Razão e imaginação para todos os tempos

  • Otávio Velho
Palavras-chave: Razão, Imaginação, Fake news, Profecias, Presságios, Ciência

Resumo

Partindo das relações entre razão e imaginação enquanto modalidades de conhecimento na obra do filósofo Espinosa, são apresentadas diversas manifestações do imaginário. Definem-se as vulnerabilidades do imaginário, utilizando como exemplo as fake news. Após considerações sobre a razão tomando como caso exemplar o da Ciência, distingue-se um imaginário triste e um imaginário alegre. E privilegia-se este último para a constituição de um imaginário da ciência.

Biografia do Autor

Otávio Velho

Bacharel em Ciências Políticas e Sociais pela PUC-RJ (1964), é mestre em Antropologia Social pela UFRJ 1970, doutor em Filosofia pela Universidade de Manchester 1973, com pós-doutorado pela Stanford University (1981). Professor titular (1993) e professor emérito (2005) de Antropologia Social da UFRJ, é também pesquisador emérito do Departamento de Antropologia/Museu Nacional/UFRJ, pesquisador sênior do CNPq, reconhecido nacional e internacionalmente por suas contribuições à Antropologia. Foi membro da diretoria da SBPC por três mandatos ocupando os cargos de secretário (1983-1985) e vice-presidente (2007-2009 e 2009-2011) e membro do conselho, também por três mandatos 1979-1983; 1985-1989 e 1995-1999). Ele ainda é membro do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) e também presidiu a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs) entre 1986 e 1988. Foi também presidente do Instituto de Estudos da Religião – ISER (1989-1990).

Publicado
2020-09-30
Como Citar
VELHO, O. Razão e imaginação para todos os tempos. Tensões Mundiais, v. 16, n. 32, 30 set. 2020.