A Teoria como prática libertadora na obra de bell hooks “Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade”:

Uma análise à luz da perspectiva decolonial

Autores

  • ADRIANA SOUZA SIMÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • LOIANE PRADO VERBICARO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • RAQUEL AMORIM DOS SANTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Palavras-chave:

EDUCAÇÃO, ENSINO, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS, DECOLONIALIDADE, MULHERES NEGRAS

Resumo

O artigo busca discutir a educação a partir do livro de bell hooks “Ensinando a transgredir: a educação como pratica da liberdade”, trazendo questões que nos permitam compreender o papel da educação atuante no enfrentamento de práticas de ensino que reforçam poder e dominação. Pretende-se promover um debate de forma a confrontar o ensino que ainda é permeado por uma pedagogia tradicional e um currículo eurocêntrico. Por intermédio de pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa, o artigo propõe-se a discutir o quanto uma pedagogia revolucionária e anticolonial é necessária para não reforçar os sistemas de dominação no campo do saber; e a contextualizar a importância do pensamento decolonial para transformar o sistema de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 11, p. 89-117, maio/ago. 2013.

CARNEIRO, Sueli. A construção do outro como não-ser como fundamento do ser. USP, São Paulo, 2005

CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. Belo Horizonte: Letramento, 2018.

CARNEIRO, Sueli. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo negro, 2011.

COLLINS, Patricia. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

GONZALES, Lélia. Racismo e Sexismo na cultura brasileira. In: Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244.

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

hooks, bell. O feminismo é para todo mundo. Rio de Janeiro: Rosa dos tempos, 2019.

KARNAL, Leandro [et al.]. História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI. São Paulo: Contexto, 2007.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 8ª Edição. Editora Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2005.

MOTA NETO, João Colares. O giro decolonial na América Latina. UFPA, Belém, 2018

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro? São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 16. ed. Porto: B. Sousa Santos e Edições Afrontamento, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo; Editora Cortez, 2019.

VERGÈS, Françoise. Um feminismo decolonial . Trad. de Dias, Jamille Pinheiro; Camargo, Raquel. São Paulo: Editora Ubu, 2020. 144p.

Downloads

Publicado

2022-05-19

Como Citar

SOUZA SIMÕES, A.; PRADO VERBICARO, L.; AMORIM DOS SANTOS, R. A Teoria como prática libertadora na obra de bell hooks “Ensinando a transgredir: A educação como prática da liberdade”: : Uma análise à luz da perspectiva decolonial. Kalagatos , [S. l.], v. 19, n. 1, p. eK22015, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/kalagatos/article/view/8214. Acesso em: 28 jun. 2022.