A luta armada em Moçambique e a construção de uma nação

Autores

  • Samuel Correa Duarte
  • César Alessandro Sagrillo Figueiredo Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.33956/tensoesmundiais.v16i31.2779

Palavras-chave:

Moçambique; FRELIMO; Luta armada;, Estado-nação.

Resumo

A luta armada desenvolvida em Moçambique, no início da década 1960, pela Frente de Libertação Moçambicana (FRELIMO), deu o suporte necessário ao processo de independência moçambicana em 1975. Este artigo possui como objetivo principal examinar como se processou a luta de libertação nacional de Moçambique e a tentativa de construção de uma nova nação através da FRELIMO, negando o velho passado colonial português e construindo o que se convencionou chamar de o “homem novo moçambicano”. Para efeitos metodológicos tratar-se-á de um trabalho qualitativo, pois visa uma reconstituição histórico através do referencial bibliográfico referente ao objeto de estudo. No tocante aos resultados, constatamos que a despeito das tentativas de se erigir uma nova sociedade, Moçambique por razões naturais, política interna e internacional, não conseguiu o seu intento, principalmente pela contraofensiva da Resistência Nacional de Moçambique (RENAMO).

Biografia do Autor

César Alessandro Sagrillo Figueiredo, Universidade Federal do Tocantins

Graduado em Ciências Sociais e doutor em Ciências Políticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor de Ciências Sociais da Universidade Federal de Tocantins (UFT).

Downloads

Publicado

2020-06-08

Como Citar

DUARTE, S. C.; FIGUEIREDO, C. A. S. A luta armada em Moçambique e a construção de uma nação. Tensões Mundiais, [S. l.], v. 16, n. 31, p. 121–142, 2020. DOI: 10.33956/tensoesmundiais.v16i31.2779. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/2779. Acesso em: 20 abr. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)