Mediação de conflitos no ambiente escolar para promover a cultura de paz

estudo de caso na Escola Estadual Senador Osires Pontes

  • Diana Elizabette Lima do Amaral
  • Jeannette Filomeno Pouchain Ramos
Palavras-chave: escola, mediação, conflitos, cultura de paz

Resumo

A mediação procura ensinar os membros da comunidade escolar a olhar as diferenças com respeito e tolerância, traçando novos caminhos na construção das relações e fortalecendo o diálogo e a paz. Assim, o lócus da pesquisa foi a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Senador Osires Pontes”, situada em uma região considerada violenta, uma das escolas piloto que compõem o projeto “Célula de Mediação Social e Cultura de Paz”, desenvolvido pela Secretaria Estadual de Educação do Ceará (Seduc) com o propósito de aplicar técnicas de mediação para resolver conflitos e promover a cultura de paz. Analisamos as contribuições positivas e os desafios identificados após a implantação da mediação no ambiente escolar.

Referências

Abramo, H. W. (1997). Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 1997(5-6), 25-36.

Abramovay, M., & Castro, M. G. (2004). Políticas de/para/com juventudes. Brasília, DF: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Almeida, A. R. S. (2001). A emoção na sala de aula. São Paulo, SP: Papirus.

Almeida, S. M. N. (2009). Avaliação das concepções da violência no espaço escolar e mediação de conflitos (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE.

Braga, A., Neto. (2008). O que é mediação de conflitos. São Paulo, SP: Brasiliense.

Buitoni, A. (2010, novembro). Mediar e conciliar: as diferenças básicas. Recuperado de jus.com.br/ artigos/17963/mediar-e-conciliar-as-diferencas-basicas

Carrano, P. C. R. (2000, novembro). Identidades juvenis e escola. Alfabetização e Cidadania, 2000(10), 19.

Carrano, P. C. R. (2007). Educação de Jovens e Adultos e juventude: o desafio de compreender os sentidos da presença dos jovens na escola da “segunda chance”. Revista de Educação de Jovens e Adultos, 2007(1), 55-67.

Cassab, C. (2010). Refazendo percursos: considerações acerca das categorias jovem e juventude no Brasil. Perspectiva, 34(128), 39-51.

Chiavenato, I. (1987). Teoria geral da administração. São Paulo, SP: McGraw Hill.

Chrispino, Á. (2007). Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 15(54), 11-28.

Chrispino, Á., & Chrispino, R. S. P. (2011). A mediação do conflito escolar. São Paulo, SP: Biruta.

Dayrell, J. (Org.). (1996). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte, MG: Ed. UFMG.

Esteves, L. C. G., & Abramovay, M. (2007). Juventude, juventudes: pelos outros e por elas mesmas. In M. Abramovay, E. R. Andrade, & L. C. G. Esteves (Orgs.), Juventudes: outros olhares sobre a diversidade (pp. 19-54). Brasília, DF: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Foucault, M. (1977). Vigiar e punir. Petrópolis, RJ: Vozes.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf

Libâneo, J. C. (2004). Entrevista com José Carlos Libâneo. Revista Plurais, 1(1), 9-35.

Matos, K. S. A. L. (2003). Juventude, professores e escola: possibilidades de encontros. Ijuí, RS: Ed. Unijuí.

Matos, K. S. A. L. (2006). Vivência de paz: o Reiki na escola Parque 210/211 Norte em Brasília. In M. C. A. Bomfim, & K. S. A. L. Matos (Orgs.), Juventude, culturas de paz e violência nas escolas (pp. 15-32). Fortaleza, CE: Ed. UFC.

Matos, K. S. A. L. (2007). Juventudes e cultura de paz: diálogos de esperança. In A. C. Pinto, C. J. S.

Araújo, & H. L. Costa (Orgs.), Formação do pesquisador em educação: questões contemporâneas (pp. 224). Maceió, AL: Ed. Ufal.

Matos, K. S. A. L. (2010). A paz que protege: cultura de paz, juventudes e docentes. In K. S. A. L.

Matos, & R. Nonato, Junior (Orgs.), Cultura de paz, ética e espiritualidade (pp. 19-30). Fortaleza, CE: Ed. UFC.

Matos, K. S. A. L., Castro, L. M. D., & Nascimento, E. L. (2008). Semeando a paz: escolas e sujeitos em busca de valores. In K. S. A. L. Matos, V. S. Nascimento, & R. Nonato, Junior (Orgs.), Cultura de paz: do conhecimento à sabedoria (pp. 17 - 29). Fortaleza, CE: Ed. UFC.

Mendel, G. (1974). La descolonización del niño. Barcelona, España: Ariel.

Moore, C. W. (1998). O processo de mediação: estratégias práticas para a resolução de conflitos (2a ed.). Porto Alegre, RS: Artmed.

Morgado, C., & Oliveira, I. (2009). Mediação em contexto escolar: transformar o conflito em oportunidade. Revista Exedra, 2009(1), 43-55.

Ortega, R., & Del Rey, R. (2002). Estratégias educativas para prevenção das violências. Brasília, DF: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Padilha, R. D. (2004). Mediação sistêmico-integrativa: família e escola construindo uma cultura de paz. Curitiba, PR: Amanapaz.

Pallarés, M. (1983). Técnicas de grupo para educadores. Madrid, España: ICCE.

Ramos, J. F. P. (2005). Gestão democrática da escola pública: a experiência do governo das mudanças (1995-2001). Fortaleza, CE: Ed. UECE.

Ruotti, C., Alves, R., & Cubas, V. O. (Orgs.). (2006). Violência na escola: um guia para pais e professores. São Paulo, SP: Andhep.

Schnitman, D. F., & Littlejohn, S. (Orgs.). (1999). Novos paradigmas da mediação. Porto Alegre, RS: Artmed.

Sposito, M. P. (2003). Os jovens no Brasil: desigualdades multiplicadas e novas demandas políticas. São Paulo, SP: Ação Educativa.

Sposito, M. P., & Carrano, P. (2003). Juventude e políticas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, (24), 16-39.

Tocqueville, A. (2001). A democracia na América. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Torrego, J. (2003). Mediação de conflitos em instituições educativas: manual para formação de mediadores. Porto, Portugal: Asa.

Trassi, M. L., & Malvasi, P. A. (2010). Violentamente pacíficos: desconstruindo a associação juventudes e violência. São Paulo, SP: Cortez.

Vezzulla, J. C. (1998). Teoria e prática da mediação. Curitiba, PR: Instituto de Mediação e Arbitragem do Brasil.

Warat, L. A. (2001). O ofício do mediador. Florianópolis, SC: Habitus.

Publicado
2018-08-06
Como Citar
Lima do Amaral, D. E., & Pouchain Ramos, J. F. (2018). Mediação de conflitos no ambiente escolar para promover a cultura de paz. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 8(21), 24-44. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2018.8.21.1072
Seção
Artigos