A QUEM INTERESSA PRESERVAR? UMA ANÁLISE DAS FACES E DA POLIDEZ LINGUÍSTICA EM NOTÍCIAS DO MST

Autores

  • Davi de Menezes Rebouças UECE
  • Ingrid Xavier dos Santos UECE
  • Letícia Adriana Pires Ferreira dos Santos UECE

Palavras-chave:

MST, Faces, Pragmática, Teoria da Polidez

Resumo

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é um movimento social inspirado na doutrina marxista, que tem como principal meta a reforma agrária. O movimento, desde a sua criação oficial na década de 70 até os dias atuais, atua como célula de resistência ao discurso conservador e hegemônico que é vinculado a ele pelo Estado e pela grande mídia. Embasando-se nos estudos sobre a Teoria da Polidez, alinhada aos estudos da Pragmática, este artigo tem como objetivo investigar como a mídia usa a polidez linguística para atenuar os atos de ameaça à face do MST. A partir das estratégias apontadas por Brown e Levinson (1983) e Leech (2005), refletimos sobre textos de notícias a fim de averiguar quais estratégias foram adotadas pelos jornalistas. Ao analisar duas notícias publicadas pelo portal G1, que tratam de uma ocupação realizada pelo MST, foi possível constatar que a mídia em questão, de seu lugar hegemônico e consolidado socialmente, arquiteta estratégias discursivas que tentam deslegitimar o movimento, trazendo em seu discurso apreciações negativas que criminalizam juridicamente o movimento, gerando, assim, uma ameaça à face e maculando a imagem discursiva do movimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-04-01

Como Citar

REBOUÇAS, D. de M.; DOS SANTOS, I. X.; DOS SANTOS, L. A. P. F. A QUEM INTERESSA PRESERVAR? UMA ANÁLISE DAS FACES E DA POLIDEZ LINGUÍSTICA EM NOTÍCIAS DO MST. Revista Linguagem em Foco, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 27, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/linguagememfoco/article/view/1186. Acesso em: 20 abr. 2021.