Gaza

da tempestade de Al-Aqsa ao genocídio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.33956/tensoesmundiais.v20i42.12506

Palavras-chave:

Apartheid, Palestina, Colonialismo, Orientalismo, Genocídio

Resumo

Este artigo busca, a partir de uma perspectiva antropológica e historiográfica, sob uma análise de longa duração, compreender como se consolidou e quais os desdobramentos do colonialismo na atual Palestina. Adotaremos uma metodologia que intersecciona etnografia e historiografia, e traremos uma visão a contrapelo, produzida por pessoas palestinas, a partir da mídia contrahegemônica.

Biografia do Autor

Barbara Caramuru Teles, UFPR

Doutora em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC/ Atualmente realiza estágio de pós-doutorado na Universidade Federal do Paraná, UFPR. Professora (substituta) na UFPR. E-mail: b.caramuru@ufpr.br

Helena Manfrinato

Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. Atualmente é pesquisadora associada do CEBRAP. Email: manfrinatocso@gmail.com

Downloads

Publicado

04-06-2024

Como Citar

CARAMURU TELES, B.; MANFRINATO , H. Gaza: da tempestade de Al-Aqsa ao genocídio. Tensões Mundiais, [S. l.], v. 20, n. 42, p. 219–242, 2024. DOI: 10.33956/tensoesmundiais.v20i42.12506. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/tensoesmundiais/article/view/12506. Acesso em: 19 jul. 2024.