Saúde e sociedade

reflexões sobre o hoje e o amanhã

Autores

  • Jose Jackson Sampaio
  • Israel Coutinho Sampaio Lima
  • Roberta Nunes Procuradora Jurídica da Fundação Universidade Estadual do Ceará (FUNECE)

DOI:

https://doi.org/10.59487/2965-1956-1-7214

Palavras-chave:

Saúde Pública, Política Pública, Determinantes Sociais de Saúde

Resumo

O estudo buscou compreender como Estado e Sociedade, de modo democrático, interagem em mútua implicância a qual precisa ser pensada como histórica, em devir; processual, continuamente contraditória; e complexa, por interdeterminação e interdependência. Trata-se de um ensaio teórico, amparado na literatura e das discussões prévias do Grupo de Pesquisa Vida e Trabalho, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual do Ceará. Os resultados apontam para a importância de estudos mais globais, que se utilizem da Dialética e da Teoria da Complexidade, a fim de orientar os recortes de pesquisa para que não se percam na fragmentação técnica. Na relação Sociedade e Saúde, percebe-se que os desafios são grandes, diante das dinâmicas entre sociedade-cultura-economia-política, pois tais campos se implicam por interdeterminação e interdependência entre as partes que compõem o todo, mas não totaliza sem as relações. A construção do acesso e do direito igualitário e equânime à saúde, no Brasil, sofre vitórias e perdas constantes, em retrocessos e meias voltas que tendem a prejudicar a construção social da saúde enquanto direito humano e bem universal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Silva CV, Silva DFL, Souza EM. A participação da sociedade civil na democratização do setor de saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação Médica. 2013, v. 37, n. 2, [Acessado 10 Jul 2021], pp. 254-259. Disponível em:https://www.scielo.br/j/rbem/a/XHbWLCkmZGJbxqnkP6JKjYR/?lang=pt.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil 1988. Brasília; 1988.

Rizzotto MLF, Campos, GWS. O Banco Mundial e o Sistema Único de Saúde brasileiro no início do século XXI. Saúde e Sociedade [online]. 2016, v. 25, n. 2 [Acessado 12 Jul 2021], pp.263-276. Disponível em:https://www.scielo.br/j/sausoc/a/mpvvFPWmh8cJcwrK86Szv3L/abstract/?lang=pt.

Rocha CMF, Martins MR, Farias MA. Saúde para todos: a participação da sociedade civil na governança global em saúde. Saúde em Debate [online]. 2020, v. 44, n.spe1 [Acessado 10 Ju 2021], pp. 160-170. Disponível em:https://www.scielo.br/j/sdeb/a/4Td3zrcD4tsCt7s8rv8rRVz/?lang=pt.

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Brasília; 1990.

Campos GWS. Saúde, Sociedade e o SUS: o imperativo do sujeito. Saúde e Sociedade [Internet]. 2009, v.18, n.2, [Acessado 10 Jul 2021], pp.24-34. Disponível em:https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=406263695004.

Machado FRS. O direito à saúde na interface entre sociedade civil e Estado. Trabalho, Educação e Saúde [online]. 2009, v. 7, n. 2 [Acessado 10 Jul 2021], pp. 355-371. Disponível em:https://doi.org/10.1590/S1981-77462009000200009.

Souza LEF, et al. Os desafios atuais da luta pelo direito universal à saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2019, v. 24, n. 8 [Acessado19 Jul 2021], pp. 2783-2792. Disponível em:https://doi.org/10.1590/1413-81232018248.34462018.

Asensi FD. Saúde, Poder Judiciário e sociedade: uma análise de Brasil e Portugal. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online]. 2013, v. 23, n. 3 [Acessado 10 Jul 2021], pp. 801-820. Disponível em:https://doi.org/10.1590/S0103-73312013000300008.

Bezerra IMP, Sorpreso ICE. Conceitos de saúde e movimentos de promoção da saúde em busca da reorientação de práticas. Journal of Human Growth and Development. 2016, v.26, n. 1, [ Acessado 10 Jul 2021], pp.11-20. Disponível em:https://dx.doi.org/10.7322/jhgd.113709.

Malvezzi E, et al. Apropriação social do Sistema Único de Saúde: ouvindo a voz dos usuários. Interface -Comunicação, Saúde, Educação [online]. 2021, v. 25 [Acessado 10 Jul 2021], e200291. Disponível em:https://doi.org/10.1590/interface.200291.

Bleicher T, Freire JC, Sampaio JJC. Avaliação de política em saúde mental sob o viés da alteridade radical. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online]. 2014, v. 24, n. 2 [Acessado10 Jul 2021], pp. 527-543.Disponível em:https://doi.org/10.1590/S0103-73312014000200011.

Meneghetti FK. O que é um ensaio-teórico? Revista de Administração Contemporânea [online]. 2011, v. 15, n. 2 [Acessado12 Jul 2021], pp. 320-332. Disponível em:https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200010.

Helman CG. Cultura, saúde e doença. Porto Alegre: Artmed; 2003, p.431.

Hippocrates and Galen. Great Books of the Western World, No 10. London: Encyclopaedia Britannica, 1978.

Sampaio JJC. Epidemiologia da Imprecisão: processo saúde/doença mental como objeto da epidemiologia. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1998, p. 15-65.

Nunes ED. Saúde Coletiva: Revisitando a sua História e os Cursos de Pós-Graduação. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 1996, v. 1, n. 1 [Acessado 12 Jul 2021], pp. 55-69. Disponível em:https://doi.org/10.1590/1413-812319961101392014.

Organização Pan-Americana da Saúde. Declarationof Alma-Ata [internet]. 1978. [acesso em 2021 jul 10]. Disponível em:www.who.int/publications/almaata_declaration_en.pdf.

Escorel S, Moreira MR. Participação Social. In. Giovanella, L. (org.) Políticas e Sistemas de Saúde no Brasil. 2. Ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2012, pp.853-884.

Paim J, et al. O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. The Lancet, [online]. 9 May, 2011. [Acessado 12 Jul 2021]. Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/artigo_saude_brasil_1.pdf.

Brasil. Decreto nº 5.839, de 11 de julho de 2006. Brasília, 2006.

Silva JPV, Pinheiro R, Machado FRS. Necessidades, demanda e oferta: algumas contribuições sobre os sentidos, significados e valores na construção da integralidade na reforma do Setor Saúde. Saúde em Debate, [online]. 2003, n. 65, v. 27,[Acessado 12 Jul 2021]. p. 234-242. Disponível em:http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=394026&indexSearch=ID.

Souza, LEP. Saúde Pública ou Saúde Coletiva? Revista espaço para Saúde, Londrina, v.15 pg. 07-21, out-dez, 2014.

Nunes, R. Os Desafios do Planejamento em Saúde ante o Fenômeno da Judicialização: uma análise da atuação da Gestão na condução do cumprimento de decisões judiciais. [Defesa de Dissertação de Mestrado], Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Universidade Estadual do Ceará. 2019.

Vasconcelos, CM, Paschie, DF. O SUS em perspectiva. IN: Campos, GWS. Tratado de Saúde Coletiva. 2ª Ed. ver. Aum –São Paulo: Hucitec Editora, 2012.

Brasil. Casa Civil. Lei n° 8.142 de 28 de dezembro de 1990. Brasília, 1990.

Brasil. Casa Civil. Lei n° 7.508 de 28 de Junho de 2011. Brasília, 2011.

Downloads

Publicado

2022-03-14

Como Citar

1.
Sampaio JJ, Coutinho Sampaio Lima I, Nunes R. Saúde e sociedade: reflexões sobre o hoje e o amanhã. Dialog Interdis Psiq S Ment [Internet]. 14º de março de 2022 [citado 16º de junho de 2024];1(1):46-52. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/dipsm/article/view/7214