Reformismo em desencanto

as políticas públicas e o estado no capitalismo

  • Wagner Pires da Silva UFCA
  • Erlene Pereira Barbosa UFC
  • Paulo Henrique Freitas Maciel UFCA
  • Ana Carmita Bezerra de Souza UFCA

Resumo

Os primeiros anos do século XXI foram marcados pelas tentativas de reforma do Estado, em diversos países da América Latina. As políticas aplicadas representaram um avanço para os trabalhadores, no entanto não foram capazes de modificar sensivelmente as relações entre capital e trabalho, bem como, nos mais diversos países, os governos tem sido apeados do poder, por vias democráticas ou não. Por que as reformas do Estado não conseguiram modificar de modo permanente a situação da classe trabalhadora? Essa é a pergunta que o presente trabalho procura responder, por meio de um levantamento bibliográfico sobre a concepção de Estado em Marx, recorrendo assim a reflexão marxista, para compreender que os esforços por reformar o Estado e garantir um capitalismo mais humano, bem como uma emancipação das classes trabalhadoras sem contrariar a lógica do sistema capitalista terminam por perpetuar a exploração, ao apresentar como conquistas, algumas concessões feitas pela burguesia, concessões essas que ao primeiro sinal de crise são suspensas. O objetivo da pesquisa é mostrar que o Estado no capitalismo é irreformável, tendo, portanto, que ser substituído pelos trabalhadores por uma nova forma de organização para que a exploração do homem pelo homem possa ser interrompida.

Biografia do Autor

Wagner Pires da Silva, UFCA

Mestre em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior (UFC)

Administrador da UFCA

Erlene Pereira Barbosa, UFC

Pedagoga pela UECE. 

Graduanda em Ciências Sociais na UFC

Paulo Henrique Freitas Maciel, UFCA

Economista, Mestre em Educação e Doutorando em Educação pela UFC. 

Ana Carmita Bezerra de Souza, UFCA

Doutora em Educação Brasileira pela UFC.

Referências

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

ENGELS, Friedrich. Sobre a importância da luta política. In: Trabalhadores, uni-vos: Antologia política da I Internacional. Org.: Marcello Musto. São Paulo: Boitempo, 2014
GRESPAN, Jorge. Crítica da Economia Política, por Marx. In: Curso livre Marx-Engels: a criação destruidora. Org. José Paulo Netto. São Paulo: Boitempo, Carta Maior, 2015
IANNI, Octavio. Capitalismo, violência e terrorismo. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2004.
MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2002
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. Trad. Frank Müller. Sumaré/SP: Martin Claret, 2006
MARX, Karl. Miséria da filosofia. São Paulo: Martin Claret, 2008
MARX, Karl. Sobre a comuna. In: Trabalhadores, uni-vos: Antologia política da I Internacional. Org.: Marcello Musto. São Paulo: Boitempo, 2014
MENDES, Ana Maria Coelho Pereira; SOUZA-LIMA, José Edmilson de; HAMMERSCHMIDT, Karina Silveira de Almeida; LOURENÇO, Marcus Santos; GUARAGNI, Marcus Vinícius. Políticas públicas, desenvolvimento e as transformações do Estado brasileiro. In: Políticas públicas e indicadores para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Saraiva, 2010.
MASCARO, Alysson Lenadro. A crítica do Estado e do direito: a forma política e a forma jurídica. In: Curso livre Marx-Engels: a criação destruidora. Org. José Paulo Netto. São Paulo: Boitempo, Carta Maior, 2015
SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análises, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2014.
SEM, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
SILVA, Christian Luiz da; BASSI, Nadia Solange Schmidt. Políticas públicas e desenvolvimento local. In: Políticas Públicas e desenvolvimento local: instrumentos e proposições de análise para o Brasil. Christian Luiz da Silva (org). Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.
TRAGTENBERG, Maurício. Administração, poder e ideologia. São Paulo: Editora UNESP, 2005
TENÓRIO, Fernando Guilherme. (Re)Visitando o Conceito de Gestão Social. DESENVOLVIMENTO EM QUESTÃO. Editora Unijuí, ano 3, n. 5, p. 101-124. jan./jun. 2005
Publicado
2018-10-05
Seção
Demanda Contínua