E AGORA JOSÉ, QUE DÊITICO É ESSE?

Autores

  • Joana D’arc Oliveira Cruz Pinheiro Universidade de Évora (Portugal)

Palavras-chave:

Dêixis, Dêiticos memoriais, Texto literário

Resumo

A dêixis é um fenômeno há muito estudado no âmbito linguístico, desde Bühler ([1934]1982). Contudo, a dêixis está longe de constituir-se um assunto exaustivamente explicado. A visão de dêixis atualmente ampliou-se muito além das “palavras índices” de Pierce da mesma maneira que o texto há muito não é compreendido apenas em sua realidade material. Um desses novos olhares sobre o texto e os dêiticos pode ser encontrado nos estudos sobre a chamada dêixis fictiva (Coutinho, 2008; Fonseca, 1992). Vemos a necessidade de estudar os processos dêiticos no texto literário por encontrar neste um ambiente singular para a construção de referência, por ser um dos discursos em que as coordenadas dêiticas dependem naturalmente de um alto grau de compartilhamento de conhecimento entre os interlocutores. Neste artigo, trataremos especificamente dos casos em que o advérbio “agora”, tipicamente um dêitico temporal, assume diferentes funções discursivas, provocando diferentes efeitos de sentido no texto literário. Para tal, analisamos o poema José de Carlos Drummond de Andrade. Pretendemos demonstrar como os dêiticos memoriais se relacionam com o texto literário de uma forma codependente. Neste recorte, apresentamos exemplos com o dêitico agora, que normalmente funciona como dêitico temporal, mas que tem, no texto literário, um uso memorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-04-01

Como Citar

PINHEIRO, J. D. O. C. E AGORA JOSÉ, QUE DÊITICO É ESSE?. Revista Linguagem em Foco, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 63, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/1189. Acesso em: 20 abr. 2021.