• Tensões Mundiais
    v. 3 n. 5 (2007)

    Artista dessa edição

    Maria do Socorro Torquato Maia, ou Côca, nasceu na cidade de Parambu, na região de Inhamuns (CE), no dia
    26 de abril de 1958. Autodidata, desde jovem executa trabalhos artísticos, mas só em 1992 assumiu profissionalmente seu talento. Foi colaboradora assídua do jornal O Pão e ilustrou vários livros e cordéis. É desenhista, pintora e escultora. Desde 1996, dedica-se à produção de cerâmicas vitrificadas. Sua produção artística está intimamente ligada ao movimento armorial, criado por Ariano Suassuna, e busca, em síntese, uma arte elaborada a partir das mais profundas raízes da cultura nordestina. Côca Torquato tem realizado, de 1998 até os dias atuais, várias exposições (individuais e coletivas) em diversas capitais brasileiras e em países como França e Portugal.

  • Tensões Mundiais
    v. 3 n. 4 (2007)

    Artista dessa edição

    O quarto número de Tensões Mundiais apresenta as obras do artista plástico João Sérgio Sousa Lima (09/9/1946). Sua primeira exposição individual retratava os conturbados acontecimentos políticos de 1968.
    Neste ano, transferiu-se de Fortaleza para o Rio de Janeiro, onde participou do movimento artístico da cidade, estudou com Maria Bonomi e realizou trabalhos de criação visual. Na década de 1970, iniciou sua fase ecológica, denunciando as agressões aos espaços urbanos, a poluição nos rios e a devastação de florestas, o que lhe conferiu inúmeros prêmios no Brasil e no exterior. Sérgio continua atuante no mundo das artes.

  • Tensões Mundiais
    v. 2 n. 3 (2006)

    Artista dessa edição

    A obra da artista e educadora Nice ilustra os artigos deste terceiro número de Tensões Mundiais. O colorido vivo de suas pinturas e seus bordados revelam uma alma alegre, marcada pelos dias luminosos de Aracati, onde nasceu (18/07/1921). Desde que ingressou na Sociedade Cearense de Artes Plásticas (1950), sua vida tem sido dedicada à pesquisa e ao ensino de artes plásticas, particularmente em escolas públicas. Exposições no 9º Salão de Abril, em Fortaleza, ou na Casa das Culturas do Mundo e no 3º Salão Internacional de Arte Naif, em Paris (1986), fazem parte do cotidiano de Nice. Hoje, ela continua com seu trabalho de formação de jovens e crianças no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno.  

  • Tensões Mundiais
    v. 2 n. 2 (2006)

    Artista dessa edição 

    As pinturas de Estrigas, nascido Nilo de Brito Firmeza (19/09/1919), ilustram os artigos desta segunda edição da revista. Para ele, a arte é vida: expressa a tensão constante entre o ser humano e as forças da natureza, com as quais é preciso estabelecer elos de contato mediante rituais mágicos e religiosos. Ao suprir necessidades vitais da humanidade, a arte tornou-se, ela mesma, uma necessidade vital. Aos 87 anos, personagem e testemunha do movimento artístico, Estrigas é fundador da Sociedade Cearense de Artes Plásticas (1944-1958) e do Museu Firmeza (1969), além de autor de um conjunto de livros que formam parte da memória da arte brasileira.

  • Tensões Mundiais
    v. 1 n. 1 (2005)

    Artista dessa edição

    Os trabalhos da artista, professora e escritora cearense Maria Luiza Viana (1951-2005) ilustram os artigos deste número da revista Tensões Mundiais. Mariza, como era conhecida, participou de inúmeras exposições coletivas no Brasil e no exterior, destacando-se a Mostra Internacional na Espanha (1998) e o Salão Internacional da Gravura no Florean Museun, România (2004/2005).

26-30 de 30