIRO, M. N. Maisena com água: fluido não-newtoniano. Relatório Final – Tópicos de Ensino de Física. Universidade Estadual de Campinas, 2007. Disponível em: <https://sites.ifi.unicamp.br/lunazzi/files/2014/04/MarieleK_Tamashiro_RF.pdf> Acesso em: 29 jul. 2021.

PARENTE, A. G. L.; ALVES, J. M.; BEZERRA, S. H. O. Densidade e força de empuxo: imaginação e produção de um recurso didático. Revista REAMEC, v. 8, n.2, p. 793-816, 2020.

RENDEIRO, M. F. B.; GONÇALVES, C. B. Divulgação e popularização da Ciência: relato de experiência do projeto “Ciência às 7 e meia”. Rev. Areté, v. 7, n. 13, p. 222-231, 2014.

SILVA, J. D. S.; MONTEIRO, N. S.; GERMANO, A. P. P.; PEREIRA, A. J. S.; VASCONCELOS, F. C. G. C. Jogada química: construção do conhecimento científico a partir de situações do cotidiano à luz da teoria da atividade. Experiências em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, 2019.

TAMIASSO-MARTINHON, P.; SOUSA, C. (org.). Educação em Ciências, Saúde e Extensão Universitária. Curitiba: Brasil Publishing, 2019. p. 85-96.

Downloads

Publicado

2021-09-27

Como Citar

Cruz, A. de F. A., Zanelli Meireles, T. ., Matos , D. ., José Braga, D., de Magalhães, L., Braga, R., Maria Pereira, V., Oliveira, R., & Raquel Carvalho, F. (2021). Engenharia Química na prática: a utilização de espaços não formais para o ensino de Química. Conexão ComCiência, 1(3). Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conexaocomciencia/article/view/6835

Edição

Seção

Relato de experiência