METÁFORA E SUBJETIVIDADE EM DISCURSOS SOBRE O ROMPIMENTO DA BARRAGEM DE REJEITOS DA SAMARCO EM MARIANA: UMA ANÁLISE DO JORNAL “A SIRENE”

  • Paulo Henrique Aguiar Mendes UFOP
Palavras-chave: Metáfora, Subjetividade, Discurso, Jornal “A Sirene”

Resumo

Neste trabalho, buscamos analisar metáforas produzidas a partir de discursos sobre o rompimento da barragem de rejeitos Fundão, da mineradora Samarco em Mariana (MG). Mais especificamente, focalizamos processos metafóricos presentes em uma das iniciativas da sociedade civil organizada, que se traduz pelo jornal A Sirene, produzido pelos atingidos e colaboradores, como ferramenta de comunicação e de mobilização. Utilizamos como fundamentação teórica noções oriundas da teoria da metáfora conceitual (Lakoff & Johnson, 2002), da teoria da integração conceitual (Fauconnier e Turner, 2002) e da semiótica cognitiva (Brandt, 2004; Brandt & Brandt, 2005; Oakley, 2009), buscando integrá-las organicamente na análise do objeto em questão. Quanto aos procedimentos metodológicos, propomos uma abordagem qualitativa de natureza heurística, com vistas à compreensão e à interpretação do processo de metaforização desse acontecimento, considerado a maior tragédia socioambiental do país, através do ponto de vista das populações atingidas, em termos da (re)construção de sua identidade e de padrões de acesso ao discurso proporcionados pelo jornal pesquisado.

Publicado
2019-02-23