https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/issue/feed Tensões Mundiais 2020-02-03T13:53:11-03:00 Mônica Dias Martins monica.martins@uece.br Open Journal Systems <p><strong><em>Tensões Mundiais </em></strong>dedica-se à livre e gratuita divulgação acadêmica interdisciplinar, publicando trabalhos relativos ao tema “nações e nacionalismos” e à dinâmica multifacetária que lhe é inerente: as relações entre sociedades e Estados, as mudanças nos instrumentos de força e os processos culturais. Desde 2005 a revista divulga trabalhos do Observatório das Nacionalidades, de pesquisadores brasileiros e estrangeiros. Nosso objetivo é renovar o debate sobre o principal fenômeno político e cultural da modernidade: a emergência e a afirmação das nações na chamada "ordem internacional".</p> <p>&nbsp;</p> https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2332 Editorial 2020-01-06T16:54:04-03:00 Luís Gustavo Guerreiro Moreira guguerreiro@gmail.com Mônica Dias Martins maricotamartins@gmail.com 2020-01-06T16:50:34-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1860 Roteiro de busca 2020-01-06T16:54:04-03:00 Otávio Velho otaviogvelho@gmail.com <p>Este artigo examina dilemas postos pela emergência de uma nova Direita para o mundo de hoje e as ciências sociais. Para isto retoma a obra de Karl Mannheim, especialmente a sua insistência em levar em conta todos os pontos-de-vista e o papel de uma <em>intelligentsia</em>. Considerações do filósofo Espinosa são trazidas para complementar essa linha de raciocínio, bem como subsídios retirados do trabalho do antropólogo Tim Ingold e do romancista Orhan Pamuk.</p> 2020-01-06T10:45:35-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1423 La capitalisation comme fausse solution à la sortie de crise 2020-01-06T16:54:05-03:00 Pierre Salama psalama@wanadoo.fr <p>Sauf mouvements sociaux de grande ampleur,<em>&nbsp;</em>les pays latino-américains qui avaient opté pour un système de répartition, se dirigent petit à petit vers un système mixte alliant le système de répartition - avec des retraites calculées à partir d’un salaire de référence faible -&nbsp;&nbsp;et le système de capitalisation, obligatoire ou non, pour ceux qui désireraient avoir une retraite plus élevée. On aurait ainsi un système de retraite universel par répartition faible couplé d’un système par capitalisation de plus en plus important. Cette réforme rapprocherait les pays ayant opté pour la répartition vers ceux qui comme le Chili, la Colombie, le Mexique ont favorisé le système de capitalisation en espérant qu’un jour cela favoriserait la croissance…et pas seulement la spéculation boursière. Cet article a pour objet d’analyser les raisons pour lesquels le système de retraite en Amérique latine doit évoluer compte tenu de la transition démographique sans pour autant entrer dans un système de capitalisation . Contrairement à ce qui est souvent écrit, il existe des solutions alternatives à celles qui sont proposées.</p> 2020-01-06T10:59:22-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1454 A capitalização como falsa solução para saída da crise 2020-01-06T16:54:05-03:00 Pierre Salama psalama@wanadoo.fr <p>Com exceção dos movimentos sociais de grande amplitude, os países latino-americanos, que optaram por um sistema de aposentadoria de distribuição, estão gradualmente se movendo em direção a um sistema misto que combina o sistema de distribuição - com aposentadorias calculadas com base em um baixo salário de referência - e o sistema de capitalização, obrigatório ou não, para aqueles que gostariam de ter uma aposentadoria com valor mais elevado. Isso resultaria em um sistema previdenciário universal de baixa remuneração, associado a um sistema de capitalização cada vez mais importante. Esta reforma aproximaria os países que optaram pelo sistema de distribuição de países como Chile, Colômbia e México, que favoreceram o sistema de capitalização, esperando que um dia isto poderia promover o crescimento...e não apenas a especulação no mercado de ações. O objetivo deste artigo é analisar as razões pelas quais o sistema previdenciário latino-americano deve evoluir à luz da transição demográfica sem entrar em um sistema de capitalização. Ao contrário do que é frequentemente escrito, existem soluções alternativas às propostas.</p> 2020-01-06T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1937 Setting the Agenda? 2020-02-03T13:46:17-03:00 Oscar Arruda d'Alva oscar.dalva@gmail.com Daniel Zirker, Prof. daniel.zirker@waikato.ac.nz <p>Este artigo examina a produção aparentemente seletiva de narrativas políticas pelos três principais jornais brasileiros a partir do uso de estatísticas econômicas. Empregamos análises de conteúdo para entender pelo menos três fenômenos: (i) os altos níveis de convergência da mídia impressa brasileira; (ii) o uso crescente e seletivo de estatísticas nacionais específicas; (iii) anomalias na produção de notícias envolvendo o uso dessas estatísticas entre 2015 e 2017.</p> 2020-01-06T15:34:34-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2079 O Estado anti-indígena 2020-02-03T13:41:14-03:00 Luís Gustavo Guerreiro Moreira guguerreiro@gmail.com Maria Augusta Assirati guta.assirati@gmail.com <p>O presente artigo tem por objetivo traçar as linhas gerais do indigenismo no Brasil a partir da percepção do Estado como um ente reprodutor e perpetuador das atuais contradições do capital e da sociedade. Ao mesmo tempo em que são afetados por um modelo de desenvolvimento que os considera como entrave à modernidade e à soberania nacional, os índios fortalecem sua atuação política e participativa nos processos de tomada de decisão.</p> 2020-01-06T16:40:28-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1464 Carnaval do Ntuduru 2020-02-03T13:53:11-03:00 Salomão Moreira Focna salo.focna@gmail.com Larissa Oliveira e Gabarra larissa.gabarra@unilab.edu.br <p>Esse trabalho objetiva compreender o papel do carnaval na construção da identidade nacional guineense. O carnaval é o espaço de sociabilidade onde as representações dos bens culturais (materiais e imateriais) da Guiné-Bissau são exibidas de forma livres e espontâneas, mas também pautadas por um incentivo nacional. Nessa miragem, acreditamos que o carnaval é um espaço por excelência da cristalização da identidade nacional na Guiné-Bissau, carregada de uma perspectiva política.&nbsp;&nbsp;</p> 2020-01-06T15:58:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2192 SADC 2020-01-06T16:54:07-03:00 Ercilio Neves Brandão Langa ercilio.langa@gmail.com ´Paula Graça Sacavinda paulacristingracas@gmail.com <p>O artigo aborda a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), em seu surgimento, contexto histórico, político e integração regional, a partir da revisão bibliográfica e de pesquisa documental. Terminada a II Guerra Mundial, na África, criam-se movimentos nacionalistas para descolonização, desenvolvimento e união entre países. A SADC surge das tensões entre dominação colonial e conflitos da África do Sul. Os países unem-se em bloco para reduzir a dependência econômica da África do Sul e isolar o <em>apartheid.</em></p> 2020-01-06T16:04:17-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/965 O cerco multidimensional à Teerã e a aproximação sino-iraniana 2020-01-06T16:54:07-03:00 Diego Pautasso dgpautasso@gmail.com Tiago Nogara tiagosnogara@gmail.com Augusto Gabriel Colório augustocolorio@hotmail.com Victor Leão Wobeto victorlwobeto@gmail.com <p>O presente artigo tem por objetivo compreender como o cerco multidimensional a Teerã (2005-2015), liderado pelos Estados Unidos e seus aliados, incidiu sobre o processo da aproximação sino-iraniana. Por um lado, foi um contexto de recrudescimento do expansionismo da diplomacia estadunidense, sobretudo após os atentados de 11 de Setembro. Por outro, a diplomacia chinesa impulsionou as relações bilaterais com o Irã explorando as contradições decorrentes das sanções impostas pelos Estados Unidos e seus aliados. Assim, Beijing fortaleceu os laços com Teerã sem comprometer seus interesses estratégicos junto a Washington e Riad. Em suma, o custo para impor ao Irã os interesses dos Estados Unidos pode ser a precipitação de novos alinhamentos de poder no Oriente Médio e Eurásia, cujo grande beneficiário tende a ser a China e sua iniciativa da Nova Rota da Seda.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> 2020-01-06T16:11:49-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2054 Passado e presente das Forças Armadas Brasileiras 2020-01-06T16:54:04-03:00 Rodrigo Jurucê Mattos Gonçalves jurucemattos@gmail.com 2020-01-06T16:44:43-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2055 An international approach to the famous glacial islands 2020-01-06T16:54:05-03:00 Bernard McGuirk bernard.mcguirk@nottingham.ac.uk 2020-01-06T16:47:32-03:00 ##submission.copyrightStatement##