MODELO DOS 5E NO ENSINO INVESTIGATIVO DAS CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS EM CONDIÇÕES REMOTAS

Autores

  • Geyse Freitas de Sousa Universidade Estadual do Ceará
  • Fabrício Bonfim Sudério Universidade Estadual do Ceará

Palavras-chave:

Ensino de genética, Aulas remotas, Metodologias de ensino

Resumo

As metodologias investigativas favorecem o processo de aprendizagem e o modelo dos 5E contém etapas que permitem o desenvolvimento de habilidades para investigação em grupo. O objetivo geral deste trabalho foi apresentar os resultados de um projeto que envolveu o ensino da relação dos genes com a expressão de características em seres vivos a partir do sistema ABO por meio de uma abordagem investigativa. A atividade contou com a participação de 14 alunos do terceiro ano do ensino médio, cujas posturas e opiniões foram analisadas por observação direta e respostas a um questionário. A estratégia adotada (modelo dos 5E) envolveu cinco etapas, mediante utilização de plataformas digitais. Os alunos compartilharam ideias e a maioria das equipes conseguiu utilizar o quadro Jamboard® para construir painéis e resumir os resultados das pesquisas. Todos os participantes consideraram a metodologia adequada ao ensino remoto e o tema importante para os seus cotidianos.

Biografia do Autor

Geyse Freitas de Sousa, Universidade Estadual do Ceará

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestranda em Ensino de Biologia (PROFBIO-UECE). Professora de Biologia com vínculo temporário na Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC/CE). Experiência com monitoria acadêmica na área de Botânica.

Fabrício Bonfim Sudério, Universidade Estadual do Ceará

Mestre e Doutor em Bioquímica (UFC). Bacharel (UFC) e Licenciado em Ciências biológicas (UECE). Professor Associado "O" da UECE, vinculado ao Curso de Licenciatura em Ciências biológicas da FAEC/UECE. Docente do Mestrado Profissional em Ensino de Biologia (PROFBIO) e Docente Orientador do Programa Residência Pedagógica. Ampla vivência anterior como Coordenador de Área no PIBID. Experiência na área de Educação, com atuação em formação docente e em pesquisas nos Ensinos de Ciências e Biologia.

Referências

ALTARUGIO, Maisa Helena; DINIZ, Manuela Lustosa; LOCATELLI, Solange Wagner. O debate como estratégia em aulas de química. Química nova na escola, v. 32, n. 1, p. 26-30, 2010.

ALVES, Lynn. Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas-Educação, v. 8, n. 3, p. 348-365, 2020.

ARAUJO, Adriano Bruno; GUSMÃO, Fabio Alexandre Ferreira. As principais dificuldades encontradas no ensino de genética na educação básica brasileira. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, v. 10, n. 1, 2017.

BLASS, Leandro; IRALA, Valesca. Brasil. O uso da Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) como metodologia de ensino em aulas de Cálculo Numérico. Revista de Educação Matemática, v. 17, p. e020035-e020035, 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Eduacação, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 17 de maio de 2021.

BYBEE, Rodger. W., Taylor, J.A., Gardner A., Scotter, P. V., Powell, J.C., Westbrook, A.; Landes, N. The bscs 5e instructional model: origins and effectiveness. Office Of Science Education National Institutes Of Health. 1-80, 2006.

COSTA, Vanessa Sousa; COSTA, Felix Gomes da; CIPRIANO, Tyago Henrique Alves Saraiva; CASTRO, Ícaro Fillipe de Araújo. As tecnologias da informação e comunicação (TICs) como ferramentas para o ensino de genética em aulas não presencias. Anais do VII COINTER PDVL. Sociedade 5.0: Educação, Ciência, Tecnologia e Amor. Recife, 2020. Diponível em: https://cointer.institutoidv.org/smart/2020/pdvl/uploads/1190.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

FAZELIAN, Porandokht; NAVEH EBRAHIM, Abdolrarim; SORAGHI, Saeed. The effect of 5E instructional design model on learning and retention of sciences for middle class students. Procedia. Social and Behavioral Sciences, 5, 140–143, 2010.

GOMES, Helton. Como o Google quer fazer você esquecer do Zoom para videoconferências. Publicado em 29 de abril de 2020. Disponível em: https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2020/04/29/como-o-google-quer-fazer-voce-esquecer-do-zoom-para-fazervideoconferencias.htm. Acesso em: 20 abr. 2021.

MASCARENHAS, Marcia de Jesus Oliveira; SILVA, Vanessa Campos; MARTINS, Paula Regina Pereira; FRAGA, Elmary da Costa; BARROS Maria Claudene. Estratégias metodológicas para o ensino de genética em escola pública. Pesquisa em foco, v. 21, n. 2, 2016.

MÉDICI, Mônica Strege; TATTO, Everson Rodrigo; LEÃO, Marcelo Franco. Percepções de estudantes do Ensino Médio das redes pública e privada sobre atividades remotas ofertadas em tempos de pandemia do coronavírus. Revista Thema, v. 18, p. 136-155, 2020.

MIRANDA, Kacia Kyssy de Oliveira; LIMA, Alzenir da Silva; OLIVEIRA, Valeska Cryslaine Machado; TELLES, Cinthia Beatrice da Silva. Aulas remotas em tempo de pandemia: desafios e percepções de professores e alunos. Anais do VII Conedu. 2020. Disponível em: https://docplayer.com.br/202238566-Aulas-remotas-em-tempo-de-pandemia-desafios-e-percepcoes-de-professores-e-alunos.html. Acesso em: 23 ago. 2021.

PIFFERO, Eliane de Lourdes Fontana et al. Metodologias ativas e o ensino remoto de Biologia: uso de recursos online para aulas síncronas e assíncronas. Research, Society and Development, v. 9, n. 10, p. e719108465-e719108465, 2020.

ROSA, Roseane. Teresinha. Nascimento. Das aulas presenciais às aulas remotas: as abruptas mudanças impulsionadas na docência pela ação do Coronavírus - o COVID-191! Rev. Cient. Schola. Colégio Militar de Santa Maria Santa Maria, Rio Grande do Sul, v. 6, n. 1,2020.

SANCHEZ-CASTRO, E. Eduardo; PAJUELO-REYES, Cecilia. Importancia de la genética como ciencia en relación a la pandemia de COVID-19. Revista de la Facultad de Medicina Humana, v. 20, n. 4, p. 690-695, 2020.

SANTOS, Fábio Rocha dos. O uso do lúdico no ensino de Química: Uma visão discente. Revista Gestão Universitária, v 8. p. 1-24, 2017.

SANTOS, Cibele Coelho (2020). Atividades lúdicas no processo de ensino-aprendizagem: a vivência lúdica nas escolas da rede pública de ensino no município de Alcântara-Maranhão-Brasil. 147 f. Dissertação. (Mestrado em Ciência da Educação. Supervisão pedagógica). Escola Superior de Educação João de Deus, 2020.

SILVA, Arthur Borges; GUEDES, Josevânia Teixeira; SANTOS; Jucilene Santana; SANTOS, Vera Lucia Maia. O lúdico e o desenvolvimento intelectual: uma aprendizagem significativa no ensino de ciências. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, v. 8, n. 1, 2015.

TEMP, Daiana Sonego. Facilitando a Aprendizagem de Genética: Uso de um Modelo Didático e Análise dos Recursos Presentes em Livros de Biologia. 2011. 85p. Dissertação de Mestrado (Mestre em Educação em Ciências) Universidade Federal de Santa Maria -UFSM, Rio Grande do Sul-RS, 2011.

ZETÓLES, Maíra Gaigher; RAZZI, Patrícia Silveira da Silva. O ensino por investigação na escola do campo: uma relação entre as plantas medicinais e saúde. Revista Insignare Scientia-RIS, v. 3, n. 4, p. 477-490, 2020.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

Freitas de Sousa, G., & Bonfim Sudério, F. (2022). MODELO DOS 5E NO ENSINO INVESTIGATIVO DAS CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS EM CONDIÇÕES REMOTAS. Conexão ComCiência, 2(1). Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conexaocomciencia/article/view/6817

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)