QUEM ESCREVE TAMBÉM DEVE TER CORAGEM: MODOS DE PARTICIPAÇÃO NA SOCIEDADE ESCRITA DE UM AFRODESCENDENTE BRASILEIRO DO SÉCULO XIX

  • Lilian do Rocio Borba UNICAMP
Palavras-chave: Escrita de afrodescendente, Linguística sócio-histórica, D. Obá II

Resumo

Este artigo tem por objetivo refletir sobre modos de participação em práticas de escrita de indivíduos das chamadas “classes populares” na sociedade carioca da segunda metade do século XIX, focalizando sobretudo indivíduos afrodescendentes. O corpus é constituído por artigos redigidos por Cândido da Fonseca Galvão, o D. Obá II, publicados em jornais da imprensa da cidade do Rio de Janeiro, bem como por material iconográfico referente a esse sujeito histórico. Com relação ao método de análise, a abordagem proposta é serial e intertextual, uma vez que D. Obá publicou diversos artigos em periódicos do fim do século XIX – o que nesta pesquisa constitui uma série. A pesquisa se constitui em um estudo de caso no qual se busca construir uma abordagem interdisciplinar entre a linguística sócio-histórica e a história social. A análise elaborada permite afirmar que a escrita foi importante estratégia para Galvão/Obá participar ativamente das sociabilidades da época na sociedade urbana onde estava inserido. Os resultados prévios desta investigação fazem parte da pesquisa intitulada “Pronunciamentos de D. Obá II nos jornais da Corte: fontes para a história da escrita de afrodescendentes no século XIX”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACREE JR., W. G. Unsueño realizado: un letrado negro y el poder de sascritura. In: BORUCKI, Alex; ACREE JR., Willian G. (Eds.). Jacinto Ventura de Molina, la escritura negra enel Rio de la Plata. Montevideo: Linard y Risso, 2008.
ALKMIM, T.; ÁLVAREZ-LÓPEZ, L. Registros da escravidão: as falas de pretos velhos e de Pai João. Stockholm Review of Latin American Studies, n. 4, p. 37-47, Mar. 2009. Disponívelem: . Acesso em: 11 fev. 2016.
ALKMIM, T. Português de escravos brasileiros: bases para seus estudos. In: SIMPOSIO INTERENACIONAL DE COMUNICACION SOCIAL, 8., 2003, Santiago de Cuba. Actas... Santiago de Cuba: 2003. p.143-46.
ANDREWS, R. G. Prólogo. In: BORUCKI, A.; ACREE JR, W. G. (Eds.) Jacinto Ventura de Molina, la escritura negra enel Rio de la Plata. Montevideo:Linard y Risso, 2008.
BARBOSA, A. G. Tratamento dos corpora de sincronias passadas da língua portuguesa no Brasil: recortes grafológicos e linguísticos. In: LOPES, C. R. S. (Org.). A norma brasileira em construção: fatos linguísticos em cartas pessoais do século XIX. Rio de Janeiro: UFRJ/ Pós-Graduação em Letras Vernáculas/ FAPERJ: 2005. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.
BORBA, L. do R. Escrita e comportamento social: Dom Obá II nas páginas dos jornais cariocas do século XIX. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 447-472, jul./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.
CUNHA, O.; GOMES, F. Introdução – Que cidadão? Retóricas da igualdade, cotidiano da diferença. In: CUNHA, O.; GOMES, F. (Orgs). Quase cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.
FARIAS, J. B. Mercado em greve: protestos e organização dos trabalhadores da Praça das Marinhas, Rio de Janeiro/século XIX. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA: PODER, VIOLÊNCIA E EXCLUSÃO, 19., 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPUH/SP-USP, 2008. CD-ROM. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.
FARIAS, J. B. Mercados Minas: africanos ocidentais na Praça do Mercado do Rio de Janeiro (1830-1890). 2012. 294f. Tese (Doutorado em História Social) -Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.
GALVÃO, A. M. O. Oralidade, memória e narrativa: elementos para a construção de uma história da cultura escrita. In: GALVÃO, A. M. O. et al. (Orgs.). História da cultura escrita: séculos XIX e XX. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2007.
KRAAY, H. Os companheiros de Dom Obá: Os zuavos baianos e outras companhias negras na guerra do Paraguai. Afro-Ásia, n.46, p.121-161, 2012.
MACIEL, L.O popular na imprensa: linguagens e memórias. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA: PODER, VIOLÊNCIA E EXCLUSÃO, 19., 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPUH/ SP-USP, 2008. CD-ROM. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.
MATTOS, H. M. Escravidão e cidadania no Brasil monárquico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.
MORAIS, C. C. Ler e escrever: habilidades de escravos e forros? Comarca do Rio das Mortes, Minas Gerais, (1731-1850). Revista Brasileira de Educação, v.12, n.36, p. 493-550, set./dez. 2007.
OLIVEIRA, K.; LOBO, T. Introdução (Ou como a África, no Brasil, avista a escrita). In: LOBO, T.; OLIVEIRA, K. (Orgs.). África à vista – Dez estudos sobre o português escrito por africanos no Brasil do sec XIX. Salvador: EDUFBA, 2009.
OLIVEIRA, K. Ajuntamento de fontes para a história do português popular brasileiro: amores, desamores e outras espécies de dores. Caderno de Estudos Linguísticos, Campinas, v.50, n.2, p.217-230, jul./dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2016.
OLIVEIRA, K. Negros e escrita no Brasil do século XIX:sócio-história, ediçãofilológica de documentos e estudos linguísticos.2006. 1198 f.,3v. Tese de Doutorado -
Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.
REIS, M. F. Úrsula; a escrava. Atualização do texto e posfácio de Duarte, Eduardo de Assis. Florianópolis: Ed. Mulheres; Belo Horizonte: PUC-Minas, 2009 [1859].
SCHLIEBEN-LANGE, B. História do falar e história da linguística. Tradução de F. Tarallo et al. Campinas: Editora da UNICAMP, 1993.
SCHWARCZ, L. M. Dos males da dádiva: sobre as ambiguidades no processo de Abolição brasileira. In: CUNHA, O.; GOMES, F. (Orgs.). Quase cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.
SCHWARCZ, L. As barbas do imperador: D Pedro II, um monarca nos trópicos. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras: 1998/1999.
SILVA, E. Dom Obá II D’África, o príncipe do povo: vida, tempo e pensamento de um homem livre de cor. São Paulo: Ed. Companhia das Letras, 2001 [1997].
SOARES, C. A capoeiragem baiana na corte imperial (1863-1890). Afro-Ásia, n.21-22, p.159-160, 1998-1999.
WISSENBACH, M. C. C. Cartas, procurações, escapulários e patuás: os múltiplos significados da escrita entre escravos e forros na sociedade oitocentista brasileira. Revista Brasileira de História da Educação, n.4, p.103-121, jul./dez. 2002. Disponível em: . Acesso em: 11 fev. 2016.

Arquivos e banco de dados consultados
Banco de dados TychoBrahe: http://www.tycho.iel.unicamp.br/~tycho/.
Fundação Biblioteca Nacional: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/.
Publicado
2019-09-20
Como Citar
BORBA, L. QUEM ESCREVE TAMBÉM DEVE TER CORAGEM: MODOS DE PARTICIPAÇÃO NA SOCIEDADE ESCRITA DE UM AFRODESCENDENTE BRASILEIRO DO SÉCULO XIX. Revista Linguagem em Foco, v. 8, n. 2, p. 55 - 66, 20 set. 2019.