Perspectivas para a formação didático-pedagógica de bachareis e tecnólogos

  • Isabel Magda Said Pierre Carneiro Instituto Federal do Ceará
  • Maria Marina Dias Cavalcante Universidade Estadual do Ceará
  • Fátima Maria Nobre Lopes Universidade Federal do Paraná

Resumo

Este artigo apresenta achados de uma investigação mais ampla desenvolvida no curso de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE). Tem como objetivo analisar as motivações dos professores para o ingresso na carreira docente e identificar as aprendizagens acadêmicas e profissionais que contribuíram para a constituição do "ser" professor. Acreditamos que tal análise possa contribuir para o aprofundamento dos estudos sobre o significado didático-pedagógico da formação dos professores, buscando a melhoria e inovação das práticas realizadas em sala de aula, no contexto da Educação Profissional e Tecnológica. A pesquisa qualitativa foi desenvolvida no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFCE), campus de Fortaleza onde realizamos entrevista semiestruturada junto a cinco docentes bacharéis e tecnólogos que lecionam nas disciplinas profissionalizantes dos cursos tecnológicos; teve como fundamentação teórica, principalmente, o pensador György Lukács (2013) acerca da centralidade do trabalho e do estabelecimento de posições teleológicas, além de autores como Marcelo (2009), Saviani (2007), Machado (2008; 2011), dentre outros. O estudo aponta para a importância da constituição de uma teleologia direcionada para a formação didático-pedagógica dos professores que já exercem suas funções nos cursos tecnológicos do IFCE no intuito de contribuir para a ressignificação dos seus conhecimentos e o desenvolvimento de experiências voltadas para uma práxis docente planejada, crítica e reflexiva.

Biografia do Autor

Isabel Magda Said Pierre Carneiro, Instituto Federal do Ceará

Doutora em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFCE).

Maria Marina Dias Cavalcante, Universidade Estadual do Ceará
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora da Universidade Estadual do Ceará (UECE)
Fátima Maria Nobre Lopes, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF, ano134, n. 248, p. 27833-27841, dez. 1996.
________. Decreto-Lei nº 4.073, de 30 de janeiro de 1942. Lei Orgânica do Ensino Industrial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1937-1946/Del4073.htm. Acesso em: julho. 2014.
________. Decreto-Lei nº 4024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4024.htm
Acesso em:julho.2014
________. Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5540.htm Acesso em: 12 jul.2014.
_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Proposta em discussão: políticas públicas para a Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, 2004. Mimeografado.
CANALI, H.H.B. A trajetória da Educação Profissional no Brasil e os desafios da Construção de um Ensino Médio Integrado à Educação Profissional.V Simpósio sobre Trabalho e Educação, Belo Horizonte: UFMG, 2009. isponível em: http://www.portal.fae.ufmg.br/simposionete_old2/sites/default/files/CANALI,Heloisa.pdf. Acesso em: julho. 2014.
DUARTE, N. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n.18, pp. 35-40, Dec. 2001.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782001000300004&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 16 nov. 2017
FERREIRA, R. Entre o sagrado e o profano: o lugar social do professor. Rio de Janeiro: Quartet, 2002.
KUENZER, A.Z. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica. DALBEN, A.; DINIZ, J.; LEAL, L.; SANTOS, L. (ORGS.). Convergências tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, pp. 479-496.
___________. Mesa redonda. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica: Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008. pp. 19-40.
LIMA, M.S.L. Parte II – O caule: concepções de didática. Aprendendo didática (inclusive) com a própria didática. LIMA, M. S.L.; SALES, J. de O. C.B. Aprendiz da prática docente: a didática no exercício do magistério. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002
LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo, 2013.
MACHADO, L. R. de S. Formação de Professores para a Educação Profissional e Tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: MEC/INEP. (Org.). Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. 1ª ed. Brasília: MEC/INEP, 2011, v. 8, p. 67-82.
______________. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, jun. 2008.
MARCELO, C. A identidade docente: constantes e desafios. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de professores. Volume 01/n.01 ago.-dez. 2009.
PETEROSSI; MENINO, S.E. Caminho e tendências da formação de professores de educação profissional técnica de nível médio. CUNHA, C. da; SOUSA, J.V. de; SILVA, M.A. da Universidade e educação básica: políticas e articulações possíveis. Brasília, Liber livro, 2012.
PIMENTA, S.G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In. PIMENTA, Selma G.; GHEDIN, Evandro (orgs). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.
SÁNCHEZ MORENO, M.R.; MAYOR RUIZ, C. Los jóvenes profesores universitários y su formación pedagógica. Claves y controvérsias. Revista de Educación 339. 2006, pp. 923-946.
SAVIANI. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan./abr. 2007.
VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.
Publicado
2018-10-08
Seção
Demanda Contínua