DA EMERGÊNCIA DE UM GÊNERO NA MÍDIA DIGITAL: UMA ANÁLISE MULTIMODAL DO SCRAP COMODIFICADO

  • Vicente de Lima-Neto Hiperged/UFC
Palavras-chave: Scrap, Comodificação Discursiva, Multimodalidade

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar os aspectos multimodais composicionais responsáveis por práticas mercantis em scraps do Orkut, permitindo a emergência de um gênero na internet, que chamamos de scrap comodificado. Para isso, embasamo-nos na Gramática do Design Visual (GDV) de Kress e van Leeuwen ([1996] 2006) para a metafunção composicional dos scraps; no conceito de comodificação discursiva trabalhado por Fairclough (2001) e na perspectiva epistemológica bakhtiniana de gênero (BAKHTIN, 1997), apoiada pela corrente sociorretórica (MILLER, [1984] 2009) para a discussão sobre os gêneros discursivos digitais. Os dados apontam que alguns elementos composicionais estudados pela GDV são responsáveis diretos pela promoção de determinados sites que elaboram recados digitais para Orkut, o que leva à hipótese de estar havendo a emergência de um gênero híbrido, o scrap comodificado, constituído por cartões digitais e anúncios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: ______. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, [1953] 1997.
BHATIA, V. K. Analysing genre: language use in professional settings. London: Longman, 1993.
DIONISIO, A. P. Gêneros multimodais e multiletramento. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECKA, B.; BRITO, K.S. (Orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 159-177.
GAYDECZKA, B.; BRITO, K. S. (Org.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Palmas e União da Vitória, PR: Kaygangue, 2003. p. 159-177.
FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Editora da UnB, 2001.
HALLIDAY, Michael. An introduction to functional grammar. 3th. ed. London: Arnold, 2004.
KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. 2nd ed. London; New York: Longman, [1996] 2006.
LIMA-NETO, V. Mesclas de gêneros no Orkut: o caso do scrap. 2009. 213 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.
MILLER, C. Gênero como ação social. In: DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Org.). Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia. Trad. e adaptação de Judith Chambliss Hoffnagel et
al. Recife: EDUFPE, 2009, p. 21-44.
PALTRIDGE, B. Análise de gêneros e a identificação de fronteiras textuais. In: BEZERRA, B.; BIASI-RODRIGUES, B.; CAVALCANTE, M. M. (Org.). Gêneros e sequências textuais. EDUPE: Recife, 2009, p. 61-78.
SWALES, J. M. GenreAnalysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.
______.Re-thinking genre: another look at a discourse community effectis. In: Re-thinking Genre Colloquium, Carleton University, Ottawa, 1992.
Publicado
2019-09-15
Como Citar
DE LIMA-NETO, V. DA EMERGÊNCIA DE UM GÊNERO NA MÍDIA DIGITAL: UMA ANÁLISE MULTIMODAL DO SCRAP COMODIFICADO. Revista Linguagem em Foco, v. 3, n. 5, p. 65 - 76, 15 set. 2019.