Metodologias Ativas em salas de aula superlotadas e as fragilidades da Educação Básica

Autores

  • DHARA UECE
  • VANESSA UECE

Palavras-chave:

Salas superlotadas, Metodologias Ativas, Dilemas educacionais

Resumo

Problemas como a superlotação das salas de aula, acompanhado da predominância do ensino tradicional, assolam a educação brasileira há anos e foi a partir dessa realidade que procurou-se identificar ou não indícios de mudanças na educação. Este estudo buscou analisar a concepção de 15 professores de 4 escolas da educação básica e pública de um município do estado do Ceará, sobre as dificuldades em trabalhar em salas de aula superlotadas e utilizar as metodologias ativas. Aplicou-se um questionário online contendo 17 questões, sendo este analisado pelos percentuais encontrados e à luz da literatura pertinente. Constatou-se que apesar de, a maiora ter informação e treinamento sobre o método ativo, a estratégia é usada de forma pontual e 18,2% afirmam não se sentirem motivados para tal ação. Logo, a superlotação das salas é uma realidade que envolve fatores complexos e observa-se uma resistência ao novo, e por isso, além de conhecer os recursos e estratégias metodológicos inovadores, o desejo é um fator determinante para a transformação do ensino.

Biografia do Autor

DHARA, UECE

Licencianda em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará (2021), no qual atuou como bolsista PBEPU nos anos de 2018 a 2020 no Laboratório de Biologia do Centro Vocacional Tecnológico de Maranguape-CE pela UECE/Universidade Aberta do Brasil.

VANESSA, UECE

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará (2015), no qual atuou como monitora na disciplina de Histologia e Embriologia Animal Comparada e do PRO-PET-SAÚDE e participou de projeto de iniciação científica. Mestre em Ciências Veterinárias (PPGCV) - UECE. Doutoranda no do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias. Integrante do Laboratório de Biotecnologia da Reprodução de Peixes. Atua na linha de pesquisa de Reprodução Animal, com ênfase em Biotecnologia da Reprodução de Peixes (Colossoma macropomum) e genética de populações. Atualmente atua como tutora na modalidade a distância no curso de Ciências Biológicas da UECE/Universidade Aberta do Brasil no polo de Maranguape-CE.

Referências

ARAÚJO, Tânia Maria de; PINHO, Paloma de Sousa; MASSON, Maria Lucia Vaz. Trabalho e saúde de professoras e professores no Brasil: reflexões sobre trajetórias das investigações, avanços e desafios. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 35, n. Suppl 1 Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0102-311X00087318> Acesso em: 16 out. 2020.

BARBOSA, Cristiane Clébia. Metodologias Ativas como recurso didático no Ensino Superior. Rev. Prometeu., Ano IV, n. 4. 2018, p. 1-14. ISSN 2175-0920. Disponível em: < http://lte.ce.ufrn.br/prometeu/edicoes/edicao_2018.html > Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº. 2/2009, de 28 de maio de 2009. Seção 1, p. 41 e 42. 2009. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/13684-resolucoes-ceb-2009 > Acesso em: 09 out. 2020.

CAPELLINI, Véria Lucia Messias Fialho; RODRIGUES, Olga Maria Piazetin Rolim. Concepções de professores acerca dos fatores que dificultam o processo da educação inclusiva. Educação, Porto Alegre, v.32, n.3, 2012. Disponível em:< http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/ faced/article/viewFile/5782/4203.> Acesso em: 06 out. 2020.

CEVOLANE, Lucas et al. Densenvolvimento humano: um esboço da perspectiva de Jean Piaget. Revista Dimensão Acadêmica, v.2, n.1. 2017. Disponível em: < https://multivix.edu.br/pesquisa-e-extensao/revista-cientifica-dimensao-academica/revista-cientifica-dimensao-academica-volume-02-numero-01-2017/ > Acesso em: 02 nov. 2020.

CUSTÓDIO, Lucimara Aparecida Faustino; VIEIRA, Camila Mygnai; FRANCISCHETTI, Ieda. A dimensão social na formação médica: o contexto de vida na aprendizagem baseada em problemas. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, e00272103,2020. doi: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00272.

Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462020000300502&script=sci_arttext> Acesso em: 18 out. 2020.

DALMORO, Marlon; VIEIRA, Kelmara Mendes. Dilemas na construção de escalas tipo likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? RGO revista Gestão Organizacional, vol. 6 - edição especial. 2014. Doi: https://doi.org/10.22277/rgo.v6i3.1386. Disponível em: < https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rgo/article/view/1386> Acesso em: 10 nov. 2020.

DIESEL, Aline; BALDEZ, Alda Leila Santos; MARTINS, Silvana Neumann. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, 14(1), 268-288.. 2017. doi: https://doi.org/10.15536/thema.14.2017.268-288.404. Disponível em: < http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/404> Acesso em: 14 out. 2020.

FERREIRA, Maria Ines Aparecida. Proposta de uma metodologia de ensino inspirada nos métodos pensar-emparelhar-compartilhar e instrução por pares: uma implementação para o ensino de indução eletromagnética. 2018. Dissertação (Mestrado).- PPGEEB. 2018. Disponível em: <http://repositorio.ufes.br/handle/10/10461> Acesso em: 06 set. 2020.

FREIRE, Paulo. À sombra desta mangueira. São Paulo: Civilização Brasileira, 1º ed. 2012.

GATTI, Bernadete A. Ensinando e aprendendo: avanços e desafios dos professores no Brasil. Brasília: UNESCO, p. 1-8. 2014. Cerimônia de lançamento do Relatório de Monitoramento Global da Educação Para Todos (EPT – 2013).

GOMES, S. G. S. ; MOTA, M. V. S. ; MOTA, JOÃO BATISTA ; LEONARDO, E. S. . Metodologias ativas na prática docente. 2015. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - apostila). Disponível em: < https://www.cead.ufv.br/site/cadastrocursos/metodologias-ativas-na-pratica-docente/ > Acesso em: 22 maio. 2020.

GONÇALVES, Mariana Fiuza; GONÇALVES, Alberto Magno; GONÇALVES, Ilda Machado Fiuza. Aprendizagem baseada em problemas: uma abordagem no ensino superior na área da saúde. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, 2(1). doi: 10.47149/pemo.v2i1.3676.2020. Disponível em: < https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3676 > Acesso em: 25 set. 2020.

HIRATA, Guilherme; OLIVEIRA, João Batista Araujo; MEREB, Talita de Moraes. Professores: quem são, onde trabalham, quanto ganham. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro, v. 27, n. 102, p. 179-203, Mar. 2019. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362019000100179&lng=en&nrm=iso > Acesso em: 08 dez. 2020.

JACOMINI, Márcia Aparecida.; PENNA, Marieta Gouvêa de Oliveira. Carreira docente e valorização do magistério: condições de trabalho e desenvolvimento profissional. Ver. Proposições, V. 27, N. 2 (80), maio/ago. 2016.

LEÃO, Denise Maria Maciel. Paradigmas Contemporâneos de Educação: Escola Tradicional e Escola Construtivista. Cad. Pesqui., São Paulo, n. 107, p. 187-206. 1999. doi: https://doi.org/10.1590/S0100-15741999000200008.

Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15741999000200008&lng=en&nrm=iso> Acesso em: 18 Out. 2020.

MACHADO, Flávia Cristina; LIMA, Maria de Fátima Webber Prado. O Uso da Tecnologia Educacional: Um Fazer Pedagógico no Cotidiano Escolar. SCIENTIA CUM INDUSTRIA, V. 5, N. 2, p. 44 -50. 2017. Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/scientiacumindustria/article/view/5280> Acesso em: 30 out 2020.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CEB Nº 8/2010, de 5 de maio de 2010.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Relatório do Brasil no PISA 2018. Versão Preliminar. Brasília: INEP/MEC. 2019.

MONTEIRO, Rachel Rachelley Matos et al. A docência universitária e os professores bacharéis: o estado da questão, Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, 2(2). 2020. doi: 10.47149/pemo.v2i2.3647.

OLIVEIRA, Êmila de. Motivação no ensino superior: estratégias e desafios. Revista Contexto & Educação, v. 32, n. 101, p. 212-232, 6 jul. 2017.

OLIVEIRA, Sebastião Luís de; SIQUEIRA, Adriano Francisco; ROMÃO, Estaner Claro. Aprendizagem Baseada em Projetos no Ensino Médio: estudo comparativo entre métodos de ensino. Bolema, Rio Claro, v. 34, n. 67, p. 764-785. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-4415v34n67a20.

PALERMO, Gabrielle A.; SILVA, Denise Britz do Nascimento; NOVELLINO, Maria Salet Ferreira. Fatores associados ao desempenho escolar: uma análise da proficiência em matemática dos alunos do 5º ano do ensino fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro. Rev. bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 31, n.2, p. 367-394, jul./dez. 2014.

PASQUALLETO, Terrimar Ignácio; VEIT, Eliane Angela; ARAUJO, Ives Solano. Aprendizagem Baseada em Projetos no Ensino de Física: uma Revisão da Literatura. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. RBPEC 17(2), 551–577. 2017. doi: 10.28976/1984-2686rbpec2017172551.

PEREIRA, Zeni Terezinha Gonçalves; SILVA, Denise Quaresma da. Metodologia Ativa: Sala de Aula Invertida e suas Práticas na Educação Básica. REICE: Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, ISSN-e 1696-4713, Vol. 16, Nº. 4, 2018, p. 63-78. 2018.

PIOVESAN, Armando; TEMPORINI, Edméa Rita. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 29, n. 4, p. 318-325. 1995 .

ROSA, Maria Luísa Ferlini da. O uso da informática instrumental na reformulação da prática docente de língua estrangeira: em busca da formação do aluno do século XXI. Repositório Digital URFGS. p. 1-46. 2019. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/browse?type=author&value=Rosa%2C+Maria+Lu%C3%ADsa+Ferlini+da> Acesso em: 17 out.2020.

SILVA, Andreson Patrício da et al. As metodologias ativas aplicadas ao ensino médio. In: PBL 2018 International Conference, 2018, Santa Clara, California. Anais... Santa Clara, California, p. 1-14. Disponível em: < http://pbl2018.panpbl.org/wpcontent/

uploads/2018/02/AS-METODOLOGIAS-ATIVAS-APLICADAS-AOENSINO-

ME%CC%81DIO.pdf > Acesso em: 26 out. 2020.

SILVA, Edsom Rogério. O Ensino Híbrido no Contexto das Escolas Públicas Brasileiras: Contribuições e Desafios. Porto das Letras, 3(1), p. 151 - 164. 2017. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/portodasletras/article/view/4877> Acesso em: 18 out. 2020.

SILVA, João Batista et al.Tecnologias digitais e metodologias ativas na escola: o contributo do Kahoot para gamificar a sala de aula. Rev. Thelma., v. 15, n 2, p. 780-791, 2018.

SILVA, Luciana Saraiva da et al. Formação de profissionais críticos-reflexivos: o potencial das metodologias ativas de ensinoaprendizagem e avaliação na aprendizagem significativa. Revista del Congrés Internacional de Docència Universitària i Innovació (CIDUI), [en línia], 2014. Disponível em: <https://www.raco.cat/index.php/RevistaCIDUI/article/view/368446 >Acesso em: 21 out. 2020

SOUZA, Ângelo Ricardo de. O professor da educação básica no Brasil: identidade e trabalho. Educ. rev, Curitiba, n. 48, p. 53-74, Jun 2013.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602013000200005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010440602013000200005&lng=en&nrm=iso> Acesso em: 17 out. 2020.

SOUZA, Jean Andrade et al. A importância das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) como ferramenta pedagógica na educação infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Revista Mosaico. 2017. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/321766621_A_importancia_das_Tecnologias_de_Comunicacao_e_Informacao_TIC_como_ferramenta_pedagogica_na_Educacao_Infantil_e_nas_Series_Iniciais_do_Ensino_Fundamental> Acesso em: 20 out. 2020.

SOUZA, Kellcia Rezende; KERBAUY, Maria Teresa Miceli. Abordagem quanti-qualitativa: superação da dicotoamia quantitativa-qualitativa na pesquisa em educação. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, v. 31, n. 61, p. 21-44, 27 abr. 2017. Disponível em: < http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/29099> Acesso em: 26 set. 2020.

SPESSATTO, Marizete Bortolanza; CARMINATI, Celso João. Bacharéis docentes: a formação de professores não licenciados. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), n. 20, 7 jul. p. 1-18. 2018. doi:https://doi.org/10.17561/reid.n20.2.

TARTUCE, Gisela Lobo B. P.; NUNES, Marina M. R.; ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri De. Alunos do ensino médio e atratividade da carreira docente no Brasil. Cad. Pesqui., São Paulo , v. 40, n. 140, p. 445-477. 2010. doi: https://doi.org/10.1590/S0100-15742010000200008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742010000200008&lng=en&nrm=iso > Acesso em: 03 dez. 2020.

VALENTE, José Armando. A sala de aula invertida e a possibilidade do ensino personalizado: uma experiência com a graduação em midialogia. In: BACICH, Lilian; MORAN, José (orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre: Penso, p. 1-19. 2018.

Downloads

Publicado

2021-06-13

Como Citar

MENDES, D. S., & ALVES PEREIRA, V. (2021). Metodologias Ativas em salas de aula superlotadas e as fragilidades da Educação Básica. Conexão ComCiência, 1(3). Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conexaocomciencia/article/view/5376