RELATOS DE SI EM SITUAÇÃO DE CONDENAÇÃO PUNITIVA: A TRAJETÓRIA DE ADÃO

Autores

  • Leonardo Damasceno de Sá UFC
  • Maria Izabel Feitosa Accioly UFC
  • Deiziane Pinheiro Aguiar UFC

Palavras-chave:

Narrativas do eu, Práticas de escrita, Socialidade prisional, Sofrimento social

Resumo

Adão é um detento da Casa de Privação Provisória de Liberdade III, estabelecimento integrante do sistema penitenciário do Ceará. No contexto de cumprimento da pena por assassinato, ele desenvolveu um reposicionamento discursivo sobre suas condições de existência, falando e escrevendo sobre sua experiência na prisão. Elaborou livros artesanais, usando as tampas das quentinhas1 como suporte da escrita, encadernando-as com fios feitos de saco plástico, e reformulou assim os seus relatos de si, numa busca por novas narrativas de sua vida. Adão fez experimentações literárias relacionadas com sua trajetória de vida no confronto com as questões da punição, do sofrimento e da liberdade. Do ponto de vista teórico, este artigo está apoiado nas considerações de Pierre Bourdieu e Judith Butler acerca da relação entre linguagem, sofrimento social e narrativas do eu. Metodologicamente, parte de trabalho de campo e entrevistas em profundidade com Adão, além de leitura de seus materiais. O objetivo do artigo é compreender como se articulam a fala e a escrita de um sujeito em luta contra a condição de despossessão do eu ligada à condenação punitiva prisional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVAREZ, Marcos César; SALLA, Fernando; DIAS, Camila Nunes. Das Comissões de Solidariedade ao Primeiro Comando da Capital em São Paulo. Tempo Social, v.25, n.1, p.61-82, 2013.
BARREIRA, César. Crimes por encomenda: violência no cenário brasileiro. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Núcleo de Antropologia da Política, 1998.
BOURDIEU, Pierre (org.). A miséria do mundo, 7.ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.
BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: EDUSP, 1996.
BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.
COELHO, Edmundo Campos. A Oficina do Diabo e outros estudos sobre criminalidade. Rio de Janeiro: Record, 2005.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
GOFFMAN, E. Estigma: Estigma notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.
SCOTT, James C. Exploração normal, resistência normal. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília, n. 5, p. 217-243, July 2011.
SECRETARIA DE JUSTIÇA DO CEARÁ. Censo penitenciário 2013-2014. Disponível em: <http://www.sejus.ce.gov.br/index.php/component/content/article/58-cidadaniainterna/1827censo-penitenciario>. Acesso em: 27 jan. 2016.

Downloads

Publicado

2019-08-20

Como Citar

DE SÁ, L. D.; ACCIOLY, M. I. F.; AGUIAR, D. P. RELATOS DE SI EM SITUAÇÃO DE CONDENAÇÃO PUNITIVA: A TRAJETÓRIA DE ADÃO. Revista Linguagem em Foco, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 35–46, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/1552. Acesso em: 20 abr. 2021.