De Besouro a Matinta: capoeira e filosofia na obra de Paulo César Pinheiro

Autores

  • Cicero Cunha Bezerra

Palavras-chave:

Paulo César Pinheiro, Besouro, Capoeira, Literatura, Filosofia, Música

Resumo

Paulo César Pinheiro (1949-) é um dos mais consagrados músicos brasileiros. Sua trajetória como compositor agrega parcerias com nomes como Pixinguinha, Baden Powell, Tom Jobim, Edu Lobo, João de Aquino, João Nogueira, Toquinho e muitos outros. Poeta, escritor (de romance e teatro), Paulo César é, provavelmente, o único compositor da música popular brasileira a compor um disco inteiramente dedicado a um capoeirista. Capoeira de Besouro (2010) é um marco na discografia da capoeira. Transitando entre o histórico e o mítico, a vida de Manoel Henrique Pereira ou Besouro mangangá, é cantada a partir de 14 toques de berimbau que revelam desde aspectos da personalidade conflitiva do negro no século XIX até dimensões sobrehumanas dignas das encantarias que povoam a cultura folclorica brasileira. Nesse artigo, realizo, em um primeiro momento, um percurso focado nos aspectos históricos em torno da figura de Manoel Henrique Pereira para, em seguida, adentrar na interpretação poético-musical articulando o romance Matinta, o Bruxo (2011) e as composições, em particular, presentes em Capoeira de Besouro buscando estabelecer os vínculos de similitudes entre o universo literário e fonográfico de Paulo César Pinheiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABIB, P. Memórias do Recôncavo: Besouro e outros capoeiras, vídeo-documentário, 2008. Disponível em : https://www.youtube.com/watch?v=gvP42zM5axM

ABIB, P. Capoeira Angola: cultura popular e o jogo dos saberes na roda, Campinas, 2004. Disponível em https://grupomel.ufba.br/sites/grupomel.ufba.br/files/capoeira_angola_cultura_popular_e_jogos_dos_saberes_na_roda.pdf

BONATES, K.K. Iúna mandingueira, a ave símbolo da capoeira, Manaus, Fênix, 1999.

CAMPOS, H. Capoeira Regional : a escola de Mestre Bimba. Salvador : EDUFBA, 2009.

CASCUDO, L. C. Dicionário do Folclore brasileiro, Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.

CASCUDO, L.C. Geografia dos mitos brasileiros. 2. ed. São Paulo: Global, 2002.

CASTRO, E.V. Rosa e Clarice, a fera e o fora, Revista Letras, Curitiba, UFPR, n. 98, pp. 9-30, jul./dez. 2018.

CASTRO, M.B. Na roda do mundo: entre a Bahia e Nova York, São Paulo: USP, 2007.(Tese de Doutorado).

DA CUNHA, P.F.A. Capoeiras e valentões na história de São Paulo (1830-1930), USP, disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-11092012-105013/publico/2011_PedroFigueireidoAlvesdaCunha_VCorr.pdf

DE CARVALHO, C.M. O cavaleiro e a virgem Maria: uma análise de iluminuras nas Cantigas de Santa Maria Nº 63, Revista Ars Historica, ISSN 2178-244X, nº15, Jul/Dez 2017, p. 22-42 | www.ars.historia.ufrj.br

SANTOS, M. Cobrinha Verde, capoeira e mandingas, Salvador: A rasteira, 1991.

FERRETI, M. Encantados e encantarias no folclore brasileiro, VI Seminário de Ações Integradas em Folclore. São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.repositorio.ufma.br:8080/jspui/bitstream/1/198/1/Encantados%20e%20encantarias.pdf

FILHO, P.A.M. Tudo que a boca come: a capoeira e suas gingas na modernidade, Salvador, UFBA, 2019.

FILHO, A.D. A herança de Mestre Bimba, Filosofia e lógica africanas da capoeira, Coleção São Salomão, Salvador, 2ª ed. 1997. Disponível em: https://portalcapoeira.com/download/a-heranca-de-mestre-bimba/?wpdmdl=13561&refresh=61247173162ce1629778291

FILHO. A.D. A herança de Pastinha, Coleção São Salomão, Salvador, 2ª ed. 1997b. Disponível: https://portalcapoeira.com/download/a-heranca-de-mestre-pastinha/?wpdmdl=13564&refresh=612433059247b1629762309

FILHO. A.D. Entrevista a Claudio A. Sampaio Filho disponível no site Capoeira da Bahia. Disponível em: https://capoeiradabahia.portalcapoeira.com/que-barravento/

JÚNIOR, J. D.C. A religião como tema central no conto “Acauã” de Inglês de Sousa, PLURA, Revista de Estudos de Religião, ISSN 2179-0019, vol. 6, nº 2, 2015, p. 27-48. Disponível em: https://revistaplura.emnuvens.com.br/plura/article/view/1116

LE GOFF, J. Heróis e maravilhas da Idade Média, tradução de Stephania Matousek. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009 p, 113.

MACEDO, J. R. Entre a Cruz e o Crescente: cristãos, afro-muçulmanos e a batalha de Las Navas de Tolosa (1212), In Guimarães, Marcella Lopes (org.) Por São Jorge! Por São Tiago! Batalhas e narrativas ibéricas medievais – Curitiba. Ed. UFPR, 2013. P. 83.

MAGALHÃES FILHO, P.A. Tudo que a boca come: a capoeira e suas gingas na modernidade, Salvador, UFBA, 2019.

MALAGRINO, L.F. Os ritmos no Candomblé de nação Angola: A música do templo de cultura Bantu Redandá, Brasília, UnB, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/32324

PIRES, A.L.C.S. Movimento da cultura afro-brasileira: a formação histórica da capoeira contemporânea, 1890-1950 (Tese de doutorado), Campinas, São Paulo, 2001.

PIRES, A.L.C.S. Bimba Pastinha e Besouro de Mangangá: três personagens da capoeira baiana. Goiânia: Grafset; Palmas: Neab/Unitins, 2002.

PIRES, A. L. S. O capoeira Besouro Mangangá: alguns aspectos culturais do Recôncavo da Bahia (1890-1930) in: Recôncavo da Bahia: educação, cultura e sociedade / Organizadores: Luís Flávio R. Godinho, Fábio Josué S. Santos , autores, Maria de de Azevedo Brandão [ et al. ] –. Amargosa, Bahia: Ed. CIAN, 2007, pp 45-51.

PINHEIRO, P.C. Figuraças, Rio de Janeiro: 7Letras, 2019.

PINHEIRO, P.C. Matinta, o bruxo, São Paulo: Leya, 2011.

REGO, W. Capoeira Angola: ensaio socioetnográfico. Ilustração André Flauzino. – 2. ed. – Rio de Janeiro: MC&G, 2015. p. 430. (Coleção Capoeira Viva, 5).

ROSA, J.G. Tutaméia (Terceiras estórias), Rio de Janeiro:Nova Fronteira, 2001.

SHAFFER, Kay. O berimbau-de-barriga e seus toques, Rio de Janeiro: FUNARTE/Instituto Nacional do Folclore (monografias folclóricas. 2), 1977.

SODRÉ, M. Santugri, histórias de mandinga e capoeiragem, Rio de Janeiro:José Olympio, 1988.

SOARES, C.E.L. A negrada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro (1850-1890), São Paulo: Unicamp, 1993. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/279422

SOARES, C.E.L. A capoeira escrava e outras tradições rebeldes no Rio de Janeiro (1808-1850), 2º Ed., rev. e ampl., Campinas: UNICAMP, 2004.

TAVARES, L.C.V e DA SILVA, R.M. Invenção da capoeira, anotações e estudos, Aracaju: EdIFS, 2019.

TAVARES, L.C.V. O corpo que ginga, jogo e luta. A corporeidade na capoeira, Aracaju:IFS, 2018.

VASCONCELOS, J.G. Besouro cordão de ouro, o capoeira justiceiro, Fortaleza: Edições UFC, 2009

VERGER. P. Fluxo e Refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo do Benin e a Bahia de Todos os Santos. Salvador: Currupio, 1987.

Downloads

Publicado

2021-11-13

Como Citar

CUNHA BEZERRA, C. De Besouro a Matinta: capoeira e filosofia na obra de Paulo César Pinheiro. Kalagatos , [S. l.], v. 18, n. 1, p. 190–225, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/kalagatos/article/view/7207. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos