“O DRAMA DAS SECAS”

ALEGORIAS DA FOME NO FILME DOCUMENTÁRIO DE RODOLFO NANNI

Autores

  • Augusto Lira UFPE

Palavras-chave:

Cinema, Fome, O Drama das Secas, Rodolfo Nanni, ASCOFAM

Resumo

Este artigo se propõe a narrar a trajetória do filme documentário O Drama das Secas, de Rodolfo Nanni. Sua aparição em meados de 1958 representa um movimento importante para a cinematografia nacional por articular num mesmo projeto estilemas do neorrealismo italiano a um imaginário regionalista prefigurado sobre Nordeste do Brasil, num peculiar laboratório estético. A película busca ainda dar visibilidade aos problemas sociais desta região interpretados segundo as posições políticas da Associação Mundial de Luta Contra a Fome (ASCOFAM), entidade que a financiou. A Grande Seca que acometeu o Nordeste no mesmo ano é o acontecimento primordial registrado por Nanni. Sua narrativa é aqui considerada um importante relato para o estudo do Nordeste e de uma parcela de sua população num momento crítico de sua história: o da emergência de uma nova sensibilidade regional que reclamava por uma redefinição estratégica de sua economia frente ao ideário nacional desenvolvimentista impulsionado durante o governo de Juscelino Kubitscheck. O texto analisa como um microclima de opinião, promovido através do cinema institucional da ASCOFAM, transforma-se numa zona cultural de maior dimensão social e acaba por influir nos acontecimentos da vida nacional como um importante fator político.

Biografia do Autor

Augusto Lira, UFPE

Mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco.

Email: augustolira@live.com.

Publicado

2022-01-30

Como Citar

LIRA, A. . “O DRAMA DAS SECAS”: ALEGORIAS DA FOME NO FILME DOCUMENTÁRIO DE RODOLFO NANNI. Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), [S. l.], v. 6, n. 12, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/bilros/article/view/7849. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS