Caminos de resistencia al desarrollo de la explotación en Guatemala

Autores

  • Ana Clarice Mendonça Oliveira Uece/professora

DOI:

https://doi.org/10.33956/tensoesmundiais.v15i28.1328

Palavras-chave:

Estado, extrativismo, investimentos transnacionais, criminalização, resistência.

Resumo

A expansão do modelo de desenvolvimento neoliberal redesenhou práticas de acumulação por despossessão, aprofundando a instrumentalização de aparatos estatais em benefício de setores extrativistas, com renovados mecanismos discursivos ligados a práticas de subordinação e exploração dos povos e seus bens naturais. Diante disso, na Guatemala, iniciativas de autogestão combinam práticas inovadoras e caminhos ancestrais de resistência, remetendo-se à vida comunitária e espiritualidade dos povos originários.

Publicado

2019-08-26

Como Citar

OLIVEIRA, A. C. M. Caminos de resistencia al desarrollo de la explotación en Guatemala. Tensões Mundiais, [S. l.], v. 15, n. 28, p. 179–211, 2019. DOI: 10.33956/tensoesmundiais.v15i28.1328. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/1328. Acesso em: 6 dez. 2021.