A escola mandala: educação do campo, práxis e mística

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33241/cadernosdogposshe.v6i1.8073

Palavras-chave:

Educação do Campo, Práxis, Mística, Luta de Classes

Resumo

O presente artigo é fruto das experiências e leituras realizadas a partir do projeto de Iniciação Científica denominado “Educação do Campo é direito e não esmola: Educação Geográfica, Poder e Território nos percursos das tensionalidades e tensões no Ceará”, durante os anos de 2019 e 2020. Assim, o objetivo está calcado na discussão acerca dos meandros que permeiam a Educação do Campo, tendo em conta o caráter contra-hegemônico na luta de classes, a importância de uma formação que prevaleça o humano enquanto ser social e a mística enquanto potencialidade pedagógica nas escolas do campo. Realizamos trabalhos de campo em escolas do campo localizadas no estado do Ceará e pesquisa bibliográfica, a partir das seguintes categorias: a) Educação do Campo e formação humana; b) Educação do Campo e luta de classes; c) Mística e Educação do Campo. Como considerações finais, reiteramos a importância da Educação do Campo, diante de uma Educação emancipatória e contra hegemônica.

Biografia do Autor

Brendon Bessa Lima, Universidade Estadual do Ceará, UECE

Graduado em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Integrante do Grupo de Pesquisa Sistemas Técnicos e Espaço e do Grupo de Estudos e Articulação Ensino de Geografia e Territórios.

Francisco Glauber de Oliveira Paulino, Universidade Estadual do Ceará, UECE

Graduando do curso de Licenciatura em Pedagogia do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará - UECE.

Tereza Sandra Loiola Vasconcelos, Universidade Estadual do Ceará, UECE

Doutora e Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará (PROPGEO/UECE). Graduada em Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora adjunta I, em regime de Dedicação Exclusiva, compondo o corpo docente dos Cursos de Geografia da UECE, nos cursos de Licenciatura e Bacharelado, campus do Itaperi. Integra o Grupo de Pesquisa Sistemas Técnicos e Espaço. Coordena o Grupo de Estudos e Articulação "Ensino de Geografia e Territórios".

Referências

ALENTEJANO, Paulo. CORDEIRO, Tássia. 80 mil escolas fechadas no campo brasileiro em 21 anos. Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, Rio de Janeiro, 28 de nov. de 2019. Disponível em: < https://mst.org.br/2019/11/28/80-mil-escolas-fechadas-no-campo-brasileiro-em-21-anos/ >. Acesso em: 29 abr. 2020.

ARAÚJO, Maria Nalva Rodrigues de. Educação de Jovens e Adultos (EJA). In: CALDART, Roseli Salete; PEREIRA, Isabel Brasil; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 250-256.

BARBOSA, Lia Pinheiro. A Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária Popular nos Sertões de Crateús-CE. In: SAMPAIO, Amanda (Org.). À sombra das castanheiras: luta camponesa, cultura, memória e história. Fortaleza: Plebeu Gabinete de Leitura Editorial, 2017, p. 62-75.

BOGO, Ademar. Mística. In: CALDART, Roseli Salete; PEREIRA, Isabel Brasil; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012, p. 473-477.

CALDART, Roseli Salete. Educação do campo: notas para uma análise de percurso. Trab. educ. saúde [online], Rio de Janeiro, vol.7, n.1, p.35-64, 2009.

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

CAMACHO, Rodrigo Simão. A Geografia no contexto da Educação do Campo: construindo o conhecimento Geográfico com os Movimentos Camponeses. Revista Percurso, Maringá, v. 3, n. 2, p. 25-40, 2011.

CAMACHO, Rodrigo Simão. O território como categoria da Educação do Campo: no campo da construção/destruição e disputas/conflitos de territórios/territorialidades. REVISTA NERA (UNESP), Presidente Prudente, v. 22, n. 48, p. 38-57, 2019.

DAMASCENO, Cosma dos Santos. Contribuições e desafios da escola Francisco Araújo Barros para construção do projeto de agricultura camponesa do MST – Ceará. Dissertação (Mestrado profissional) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agrossistemas. Florianópolis, SC, 2015.

DANGIÓ, Meire Cristina dos Santos. A alfabetização sob o enfoque histórico-crítico: contribuições didáticas. Campinas: Autores Associados, 2018.

DUARTE, Newton. Os conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas: Autores Associados, 2016.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Questão agrária: conflitualidade e desenvolvimento territorial. In: STEDILE, João Pedro. A questão agrária do Brasil: o debate na década de 2000. São Paulo: Expressão Popular, 2013, p.143-237

FERNANDES, Bernardo Mançano. Os campos da pesquisa em Educação do Campo: espaço e território como categorias essenciais. In: MOLINA, Mônica Castagna (Org.). Educação do Campo e Pesquisa: questões para reflexão. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006, p. 27-59.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Contribuição ao estudo do campesinato brasileiro formação e territorialização do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST (1979 –1999). 1999. 318 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

FREIRE, Paulo. Conscientização. Tradução: Tiago José Risi Leme. São Paulo: Editora Cortez, 2016.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

LUKÁCS, Georg. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. Tradução de Rodnei Nascimento; revisão da tradução Karina Jannini. 3ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2018.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social. Tradução de Nélio Schneider; Ivo Tonet; Ronaldo Vielmi Fortes. São Paulo: Boitempo, 2013.

MAIA, Lucíola Andrade. Mística, educação e resistência no Movimento dos Sem-Terra MST. Fortaleza: Banco do Nordeste, 2008.

MARX, Karl. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. Tradução de Rubens Enderle, Nélio Schneider, Luciano Cavini Martorano. São Paulo: Boitempo, 2007.

MÉSZÁROS, Istiván. Para além do capital: rumo a uma teoria de transição. Tradução de Paulo Cezar Castanheira e Sérgio Lessa. São Paulo: Boitempo, 2011.

MOLINA, Mônica. A educação do campo é o resultado da luta dos trabalhadores rurais no Brasil". In: Entrevista realizada en el marco de la participación de CLACSO en el IX Congreso Internacional de Educación Superior Universidad 2014, celebrado en La Habana entre el 10 y el 14 de febrero de 2014. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=rM4y_1a0-Oc >. Acesso em: 28. abr. 2020

MOVIMENTO SEM TERRA. Café com MST - Virgínia Fontes. 2017. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=MCM4jHeHE0w >. Acesso em: 29 abr. 2020.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. 6ª ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas: Autores Associados, 2019.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Campinas: Autores Associados, 2018.

SOARES, Magda. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2019.

STEDILE, João Pedro. A questão agrária do Brasil: o debate na década de 2000. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico - livro para professores. Tradução de Zoia Prestes e Elizabeth Tunes. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução de José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

2022-03-09

Como Citar

LIMA, B. B.; PAULINO, F. G. de O.; VASCONCELOS, T. S. L. A escola mandala: educação do campo, práxis e mística: . Cadernos do GPOSSHE On-line, [S. l.], v. 6, n. 1, 2022. DOI: 10.33241/cadernosdogposshe.v6i1.8073. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/CadernosdoGPOSSHE/article/view/8073. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo