DEMOCRACIA PARTICIPATIVA NA VENEZUELA CONTEMPORÂNEA

  • GILBERTO MAIA UECE
  • Jovanil Oliveira
  • Mônica Martins
Palavras-chave: Democracia Participativa, Misones Bolivarianas, Consejos Comunales

Resumo

Esse artigo busca refletir a democracia participativa na Venezuela contemporânea, por meio das misiones bolivarianas e os consejos comunales, como expressão do poder popular na construção do socialismo do século XXI. Essa experiência participativa requer diagnósticos, avaliações e possíveis mudanças de rumo para atender as promessas contidas nos instrumentos legais e discursivos com pretensões de construir a democracia participativa e protagônica.

Biografia do Autor

Jovanil Oliveira

Possui graduação em Geografia - Licenciatura Plena pela Universidade Estadual do Ceará (2003), Especialização em Ensino de Geografia pela Universidade Federal do Ceará (2007), Especialização em Gestão Estratégica em Políticas Públicas pela Universidade Estadual de Campinas (2016) Mestrado em Sociologia pela UECE (2016). É Pesquisador do Núcleo de Pesquisas Sociais - NUPES e do Grupo de Pesquisa Gestão Pública e Desenvolvimento Urbano - GPDU, ambos da UECE. Atualmente é bolsista de doutorado da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico e professor efetivo da Secretaria de Educação Básica do Estado do Ceará - SEDUC. Tem experiência na área de Ciência Política, Administração Pública, Sociologia e Geografia com ênfase em Políticas Públicas, Direitos Humanos, Democracia Participativa, Gestão Urbana e Análise do Território.

Mônica Martins

Professora da UECE, coordenadora do grupo de pesquisa Observatório das Nacionalidades e editora da revista acadêmica Tensões Mundiais. Formada em Pedagogia pela PUC-RJ, concluiu mestrado e doutorado em Sociologia na UFC, sendo bolsista da CAPES-Fullbright na Universidade da Califórnia. Seus estudos sobre movimentos sociais, reforma agrária, desenvolvimento regional e meio ambiente foram publicados no Brasil, EUA e México. Na área de Ciência Política, seu interesse volta-se para as relações entre o internacionalismo e o nacionalismo, com ênfase na atuação dos organismos multilaterais. Dentre suas atividades recentes de pesquisa destacam-se o papel do Banco Mundial na América Latina, os vínculos desta instituição com as estratégias militares das grandes potências, o estudo sobre a formação das nacionalidades africanas, a investigação sobre a ideia de nação entre diferentes atores sociais desenvolvida em cooperação com a Universidade Nacional da Patagônia Austral - UNPA e a pesquisa em curso Literaturas, nacionalidades e colonialismos: cartografia social das comunidades imaginadas de Brasil, Cabo verde e Guiné-Bissau realizada com professores da UECE e UNILAB . Atualmente coordena o Programa de Pós-graduação em Sociologia e é representante do Brasil no Comitê Diretor da CLACSO.

Publicado
2020-04-24