Edições anteriores

  • BILROS
    v. 9 n. 19 (2021)

    Bem-vindos a mais um número da Bilros, desta vez apresentamos-lhes o v. 9, n. 19.  Nesta edição mantemos o nosso compromisso de divulgar e estimular a produção científica de nossa área, e ainda de discutir nossa realidade, nosso tempo, de forma reflexiva, intensa, além de política, histórica e socialmente engajada, trazendo à tona temáticas que reverberam de diferentes formas no sentido da construção de um mundo mais igualitário, justo e tolerante como alguns de nossos artigos sugerem.

    Atravessamos um período que para além da pandemia, a desesperança, a mentira (que se convencionou chamar de fake news), a arrogância, a pós-verdade, se misturam aos cortes de verbas, aos ataques ao conhecimento, ao saber e à universidade, à perseguição, e outros tantos aspectos que demandam de todos nós sinais da construção de um novo tempo. Queremos sugerir também isso com este número...

    São textos que reviram a história, a sociologia e a antropologia em suas diferentes fronteiras apontando caminhos profícuos que sugerem novos papéis a diferentes sujeitos sociais, e ainda a eclosão de uma nova perspectiva e outras epistemes que se estruturam agora e que decerto serão fundamentais em breve.

    São ao todo sete (07) artigos livres e uma (01) tradução que selecionamos para vocês caros leitores sentirem o que está por vir. Aborda-se aqui muitas e complexas questões – todas com reverberações e/ou interferências no nosso contemporâneo. São temáticas relativas a gênero (masculino e feminino), são temáticas relativas ao lazer e à festa; temáticas ligadas às artes e cultura; temáticas ligadas ao controle social e as muitas formas de resistência.

  • BILROS
    v. 9 n. 18 (2021)

    Propomos uma ode às palavras e expressões que dão sentido ao título da revista Bilros e o que ela representa desde a sua primeira edição; ou seja, uma trama, um tecido forte, uma composição de fibras que aqui não equivalem apenas a um pequeno ponto de renda, como os mais famosos: palma, coração, aranha, meus olhos, quadro, margarida, zigue zague ou tantos outros espalhados pelo país.

    Nosso ponto da renda de bilro é composto pelas mãos que aperreiam nesse terral, aquelas que não cessaram os trabalhos na pandemia, as mesmas que seguram o pires nas agências de fomento, unem-se entrelaçadas umas às outras, demonstram que a fortaleza vem justamente da diversidade, do companheirismo, e, principalmente, aquelas que produzem conhecimento com a seriedade da academia e a leveza de um ethos que ultrapassa as fronteiras do academicismo.

     

  • BILROS
    v. 8 n. 17 (2020)

    É com imensa alegria que lançamos a edição de número 17 da Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), periódico acadêmico que é fruto da união de esforços de discentes do curso de graduação em História Universidade Estadual do Ceará (UECE) e de egressos/as da mesma instituição, entre eles/as integrantes do DÍCTIS/UECE, do GT de História cultural da ANPUH-CE e doutorandos/as que hoje atuam em Programas de Pós-Graduação de Universidades públicas espalhadas pelo país.

    Desde seu nascimento, a Bilros tem como objetivo contribuir com a divulgação da produção historiográfica brasileira e com a construção do conhecimento científico, seja na área da História, ou em áreas afins. O lançamento de mais uma publicação reforça o compromisso da revista com a pesquisa, o ensino e a democratização do conhecimento, principalmente dentro de um contexto de constantes ameaças as Universidades públicas e a produção científica nelas produzida. Seja através do desmonte de agências nacionais de fomento como CAPES e CNPq, do corte de bolsas de pesquisa de graduação e pós-graduação ou da intervenção do executivo federal na autonomia e na gestão das universidades ao não nomear os/as mais votados/as das listas tríplices para as reitorias, prática adotada em governos antecessores, presenciamos de forma cada vez mais evidente o destroçamento de todas as instituições, políticas e avanços educacionais alcançados nos últimos anos.

    Portanto, neste momento repleto de incertezas e questionamentos, o trabalho realizado pela Revista Bilros, junto com outros periódicos científicos e pesquisadores/as, continua a demostrar que, mesmo sob ataques constantes, as Universidades públicas continuam produzindo com a mesma qualidade habitual e buscando cada vez mais alcançar novos públicos ao promover debates instigantes, diálogos críticos e se debruçar sob novas e antigas temáticas.

  • BILROS
    v. 8 n. 16 (2020)

    É com enorme satisfação que anunciamos o décimo sexto número da Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s). Esse periódico é fruto do interesse e do esforço conjunto de discentes da graduação em História da Universidade Estadual do Ceará (UECE), além de doutorandos/as egressos/as desta mesma instituição pública e que agora se encontram em outros Programas de Pós-Graduação. O décimo sexto número foi composto de textos com temática livre submetidas à Bilros e duas republicações de artigos da ArtCultura: Revista de História, Cultura e Arte, periódico editado pelo Instituto de História e pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Uberlândia.

    Em um contexto político de desmonte das políticas culturais e de perseguição aos setores da cultura que não se alinharam ou submeteram aos arroubos autoritários do Executivo Federal brasileiro - explicitados de maneira trágica pelos incêndios no Museu Nacional e na Cinemateca, bem como no boicote realizado pela Funarte ao Festival de Jazz do Capão na Chapada Diamantina na Bahia - e no estabelecimento de grupos negacionistas na esfera pública nacional que se baseiam em uma perspectiva de cultura etnocêntrica, racista e de verniz nacionalista, como o defendido pelo ex-secretário de Cultura do Governo de Jair Messias Bolsonaro, a Revista de História Bilros ratifica sua posição de reconhecimento da importância do setor cultural para o país e, diante disso, presta seu apoio a todos e todas trabalhadores e trabalhadoras da cultura.

    Nesse sentido, a escolha por republicar textos da revista ArtCultura busca reforçar a relevância do trabalho feito pelo Instituto de História e pelo  Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Uberlândia, os quais se constituíram como agentes fundamentais para a consolidação da História Cultural no campo historiográfico brasileiro através de reflexões renovadas acerca do campo cultural, mas também por ser um divulgador de pesquisas de excelência sobre a relação entre história e arte para a compreensão da História do Brasil.

  • BILROS
    v. 7 n. 15 (2019)

    Caro leitores/as, é com imenso prazer e contentamento, que nós da equipe editorial da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”, trazemos para vocês a nossa 15a edição. Essa, por sua vez, é a segunda edição de nosso sétimo volume, organizada com todo zelo para o seu deleite. O periódico em questão é resultado dos esforços contínuos empreendidos por discentes dos cursos de graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), bem como de doutorandos/as egressos/as desta referida instituição pública de ensino, que agora integram outros Programas de Pós-Graduação em diversas Universidades. Dividimos com vocês esta edição composta por quinze artigos livres e uma resenha.

    Apresentar-lhes esta revista agora não se dissocia do entendimento da atual conjuntura política em que vivemos. Diante o desmonte sistemático da educação através de cortes orçamentários, contingenciamentos e desvalorização constante do processo de ensino/aprendizagem e pesquisa nas mais distintas áreas, principalmente, no seio da universidade pública, é de extrema importância incentivar e valorizar o ofício do/a historiador/a de trazer a luz do presente os fatos encobertos pelas brumas do passado. Muito embora, o atual poder político nacional insista em deslegitimar e contestar fatos historicamente comprovados, RESISTIREMOS!

  • BILROS
    v. 7 n. 14 (2019)

    É com enorme alegria e satisfação que a equipe editorial anuncia o lançamento da 14ª edição da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”. Como afirmado nas edições anteriores, esse periódico é fruto do interesse e do esforço conjunto de discentes da graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), além de doutorandos/as egressos/as desta mesma instituição pública e que agora se encontram em outros Programas de Pós-Graduação. Chegamos à primeira edição do volume 7, referente ao ano de 2019, composta por 14 textos inéditos de acadêmicos e acadêmicas de Universidades de todo o Brasil. Esta edição é composta por treze artigos livres e uma resenha.

    Contudo, antes de iniciarmos a apresentação dos trabalhos contidos nessa edição, faz-se necessário uma breve, porém importante, manifestação pública. Em meio aos cortes orçamentários, contingenciamentos e ataques sofridos pela educação e por todas as Universidades Públicas desse país, com MUITO PRAZER lançamos mais uma edição desta “BALBURDIA”, a qual, com muito esforço e dedicação foi construída por pesquisadores e pesquisadoras de diversas áreas. Em um momento onde valorizar a educação e defender as Universidades Públicas virou sinônimo de baderna, nós da equipe editorial da Revista Bilros conclamamos que vocês, que diariamente têm se esforçado para manter viva a chama da pesquisa no Brasil, continuem nesta luta. Travem essa batalha juntamente conosco e diversos outros periódicos e instituições, se dediquem às suas pesquisas, levem elas para as ruas, conversem com as pessoas, participem das organizações em prol de uma educação pública, gratuita e de qualidade. Apenas assim, com a garra que sempre tivemos, conseguiremos mais uma vez enfrentar e derrotar todas as forças que ameaçam o futuro da pesquisa em nosso país e, consequentemente, o futuro de diversas áreas estratégicas. E lembrem: Defender a educação não é crime. Sendo assim, sejam muito bem-vindos e bem-vindas a mais esta edição.

    Importante ainda informar, que cumprida a "missão" de publicar de forma ampla e consolidada os artigos de uma demanda crescente (desde o volume 05, número 08) agora voltamos de forma planejada a uma publicação semestral (duas publicações por ano). Pensamos que com isso contribuímos de forma decisiva para o fortalecimento de nossa área de atuação, além de matermos a qualidade desejada por todos.

  • BILROS - Dossiê História das mulheres e das relações de gênero
    v. 6 n. 13 (2018)

    É com enorme satisfação que anunciamos o décimo terceiro número da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”. Esse periódico é resultado da iniciativa e do trabalho conjunto de discentes da graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), além de doutorandos/as egressos/as desta mesma instituição, que agora atuam em outros Programas de Pós-Graduação do país. O décimo terceiro número, volume 6, foi composto por 19 textos enviados para o Dossiê Temático História das Mulheres e das Relações de Gênero e mais 3 textos na secção Artigos livres, totalizando o número de 22 trabalhos inéditos nesta publicação.

    Ratificamos aqui a satisfação em lançar um Dossiê que versa sobre as complexas relações de gênero e seu papel estruturante das relações sociais, e consequentemente dos processos históricos, em um contexto de esfacelamento da democracia brasileira, do crescimento do autoritarismo do Estado, das tentativas de implantação do famigerado projeto Escola Sem Partido, do ataque aos direitos humanos, da necessidade de autoexílio de congressistas e militantes dos Direitos Humanos, feministas, militantes LGBTI+, bem como da acentuada violência contra as mulheres, LGBTI+, povo negro, indígena e do campo.

    Neste cenário, refletir sobre a participação das mulheres e das relações de gênero para a história se faz necessário e nos serve como instrumento de compreensão das permanências, retrações e transformações nas sociedades, bem como de percepção do aspecto generificado das estruturas sociais, culturais, políticas e econômicas responsáveis por sustentar as desigualdades, os diversos tipos de violência - de gênero, interseccional, de classe, no campo, epistêmicas, etc...-, mas também perceber o caráter criativo e inventivo das resistências aos discursos que buscam naturalizar, controlar, reprimir e explorar os mais diversos corpos mediante a sua construção subjetiva.

    Deste modo, acreditamos que divulgar trabalhos inseridos nos Estudos de Gênero também se configura como uma forma de atuação política em dois níveis diferentes, porém interligados. O primeiro em total oposição à tentativa de criminalização do magistério encontrada na atuação de parlamentares que pautam o projeto Escola Sem Partido, estes/as preocupados/as, sobretudo, com o a capacidade dos Estudos de Gênero de promover uma educação crítica, libertadora e transformadora. O segundo em completa objeção a uma perspectiva de análise histórica centrada na glorificação do heteropatriarcado branco que busca secundarizar as experiências de mulheres negras, indígenas e brancas, assim como da população LGBTI+, nos processos históricos e na produção do conhecimento.

  • BILROS
    v. 6 n. 12 (2018)

    É com enorme satisfação que a equipe editorial anuncia o lançamento da 12ª edição da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”. Como falado nas edições anteriores, esse periódico é, e continua sendo, fruto do interesse e do esforço conjunto de discentes da graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), além de doutorandos/as egressos/as desta mesma instituição pública e que agora se encontram em outros Programas de Pós-Graduação. Chegamos assim a segunda edição do volume 6 referente ao ano de 2018 composta por 16 textos inéditos de acadêmicos e acadêmicas de Universidades de todo o Brasil. Esta edição é composta por treze artigos livres, duas experiências de ensino e umaentrevista com a historiadora Beatriz Gallotti Mamigonian, uma das organizadoras do movimento/coletivo Historiadores pela Democracia.

    Para esta edição e para este tempo vivido faz-se necessário um rápido, porém, importante pronunciamento da coordenação editorial. Em meio ao difícil e complexo momento político-ideológico vivenciado no Brasil, onde os possíveis cenários levam parte da população a flertar com o autoritarismo e o fascismo, nós da Revista de História Bilros gostaríamos de reforçar nosso compromisso com as práticas democráticas e progressistas. Reafirmamos os valores éticos praticados pelas pessoas que compõem esse periódico eletrônico e abominamos qualquer discurso de ódio seja contra negros e negras, indígenas, mulheres, pobres, nordestinos, homossexuais, pessoas trans ou qualquer outro setor da população. Colocamo-nos nas trincheiras de frente da luta por um Brasil e por uma academia que se distancie de qualquer simpatia com este tipo de discurso e prática, e defendemos o estado democrático de direito e a universidade/educação pública, autônoma e de qualidade.

  • BILROS
    v. 6 n. 11 (2018)

    É com muito entusiasmo que lançamos a edição de número 11 da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”, criada por iniciativa dos discentes do curso de graduação em História da Universidade Estadual do Ceará (UECE) e do Mestrado Acadêmico em História da mesma instituição, e que hoje tem como membros do corpo editorial um grupo composto por estudantes de graduação, pós-graduação, em nível mestrado e doutorado, assim como graduados/as e mestres/as, da mesma e de outras universidades, que a cada edição unem-se em um esforço conjunto, na intenção de divulgar trabalhos acadêmicos de História, e áreas afins, de diversas localidades do Brasil.

  • BILROS - Dossiê História Cultural: Debates e possibilidades historiográficas
    v. 5 n. 10 (2017)

    É com enorme satisfação que anunciamos a 10ª edição da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”. Fruto, inicialmente, do interesse conjunto de discentes da graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), este periódico eletrônico chega ao seu quinto volume e ao seu número dez composto de doze textos inéditos de acadêmicos e acadêmicas de Universidades de todo o Brasil. Esta edição está sendo lançada composta por oito artigos no Dossiê Temático História Cultural, três artigos na seção Artigos Livres e uma Entrevista com a atual presidenta da ANPUH nacional.

  • BILROS
    v. 5 n. 09 (2017)

    É com imensa satisfação que anunciamos a 9ª edição da “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)”. Fruto do interesse conjunto de discentes da graduação em História e do Mestrado Acadêmico em História (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), este periódico chega ao seu volume cinco número nove composto por um total de dezesseis trabalhos inéditos, de acadêmicos de universidades de todo o Brasil, divididos entre treze artigos, duas resenhas e uma experiência de ensino.

  • BILROS
    v. 5 n. 08 (2017)

    É com regozijo que a Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s) lança ao público o seu oitavo número.  Resultado do engajamento coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História e Culturas (MAHIS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). A Bilros divulga, nesta edição, onze escritos. Divididos nas seguintes seções: ArtigosResenhasExperiência de Ensino.

    Desde o seu nascimento, a Revista Bilros busca se afirmar enquanto lugar destinado à divulgação de trabalhos sobre múltiplos vieses do espectro da construção do conhecimento em Humanidades. Sendo assim, tem-se buscado estimular as pesquisas e os pesquisadores das mais diversas formações e distintos cabedais teóricos, tornando a publicação um espaço muito rico para o desenvolvimento de debates. Por fim, a presente edição segue a sua missão e mantém a sua vocação de valorização e estímulo da transdisciplinaridade e da interdisciplinaridade entre os conhecimentos e as práticas científicas, corroborando com a pluralidade de teorias, de temas, de objetos, de metodologias e de abordagens.  

    Revista Bilros, a partir desta edição, por período determinado, passará a ter periodicidade quadrimestral, ou seja, lançará três edições ao ano. Com o progressivo aumento do fluxo de textos, foi necessário aumentar a periodicidade para atender plenamente a demanda. Desde já, os que constroem o periódico agradecem a confiança creditada ao trabalho desenvolvido na divulgação científica. Assim, 

  • BILROS - Dossiê História e Educação
    v. 4 n. 07 (2016)

    É com enorme satisfação que a “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” lança ao público o seu sétimo número sendo o seu primeiro dossiê: História e Educação.  Resultado do engajamento coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História e Culturas da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nesta edição, quatorze trabalhos divididos entre as seções: Dossiê Temático, Artigos Livres, Resenhas e Enquanto isso...outras histórias.

  • BILROS
    v. 4 n. 06 (2016)

    É com enorme satisfação que a “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” lança ao público o seu sexto número, resultado do engajamento coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História e Culturas da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nesta edição, treze trabalhos divididos entre as seções: Artigos, Experiências de Ensino e Resenhas.

    Desde o seu nascimento a Revista Bilros busca se afirmar enquanto espaço destinado para divulgação de trabalhos sobre as mais diversas formas de construção e atribuição de significados as práticas, as representações e a(s) cultura(s), bem como outras diversas formas de compreensão historiográfica e de áreas correlatas. Ao mesmo tempo, tem procurado estimular os pesquisadores das mais diversas formações e titulações que necessitam de um espaço para exposição das questões em que se ocupam no curso das suas pesquisas. Por tudo isso, essa edição segue a missão de valorizar a interdisciplinaridade entre os conhecimentos a partir da pluralidade de temas, metodologias e abordagens, assim, buscando sempre expor as diversas contribuições de um saber diversificado e, portanto, frutífero.

  • BILROS
    v. 3 n. 05 (2015)

    Com muita satisfação a Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” torna público o seu quinto número, resultado do esforço coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nessa edição, doze trabalhos correspondentes às seções: “Artigos” e “Experiências de ensino”.

    Além de debater, analisar e divulgar a produção historiográfica e de áreas afins, esta edição mais uma vez pluraliza as modalidades, os objetos de pesquisa, os recortes temporais e as abordagens teórico-metodológicas utilizadas nestes escritos. Nesta edição são abordados objetos como a “cultura popular”, a cooperação nuclear, os conflitos de jurisdições, a colonização dos espaços litorâneos, a música, a literatura, o cinema e a história, dentre outros.

  • BILROS
    v. 3 n. 04 (2015)

    Com muita satisfação a “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” torna público o seu quarto número, resultado do esforço coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nessa edição, dezessete trabalhos correspondentes às seções: “Artigos”, “Resenhas” e “Experiências de ensino”.

  • BILROS
    v. 2 n. 03 (2014)

    É com muita alegria que a “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” torna público o seu terceiro número, resultado do esforço coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nessa edição, treze trabalhos que correspondem às seções: “Artigos”, “Entrevistando” e “Enquanto isso... outras histórias”.

  • BILROS
    v. 2 n. 02 (2014)

    É com muita alegria que a “Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)” torna público o seu segundo número, resultado do esforço coletivo dos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará. A Revista Bilros divulga, nessa edição, quinze trabalhos que correspondem às seções: “Artigos”, “Resenhas”, “Experiências de Ensino” e “Enquanto isso... outras histórias”.

  • BILROS
    v. 1 n. 01 (2013)

    É com satisfação que lhes apresentamos, caros leitores, o primeiro número da Revista Bilros – História(s), Sociedade(s), Cultura(s). Idealizada, criada e organizada pelos discentes do Curso de História e do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará, trata-se da invenção criativa e interferente de um grupo de jovens historiadores preocupados em ingerir/digerir a realidade cultural, acadêmica, social, política, de forma aberta, fronteiriça, interdisciplinar e transitando por entre os mundos do conhecimento que constituem a realidade de forma cada vez mais decisiva.