O silenciamento da educação infantil na pandemia da covid-19

Autores

  • DOUGLAS MANOEL ANTONIO DE ABREU PESTANA DOS SANTOS UNIVERSIDADE IBIRAPUERA

Palavras-chave:

Educação Infantil; Ensino remoto; Silenciamento.

Resumo

No isolamento social causado pela pandemia, o ensino infantil passou a ser desenvolvido por meio de atividades remotas conforme a orientação do Conselho Nacional de Educação (CNE). O objetivo desse estudo é propor uma reflexão acerca do silenciamento da Educação Infantil na Pandemia da COVID-19 partindo da compreensão de que com o fechamento das instituições escolares, os professores precisaram desenvolver práticas pedagógicas que garantissem o contato da criança com a escola. Esta pesquisa é descritiva de abordagem qualitativa, desenvolvida por meio de um formulário on-line produzido no Google Forms e divulgada nas redes sociais para a coleta dos dados. Os participantes do estudo são professores de crianças de 0 a 5 anos, que atuam em diversas cidades brasileiras em escolas públicas e privadas. As discussões apresentadas, apontam que a Educação Infantil é silenciada quando o ensino não presencial é proposto a partir de um pressuposto de normalidade, desconsiderando a realidade de vulnerabilidade social e econômica em que vivem as crianças matriculadas em escolas públicas e as condições formativas e de estrutura tecnológicas dos docentes.

 

 

Biografia do Autor

DOUGLAS MANOEL ANTONIO DE ABREU PESTANA DOS SANTOS, UNIVERSIDADE IBIRAPUERA

Membro da Rede Nacional da Ciência para a Educação- CPe Membro da Associação Brasileira de Autoimunidade Docente Pesquisador em Educação e Neurociência aplicada ABEPEE- Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial UNESP Associado(a) na categoria de Profissional, Nº de matrícula 15713, da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC) USP, filiada no Brasil, à Federação das Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE), à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e no exterior, à International Brain Research Organization (IBRO) e à Federação das Associações Latino Americanas e do Caribe de Neurociências Student Membership International Society for Telemedicine and eHealth -EUA e Membro da ABTms - Associação Brasileira de Telemedicina e Telessaúde.

Referências

AGÊNCIA SENADO. Elisa Chagas. DataSenado: quase 20 milhões de alunos deixaram de ter aulas durante pandemia. 12/08/2020. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/08/12/datasenado-quase-20-milhoes-de- alunos-deixaram-de-ter-aulas-durantepandemia. Acesso em: 17 de fev. 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

CAMPOS, Roselane Fátima; DURLI, Zenilde. Infância confinada:: liturgias de escolarização e privatização da educação infantil. Zero-A-Seis: DossiêEspecial: Educação Infantil em tempos de Pandemia, Santa Catarina, v. 23, n. 0, p. 221-243, jan. 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/79059/45382. Acesso em 13 de dez. de 2021.

CHAUÍ, M.S. Ideologia e Educação. Educação e Pesquisa, São Paulo: v.42,n.1, p.245-257, jan/mar.2016

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (Distrito Federal). Parecer CNE/CP Nº: 5/2020, de 28 de abril de 2020. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, 1 jun. 2020, seção 1, p. 32, 28 abr. 2020. Disponível em: http://portal.mec.gov. br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005- 20&category_slug=marco-2020- pdf&Itemid=30192. Acesso em: 27 jul. 2020.

DELBONI, Carolina. Educação Infantil sente impacto da pandemia no desenvolvimento da criança. 2021. Disponível em: https://emais.estadao.com.br/blogs/kids/educacao-infantil- sente-impacto-da-pandemia-no-desenvolvimento-da-crianca/. Acesso em: 24 maio 2021.

DIDONET, V. Construção histórica da integração de educação e cuidado na primeira infância no Brasil. In: NUNES, F. R.; CORSINO, P.; DIDONET, V. Educação infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília: UNESCO, Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, Fundação Orsa, 2011.

EDUCAÇÃO, Planeta. Os reais impactos da pandemia na Educação Infantil. 2021. Disponível em: https://www.plannetaeducacao.com.br/portal/a/460/os-reais-impactos-da- pandemia-na-educacao-infantil. Acesso em: 05 out. 2021.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GONÇALVES, E.M.R; BRITO, A.L.F. de M. Ensino remoto na Educação Infantil em tempos de pandemia: reflexões acerca das novas formas de ensinar Revista Práxis, v. 12,

n. 24, dezembro, 2020 p. 39-46. Disponível em: http://revistas.unifoa.edu.br/index.php/praxis/issue/view/109. Acesso: 28 de jan.2020

OLIVEIRA, Z.M.R. Educação Infantil. 8. Ed. rev. atual e ampl. São Paulo: Cortez, 2020.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

SANTOS, D. M. A. D. A. P. D. (2022). O silenciamento da educação infantil na pandemia da covid-19. Conexão ComCiência, 2(1). Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conexaocomciencia/article/view/7560