Organismos internacionales y reforma del Estado en la Argentina

Resumo

Este artigo examina a reforma de Estado na Argentina durante o governo Menem. Um fator decisivo para sua consecução é a aliança entre credores internacionais, liderados pelo Banco Mundial e pelo FMI, e grupos econômicos nacionais associados a conglomerados estrangeiros. No decorrer do processo político denominado transformismo argentino, o Partido Peronista se afasta do ideário nacional-desenvolvimentista e dos setores sociais que representa. O estudo mostra a centralidade do Estado-nação para as políticas neoliberais e as reiteradas intervenções dos organismos multilaterais visando adequá-lo ao mercado global.
Publicado
2018-11-22
Como Citar
MARTINS, M.; PISTOLESI, S. Organismos internacionales y reforma del Estado en la Argentina. Tensões Mundiais, v. 4, n. 7, p. 235-259, 22 nov. 2018.